MAIS ACTUAL

Rui Costa Pinto - Jornalista/Editor/Publisher

segunda-feira, maio 04, 2015

Sim ao exame prévio aos programas eleitorais

De novo o puxempurra

Exemplo a seguir...


sábado, maio 02, 2015

Passos Coelho elogia Manuel Dias Loureiro


As cenas da TAP

Por Mariupol

sexta-feira, maio 01, 2015

O futuro no Bolhão

TAP: a derrota do governo

O governo não foi capaz de manter a paz laboral na transportadora aérea pública, comprometendo (mais) uma das suas bandeiras eleitorais. A greve da TAP está aí, à vista de todos. Assim, não deverá ser preciso esperar muito tempo para o governo vir a terreiro tentar justificar o falhanço da privatização com a greve dos pilotos, mas nunca conseguirá atirar para debaixo do tapete o lixo de anos e anos de uma gestão pública ruinosa contra a qual o sindicato dos pilotos (SPAC) sempre esteve contra.

P. S. António Pires de Lima é cada vez mais um erro de casting na pasta da Economia.

Mais justiça




quinta-feira, abril 30, 2015

Passos e Portas arrastam-se

Pedro Passos Coelho e Paulo Portas arrastam-se penosamente, novamente coligados em desespero e à força, à espera de enfrentar as próximas legislativas. E nem na recta final da governação surge qualquer vislumbre de assomo de liderança e dignidade políticas. Nada, mas nada, os levam a demitir Paulo Núncio. Nem uma lista de contribuintes VIP's, nem uma busca os obrigam a agir. Surpresa? Não! Mais do mesmo, como se verificou, por exemplo, com Paulo Macedo, ministro da Saúde, no caso dos doentes com hepatite C, ou com o chefe dos serviços de informações.

O primeiro grande desafio de Medina




Conselho para o próximo governador

A memória do Estado




Será desta?

quarta-feira, abril 29, 2015

Sistema corrupção

Pensões: enquanto o pau vai e vem…

Tragédia Varoufakis

«Yanis Varoufakis foi o rosto de uma Grécia rebelde».

País pobre e 'low cost'


Vistos gold: MP faz buscas

A fama de Piketty

terça-feira, abril 28, 2015

As ideias estúpidas de Macedo e companhia

«Macedo e o seu Leal escudeiro mandarão os seus cães de fila por montes e vales atrás de quem violar com enorme prazer uma lei estúpida feita por estúpidos, que por serem estúpidos não percebem que ninguém a vai cumprir. As leis secas são para violar. Sempre e em qualquer lugar. Foi assim no passado, será assim no futuro. Mas não parem de nos divertir. Os estúpidos podem ser muito perigosos mas também servem para nos fazer rir. Vá lá, podem matar gente nas urgências hospitalares sem assistência, podem condenar pessoas à morte por falta de medicamentos para o cancro e a hepatite C, mas também têm o direito de pôr um povo triste, amargurado, cada vez mais pobre, a rir com a vossa estupidez. Vá lá, não parem. Entre umas mortes nos hospitais provocadas pela vossa incompetência podem rapidamente partir para outras causas tão estúpidas como o álcool e o fumo. Se não tiverem mais ideias estúpidas, olhem para a Austrália, metam-se já num avião e vão para aquela escola muçulmana que descobriu que as corridas tiram a virgindade às meninas».

O que nós precisamos é de creches

O polvo unido

«Nas vésperas do 25 de Abril, queriam o regresso da censura».

Não noticiar eleições é defender a liberdade?

Os pilotos são uma elite

Indigência política

«A tentativa de impor um visto prévio à cobertura jornalística das campanhas é uma lição a não esquecer».

sábado, abril 25, 2015

Isto vai ser bonito!

Uma vida nova?

Carlos Abreu Amorim, Telmo Correia e Inês Medeiros: o mau exemplo no Parlamento

Comemorar o 25 de Abril é muito mais do que uma data. É também combater a forma de recrutamento e a péssima qualidade dos deputados que nos representam. Para aqueles que ainda duvidam que estamos a atravessar um período histórico, nada melhor do que reflectir sobre a última trapalhada criada pelos três partidos do arco da governação. É verdade que existe um problema grave em relação à cobertura noticiosa dos actos eleitorais. Mas tentar resolver um problema com a criação de um ainda maior é algo inimaginável. 

Celebrar Abril






A Lei como arma mortal

«Os líderes dos três partidos em causa já se demarcaram da revolução em curso. Mas isso não chega. É preciso assegurar que estes golpistas não mais pegarão nas armas da Lei».

sexta-feira, abril 24, 2015

Mariana Mortágua ao Jornal de negócios

O elogio do público

Pensionistas e os outros




TAP, SPAC e Estado: uma lição

A greve dos pilotos da TAP é muito mais do que uma luta justa. É uma lição para governantes, quais chicos espertos, que julgam que podem usar e abusar da credibilidade do Estado. O acordo entre João Cravinho, o então super ministro de António Guterres, e o sindicatos dos pilotos (SPAC), em 1999, empenhou a palavra do Estado. E salvou a TAP à época. Chegou a hora de pagar a factura. E o argumento de que aquele acordo não é válido só envergonha ainda mais o próprio Estado.

Sócrates: Cinco meses de prisão, recursos recusados, seis arguidos na Operação Marquês

Uma salada

quarta-feira, abril 22, 2015

Fusão entre BCP e o BPI: o mau caminho

Bem podem afirmar que os investimentos angolanos e chineses são a prova de amanhãs que cantam, mas a factura vai chegar mais tarde ou mais cedo. O projecto de fusão entre o BCP e o BPI, entre outras combinações que estão a ser cozinhadas nos corredores do poder político e financeiro, é apenas mais um negócio. E, este em particular, certamente, interessa mais aos comissionistas do regime do que aos portugueses.

O regresso da TSU, pela mão do PS

Quanto vale a sombra da troika?




Ausências


O BES bom

O risco da TSU




Defesa da civilização

«Abandonando a civilização perde-se até aquilo que se queria obter ao deixá-la».

terça-feira, abril 21, 2015

Náusea




581

Apocalipse migrante




Os políticos estão errados?

Glamour grego



l

Mediterrâneo: as mortes que (não) incomodam

Não falta muito tempo para um qualquer porta-voz do sistema vir a terreiro dizer que a culpa do que se passa no Mediterrâneo é da imprensa que explora as imagens chocantes dos náufragos.

P. S. Onde anda o Alto-Comissário das Nações Unidas para os Refugiados, António Guterres?

Vala comum

segunda-feira, abril 20, 2015

A ilusão da autonomia orçamental

Os mortos, Lampedusa e os hipócritas do costume

É chocante assistir às centenas de mortos que, a cada dia que passa, jazem no Mediterrâneo. Mas mais chocante ainda é assistir ao coro de protestos que se sucedem apenas e só no momento imediato ao anúncio de mais um naufrágio, entre as costas da Líbia e a ilha italiana de Lampedusa, que custam dezenas e centenas de vidas.

Não Tapem os olhos, fechem a companhia


A Lei do Álcool

«Enquanto pai, não permito que o Estado me substitua».

Saber ao que vão




domingo, abril 19, 2015

Espanha: mais um Rato

E se António Mexia reduzisse o seu salário para aumentar trabalhadores?

A idade dos porquês (sobre jornalismo e justiça)


Paulo Morais candidato a Belém

As melhores frases do candidato presidencial, proferidas no Porto, no momento da apresentação da sua candidatura às Presidenciais de 2016:

«Os partidos do poder transformaram os processos eleitorais em circos de sedução em que acaba por ganhar quem é mais eficaz a enganar os cidadãos. As eleições transformaram-se assim em concursos para a escolha do maior mentiroso. E o troféu em jogo neste concurso é a chefia do Governo».

«Passos Coelho prometeu-nos o céu, mas remeteu-nos ao inferno»

«[Sócrates] fez exactamente o mesmo. Prometendo não aumentar impostos, não tardou em fazê-lo quando subiu ao poder. Mais um mentiroso. Da mesma forma, Durão Barroso tinha anunciado na campanha de 2002 um choque fiscal com uma brutal redução de impostos. Mal tomou posse a primeira medida foi aumentar impostos».

«Sendo eu presidente, o primeiro-ministro que faça o contrário do que anunciou, violando o compromisso eleitoral com o povo, de mim só pode esperar uma atitude: obviamente demito-o».

RTP: Passos Coelho, Portas e Cavaco Silva

O presidente da RTP, Gonçalo Reis, terá um salário mensal de dez mil euros, mais de três mil euros acima do vencimento auferido por Pedro Passos Coelho. A RTP não mudou assim tanto. Ou seja, tudo continua mais ou menos na mesma na estação pública, o que equivale a dizer que o mesmo se passa no país. Esta é apenas mais uma prova que Passos Coelho e Paulo Portas não estão a fazer a mudança que prometeram em 2011. É verdade que mudaram algumas coisas, mas no essencial esta nova escorregadela faz lembrar mais do mesmo e ainda outros tempos, designadamente quando Aníbal Cavaco Silva, entre muitos outros, não via mal nenhum na dança de cadeiras entre os partidos políticos, o governo e as empresas públicas e privadas. Já todos perceberam que a actual maioria não consegue fazer a mudança que prometeu, mas será que alguém ainda acredita que ela poderá ser levada a cabo pelo PS de António Costa?

PJ enfurece




À marretada




Calcanhar de Aquiles




Os juros vão subir em Outubro?

A poção alemã




sexta-feira, abril 17, 2015

Tráfego rodoviário e programa de governo

Braga a Sorrir

Legislativas e presidenciais

«Em outubro, esgota-se o mandato do Governo, encerra-se esta legislatura e realizam-se as eleições legislativas. É o momento de os eleitos de 2011 prestarem contas do que fizeram e de o Governo, com a maioria parlamentar que o apoiou, se submeter ao veredicto dos eleitores. É o momento da esquerda demonstrar que tem uma alternativa política. É aqui que se joga o nosso destino coletivo».

Prendam os banksters




quarta-feira, abril 15, 2015

A máquina de usar pessoas

Escrutínio directo

A turistificação

A lamentável demissão do Estado

As outras presidenciais

A lição espanhol




A angústia de Silva Lopes

terça-feira, abril 14, 2015

Vanessa já defende a realização de primárias para escolher o próximo namorado




A austeridade era inevitável? Era!

Somos todos responsáveis

Os cidadãos à procura da política

O milagre dos juros



Presidenciais 2016: do hilariante ao grotesco

Começa a ser hilariante, e até grotesco, assistir ao espectáculo dos candidatos a candidatos às Presidenciais de 2016 a desfiar "análises" nos seus respectivos espaços de opinião sobre os candidatos que já assumiram a intenção de se candidatar.

Guerra Civil




Já agora, não se pode exterminá-los?

Até onde queremos saber?

segunda-feira, abril 13, 2015

A casa da Rússia




Crápulas




Varinha mágica




Andaram a assobiar para o lado

Qual é o problema?!

109606507

sábado, abril 11, 2015

Obviamente demito-o




A corrupção como "fado"

Repensar as nossas possibilidades

Quem lesou os lesados?

«Estão previstas manifestações semanais dos lesados do papel comercial do Grupo Espírito Santo (GES)».


Isto promete

«Pediremos, de chapéu na mão e na companhia de outros pedintes, que Bruxelas e Berlim nos concedam uma esmola. Claro que estas palavras, de um realismo imbatível, prestam-se a uma pergunta: se é a Europa que manda e os governos nacionais obedecem, que tipo de promessas irá Costa fazer como ‘alternativa’ em Portugal? Promessas que dependem sempre dos outros e não dele? Eu já estou na primeira fila à espera dos próximos capítulos».

sexta-feira, abril 10, 2015

Falta de ética




Descodificar o futuro

Não há salvação

«Eleições ganham-se ao centro; Sampaio da Nóvoa vive nos extremos».

quinta-feira, abril 09, 2015

António Costa: acordou

António Costa deixou claro que se ganhar as próximas legislativas é o líder do PS que vai formar Governo. É um recado claro para o presidente da República, cujos tiques autoritários parecem ressurgir em final de mandato. De facto, só faltava que Cavaco Silva ensaiasse um novo golpe constitucional, à semelhança do que fez Jorge Sampaio.Ou seja, ainda há quem não perceba que o país mudou...

Presidenciais 2016: a ver se te avias

As primeiras candidaturas às presidenciais de 2016 estão a deixar os partidos tradicionais à beira de um ataque de nervos. Para já, as primeiras críticas assumidas, umas mais credíveis do que outras, têm partido dos mais diferentes quadrantes do sistema e dos afins do costume. Depois de Henrique Neto e Sampaio da Nóvoa, chegou a vez de assinalar que Paulo Morais avançou.

Proíbam-se os resultados




Truques e aldrabices

«Sete empresas que fornecem refeições a escolas e hospitais (entre outros serviços públicos) foram condenadas, pela Autoridade da Concorrência, ao pagamento de 14 milhões de euros de multa, por combinação de preços e outras tropelias. Com isso ganharam, de forma ilícita, um pouco mais de 172 milhões de euros. O que aconteceu entretanto? Pagaram a multa? Foram impedidas de fornecer instituições públicas? Nada disso. Relativamente à multa, prescreveu, depois do recurso às manobras dilatórias habituais junto dos tribunais. Quanto aos negócios com o Estado, e apesar de a lei prever a possibilidade de inibir empresas trampolineiras de fornecerem entidades públicas, seguem de vento em popa. De então para cá, já ganharam mais dois mil contratos públicos e qualquer coisa como 700 milhões de euros. É duvidoso que ainda se possa levar este país a sério».

A eficiência alemã eleva-se aos céus

quarta-feira, abril 08, 2015

A vida difícil de António Costa

Lista VIP: o dia seguinte

Lista VIP: Joana Marques Vidal determina investigação

Saúde pública




Pela sua saúde

Teoria do resmungo

Portugal é um país de “Gangsters Falhados”

terça-feira, abril 07, 2015

António Costa e “o sistema”

O último Presidente

«É urgente regenerar a Presidência da República. Por este andar, o próximo PR arrisca ser o último eleito por sufrágio universal. Para evitarem a maçada de eleições presidenciais, será grande a tentação dos aparelhos partidários de trancarem a escolha no parlamento».


Vistos Gold: e a próxima favada ainda será melhor?

«Vistos gold. Como juízes e espiões foram apanhados na investigação».

Vida de marinheiro




Os donos do jogo

«Quatro anos sobre o pedido de ajuda externa por parte de um governo socialista, para evitar a bancarrota, o maior partido de oposição não aparenta ter nada para dizer de substancialmente alternativo sobre o futuro de Portugal e da Europa».

Um grande cineasta

segunda-feira, abril 06, 2015

Grécia, um acidente à espera de acontecer

O que prende António Costa?

Eleições na Madeira




Não basta oposição




Máquinas de extorsão



 

Um homem honrado

«Silva Lopes é uma figura ímpar da nossa sociedade».

domingo, abril 05, 2015

O melhor economista


Apelo à transparência




Medo da própria sombra

sábado, abril 04, 2015

Control*Alt*Delete


Aniki-Bobó

«Em tempo de hipocrisia, seria devastadora uma sondagem sobre quantos viram os seus filmes».

O peão honorável

Vanessa. Como acabar uma relação à distância sem que fique tudo ainda muito pior

Para dizer estas porcarias precisas de ir a Atenas??

António Ventinhas: a confirmação

Sampaio da Nóvoa: uma boa surpresa

A candidatura presidencial de Sampaio da Nóvoa faz jus à necessidade clara de renovação na classe política. O apoio de Mário Soares não é o mais relevante, pois já são poucos aqueles que ainda lhe ligam. O que importa é o sinal dado por António Costa: o líder dos socialistas, pela primeira vez, e enquanto é tempo, começa a descolar da tralha socrática. 

Venha o champanhe




Eu tenho as listas VIP




O salvador

sexta-feira, abril 03, 2015

O 1 de abril de Costa


Paroxismos da fiscalite

Prejuízos




Longa vida ao provocador

quinta-feira, abril 02, 2015

zpf ainda melhor

Um luxo de site.

Mas há mais...

O país real e o outro

«E se do Governo não se esperam ‘golpes de asa’, da Oposição vem um bocejo».

As faces do Irão

Os votos esquecidos

«É espantoso como tudo falha no apuramento de votos das eleições da Madeira e nada acontece».


Manda quem pode

quarta-feira, abril 01, 2015

Madeira, o príncipe de Salina, Costa e os azares dos Távoras

Henrique Neto, uma candidatura necessária

Alguém acredita neste PS?

António Costa rompeu o contrato com os eleitores que lhe deram a vitória na Câmara de Lisboa. Fê-lo com um estranho sorriso, quiçá exibindo o sentido do dever incumprido. A pergunta impõe-se: será que algum português acredita que este velho político do PS, se ganhar as eleições legislativas de 2015, será capaz de mudar a política em Portugal?

ANAni, ANAnão

A escolha do leitor

«Neste abril de 2015, que assinala os 40 anos das Constituintes, era oportuno refletir sobre a democracia que temos». 


As taxas da banca


Conto de Páscoa

Madeira: António Costa debaixo de fogo

«Eleições na Madeira são uma péssima notícia para António Costa»


terça-feira, março 31, 2015

Votos na Madeira: mau prenúncio

 A contagem e recontagem dos votos na Madeira, com incerteza quanto aos resultados, é um mau prenúncio para as legislativas de 2015.

O mundo estava bem melhor sem Obama

A verdadeira lista VIP

Vem no jornal