MAIS ACTUAL

Rui Costa Pinto - Jornalista/Editor/Publisher

sexta-feira, janeiro 23, 2015

Haja juízo


Rambos


Ministros incompetentes, vistos e mortes nos hospitais

'Diário de Guantánamo': relato na primeira pessoa de torturas e violação

Justiça investiga mortes nas urgências

«Procuradoria-Geral da República confirmou ao i que foram instaurados inquéritos a três mortes em urgências hospitalares».

quinta-feira, janeiro 22, 2015

Regressam as ilusões


Estão mesmo a pedi-las

«Aos novos basta que nada prometam, apenas lhes é exigido um trabalho competente».

Caos nas Urgências

Um discurso previsível

O elo partido

«Foi João Andrade Corvo, um visionário da política internacional, o primeiro a ver a importância estratégica dos Açores».

A palavra proibida

quarta-feira, janeiro 21, 2015

A esquerda perdeu a virgindade

O dinheiro barato


Je suis musulman, Charlie

Eurocéticos

Saúde: incúria ou monstruosidade?

Face aos relatos, notícias e reportagens sobre as horas de espera nas urgências hospitalares, o silêncio de António Costa (por que será?) é uma vergonha. Por outro lado, é preciso reafirmar que há qualquer coisa de monstruoso na tentativa de branquear a sucessão de mortos (homicídios?) que se têm registado com a singela afirmação que «todos os dias morrem pessoas nos hospitais». Resta a firmeza do Bastonário da Ordem dos Médicos, José Manuel Silva: «São mortes desnecessárias. E isso não é aceitável. Se é a fatura que temos que pagar então não devíamos estar a pagar esta fatura porque não se pode cortar na saúde para além de um determinado limite».

P. S. Seria interessante fazer uma investigação jornalística sobre estas mortes mais do que suspeitas para saber se entre elas existe registo de algum familiar de um governante, ex-governante, político, deputado... ou até de um jornalista.

Governos europeus cúmplices com a CIA

SIS: e mais um chefe de gabinete

Pedro Passos Coelho marcou presença na tomada de posse do novo director do SIS, Adélio Neiva da Cruz, fazendo um discurso banal e oco. E quanto às passadas trapalhadas nos serviços de informações, o primeiro-ministro ficou-se pelo «apesar de todas as vicissitudes».

terça-feira, janeiro 20, 2015

Saúde: 8 mortes depois

Estranhamente, ou não, após a morte de mais um idoso, no Hospital S. Francisco Xavier, em Lisboa, ninguém pede a demissão do ministro da Saúde? E o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, assiste impavidamente a este massacre (homicídios?) sem dizer uma palavra. Começa a ser tempo de Joana Marques Vidal garantir que estas mortes estão a ser investigadas, pois é o que se espera do procurador-geral da República digno desse nome.

Espiões britânicos consideram jornalistas "ameaça potencial à segurança"

Portugal: o ruído no ar

O ano está a começar como acabou o anterior, palrando sobre o acessório que não se sabe para não ter que falar sobre o fundamental que salta à vista de todos.

Mau costume

«Belém interessa tanto como guarda-chuva no deserto».

"Bazuca": o milagre ao virar da esquina

A primeira reunião do BCE, no próximo dia 22, em 2015, pode marcar o anúncio do arranque do programa de compras em larga escala de dívida pública. É a chamada "Bazuca" em perspectiva. 500 mil milhões de euros? Um bilião de euros? Afinal, o programa de expansão monetária sempre foi uma inevitabilidade? E a saída da crise é assim tão fácil?

Regionalização

«O imperativo constitucional mais adiado de sempre não é uma questão ideológica».

segunda-feira, janeiro 19, 2015

Sócrates: PGR esclarece conversa com diretor do JN

Um atentado à portuguesa

Angola: começou o desastre?

«Banca angolana sem dólares faz disparar procura no mercado informal».

Para quê? Porquê?

Presos de cano alto


Liberdade e terrorismo


Comunicado do Conselho de Redação do "Jornal de Notícias"

Estado não cumpre e assobia para o lado

domingo, janeiro 18, 2015

CGI, Maduro & Bloco Central

«As vozes que no PS pediam “sangue” em torno do eterno tema RTP calaram-se».

Sócrates: a "liberdade" deles

«Sócrates apanhado nas escutas a falar sobre a venda da Controlinveste».

O Estado de todos



Não há melhor

«A ‘austeridade’ dói; mas os delírios de quem promete fantasias ainda podem doer mais».

sábado, janeiro 17, 2015

Caso Sócrates: Direção do 'Correio da Manhã' faz nota editorial


Políticos presos versus presos políticos

Desemprego é crime?




sexta-feira, janeiro 16, 2015

As origens tolerantes da intolerância

A sátira e o terrorismo

Efeitos ‘Charlie’


terça-feira, janeiro 13, 2015

José Sócrates e Otelo Saraiva de Carvalho

Eles estão no meio de nós

2015: cair na real

A agitação interna, com o estoiro do BES e a prisão de José Sócrates, e a turbulência externa, com a situação da Grécia e os ataques de Paris, quase têm desviado os portugueses e a comunicação social dos problemas económicos e financeiros, embora 2015 se afigure como um ano igualmente decisivo e complexo. 

Antes & Depois

«Há um mês, ninguém na Europa marchou pelos milhares de vítimas de bombistas no Paquistão».

Chalies em dias par




segunda-feira, janeiro 12, 2015

Liberdades

«Só o Islão poderá ‘reformar-se’ para sair da Idade Média».

As presidenciais e o "sistema"...

As 10 razões da congestão das urgências

«Gerir a Saúde não é o mesmo que gerir uma repartição de Finanças».

Europa terrorista

«É esta a Europa cínica, e canalha, que aceitou o apelo de Hollande e vai fazer de conta que é amiga da liberdade de expressão».

O perigo da queda do próprio sistema capitalista está hoje afastado




Charlie: manifestação popular

Os parisienses desceram à Praça da República, numa impressionante, e certamente a mais genuína,  manifestação de defesa da liberdade de imprensa.

sexta-feira, janeiro 09, 2015

Americanos: Lajes e o princípio do fim

Os Estados Unidos da América anunciaram a redução em 65% os seus funcionários da base aérea na ilha Terceira, Açores. Ou seja, quem pactua e tudo permite a um aliado não pode esperar muito mais.

P. S. Os açorianos não merecem pagar a factura da governação de Carlos César e Vasco Cordeiro. 

Ficamos mais seguros sem o Charlie

O ano da tempestade perfeita

quinta-feira, janeiro 08, 2015

E eis que se reconhece: Sócrates está acima da lei

Charlie: repúdio não basta

Apesar do ultimo balanço trágico de 12 mortos, ainda é cedo para poder ter a noção sobre a verdadeira dimensão do que aconteceu na sede do semanário satírico Charlie. Estão a faltar perguntas, muitas perguntas e respostas sobre como foi possível que tal atentado tenha sido perpetrado de uma forma aparentemente tão simples. O habitual folclore é imensamente maçador, sobretudo quando tudo indica que se trata de mais uma unanimidade inconsequente. O repúdio pode consolar, mas não basta. 

Passos Coelho mais transparente

Pedro Passos Coelho, numa nota pessoal, informou os portugueses: «Foi diagnosticado à minha mulher, Laura Ferreira, um problema do foro oncológico que está a ser devidamente acompanhado». Eis um exemplo de transparência de quem exerce funções da mais alta relevância que, felizmente, vai evitar a repetição de trapalhadas passadas.

Que grande brincadeira

«O manuseamento de dinheiros públicos equivale a uma responsabilidade acrescida. E quando há disparates, tem de acontecer uma pena na mesma proporção».


Morte Brutal

«Chamava-se Ahmed Merabe e tinha 42 anos».

quarta-feira, janeiro 07, 2015

«Charlie c’est la radicalité anticléricale, c’est pour ça qu’ils ont été tués»

E depois de tanta e tanta banalidade, vale a pena ler Cohn-Bendit.

Corrupção e TGV

«Um dos defensores do TGV, o antigo ministro Mário Lino, foi ontem à cadeia de Évora visitar o promotor-mor deste projeto desastroso. A corrupção é há décadas um dos cancros do Estado. A novidade é que agora a Justiça já investiga alguns casos que envolvem poderosos».


Charlie Hebdo e os hipócritas

O choradinho do Bloco Central (PSD, CDS-PP e PS) na Assembleia da República, a propósito do trágico atentado que ocorreu, hoje, em Paris, contra os jornalistas do Charlie Hebdo, contrasta com a posição hipócrita e criminosa que sucessivos governos da direita e esquerda sustentados por aqueles partidos políticos portugueses adoptaram no momento em que os voos clandestinos da CIA e a afins transportavam cidadãos raptados, alguns dos quais mantidos à custa de muito gelo, apenas pela sua religião ou cor de pele.

P. S. Depois das putativas e/ou encapotadas candidaturas presidenciais, só falta mesmo a declaração emocionada de Aníbal Cavaco Silva.

Charlie Hebdo: mais um aviso

11 mortos em ataque contra o jornalismo.

O mundo errado da corrupção

Os líderes do momento

Epístola de Sócrates aos coríntios

terça-feira, janeiro 06, 2015

José Manuel Silva: um grande Bastonário

Após o conhecimento público de mortes por falta de atendimento médico, José Manuel Silva, Bastonário da Ordem dos Médicos, veio a terreiro dizer o que todos pensam. E não foi preciso morrer um notável...

Acusamos




O essencial, o acessório




sexta-feira, janeiro 02, 2015

José Sócrates: a primeira entrevista na prisão

«Dou esta entrevista em legítima defesa».

P. S. Muito mais importante do que dezenas de questões sem resposta.

Ganhar o Euromilhões

2015



O ano do Papa




Folhetim

«E agora, falamos de quê? Eu avanço com um tema: quando irá António José Seguro a Évora?».


segunda-feira, dezembro 29, 2014

O senhor-mentira


Grécia: uma eleição para a História

Conforme os mercados bolsistas tinham antecipado, com sucessivas perdas, a Grécia vai a eleições com a extrema esquerda do Syriza à espera de subir ao poder em 2015. Em Bruxelas, as campainhas de alarme começaram a soar...

A segunda vertigem

«Estamos a viver a segunda vertigem periférica em 40 anos».

Colarinho branco




Sopa de letras: 2014 de A a Z (parte I)

sexta-feira, dezembro 26, 2014

Sócrates: linchamento, branqueamento e histeria

Arquivar é absolver?

Passos de confiança

A mensagem de Natal do primeiro-ministro irritou a oposição.

Resistir ao Estado de coma

O coro desafinou...

Inocência e ética




Mensagens do náufrago

«Nem Passos acredita na sua mensagem de Natal».

segunda-feira, dezembro 22, 2014

A grande farsa

Tortura e impunidade




Armadilha diabólica


domingo, dezembro 21, 2014

Um santo




Notável

Reformar o "Deus mortal"

sexta-feira, dezembro 19, 2014

Paulo Portas: ainda não se demitiu?

O caso dos submarinos é um duplo desastre. Por um lado, revela as aparentes fragilidades de um certo tipo de investigação e liderança do MP que, deseja-se, não volte nunca mais a ser possível repetir, tal é o desempenho caricato que envergonha a Justiça; por outro lado, Paulo Portas, vice-primeiro-ministro, ainda que a gozar umas curtas férias, não pode fazer de conta que não leu o despacho de arquivamento, tais são as graves imputações com que o MP o presenteia.

P. S. Ana Gomes não vai largar o caso. De facto, há limites que não podem ser ultrapassados. E se não for agora, certamente Paulo Portas terá a resposta em 2015, como Pedro Passos Coelho já percebeu...

Adélio Neiva da Cruz: a novidade

Parece que não passou por Macau. E se é Maçon, então é um dos que não quer (pode) admiti-lo publicamente.

A bomba atómica

O "bloqueio"

TAP: os bons, os maus e o comprador

O caso de Armindo



l

Desesperos

«Com eleições em 2015, o CDS já rói as unhas».

As últimas horas de Sócrates em liberdade

TAP: qual é o problema?

Os principais partidos sempre admitiram, em diferentes momentos, a necessidade de privatizar a TAP. Então por que razão o PS está a fazer um caso? É por causa de Paes do Amaral? Então assuma-se que o problema não é a privatização, mas a possibilidade do Governo poder beneficiar um empresário próximo de Paulo Portas. 

quinta-feira, dezembro 18, 2014

RTP: e o contraditório?

No âmbito do desvario editorial da estação de televisão pública, que atingiu limites nunca vistos, Morais Sarmento continua a debitar opiniões sem qualquer contraditório (pela razão conhecida de todos). Não é de admirar, com mais ou menos bolo-rei, face a mais um pé de microfone. Triste e vergonhoso é o silêncio de Luís Marinho e de José Manuel Portugal, ainda que se calhar seja isso mesmo que se espera deles, como qualquer comissário político na toca à espera que passe a tempestade.

SIS: mais um chefe de gabinete

A reforma das secretas, prometida por Passos Coelho, ainda lhe vai cair em cima da cabeça... Para já, mais um achado no gabinete do SIRP: Neiva da Cruz é o novo director do SIS

Luxos e misérias do Portugal europeu



O mago da gestão




O regresso de José Martí

quarta-feira, dezembro 17, 2014

Marcelo Rebelo de Sousa: fim do sonho presidencial?

A reacção de José Maria Ricciardi ao último comentário de Marcelo Rebelo de Sousa deverá merecer, certamente, uma explicação do comentador da TVI. Seja qual for a justificação, e depois de tantos e tantos anos a granjear simpatias, o sonho presidencial de Marcelo acabou de virar pesadelo: alguém votaria no companheiro de férias de Ricardo Salgado?

RTP: Ponte é uma miragem

A RTP do poder vigente, de direita ou da esquerda, tem os dias contados. E nem Paulo Portas parece interessado em se associar a mais uma administração (Ponte) que julgava ser o Estado dentro do Estado. Há muito tempo que o Governo não dava uma tão significativa prova de vida. Poiares Maduro não agrada ao sistema, nem aos pés de microfone do regime. Ainda bem!

"Se não eu, quem?"

Bloco Central: o refúgio final?

António Costa virou à esquerda. E, agora, ataca ao centro, surpreendendo com um elogio escandaloso do Bloco Central. Passou a valer tudo para reconquistar o poder. Depois de tentar reescrever a história recente, só faltava limar a vergonha dos anos 80. Resta saber quando começa a nova fase. a corte ao CDS-PP. 

PS: tiques do passado

Alguns socialistas não conseguem esconder a péssima relação com a autonomia da Justiça e com a liberdade editorial dos órgãos de comunicação social, aliás, motivos para algumas das maiores nódoas da governação do PS. Bem podem tentar disfarçá-lo, mas a insistente crítica à presença dos jornalistas à porta do Estabelecimento Prisional de Évora diz tudo, provando que, afinal, não aprenderam nada com o passado. Mas já lá vai o tempo em que se podia quase tudo e se ficava pela agência Lusa. 

Sócrates: linchamento, branqueamento e histeria

Sim, podemos




Petróleo abaixo dos 60 dólares

E pode descer ainda mais. É uma marca histórica. Que pode favorecer a governação de Pedro Passos Coelho e dificultar mais a alternância em 2015.

A prisão preventiva e as entrevistas