MAIS ACTUAL BLOG

Rui Costa Pinto - Jornalista/Editor/Publisher

sábado, novembro 18, 2017

#palavrinhas

Estado Velho

Tudo isto é enfado


Amar com obras e não com palavras

O perfume do impeachment

O caso Sócrates e a cegueira quase coletiva

É Sábado! What else?

sexta-feira, novembro 17, 2017

Clemente e católicos chocados

As últimas declarações do Cardeal-Patriarca, sobre as admissões nos seminários, confirmam que a Igreja Católica portuguesa continua ignorante, preconceituosa e reaccionária, contrariando a esperança que muitos católicos depositaram na escolha de D. Manuel Clemente.

Comboio em marcha atrás

O Estado que nunca falha a sacar impostos

Desculpa no país à beira-mar (des)plantado

Entramos, definitivamente, na era da banalização do pedido de desculpa para evitar o cumprimento do princípio da responsabilização política. 

Chapa dada, chapa tirada

Quarenta tiros

«As mortes por ação da PSP e GNR são uma fatura demasiado elevada».

Tudo se paga

What else?

quinta-feira, novembro 16, 2017

Angola e Marcelo

Dada a evolução do que se está a passar em Angola, Marcelo Rebelo de Sousa não tardará a enviar um telegrama de felicitações ao presidente João Lourenço. Resta a dúvida se o fará em nome pessoal ou em nome de Portugal.

Máfia de Braga. Ministério Público pede 25 anos

«Homens estão acusados de raptar empresário à frente da sua filha menor e de o matarem antes de dissolverem o corpo em ácido».

Santos da casa deixaram de fazer milagres

Mortos pelo Estado, mortos por nós

Há mais doentes com superbactéria

PGR e DCIAP devem explicações

Semba de roda

«TPA vai ser retirado à Semba, empresa dos filhos de Eduardo dos Santos».

What else?

quarta-feira, novembro 15, 2017

Democracia: a diferença

A agressão de cidadãos a polícias é um crime. E o espancamento de cidadãos por parte de agentes das polícias e das seguranças privadas também é crime. Se o primeiro é inaceitável, então o segundo é ainda mais abominável, porque também implica abuso de força/poder no exercício de funções. Não compreender esta diferença, é não compreender a Democracia.

Vanessa. Retomar a conversa no sítio onde se deixou

Isabel dos Santos exonerada da Sonangol

O espetro de Maria de Lurdes assombra Costa

Diga Fizz

«Novos avanços e recuos no caso que envolve a elite angolana».

A memória e os mortos

Europa falha

A União Europeia não conseguiu chegar a um acordo para melhorar as suas regras para combater a lavagem de dinheiro, depois de meses de negociações em torno da revisão da directiva que previne o branqueamento de capitais. Depois da revelação dos "Paradise Papers", nada mudou na Europa...

Assim se vê a força do PCP

Vénus e Júpiter alinharam-se no céu.

What else?

terça-feira, novembro 14, 2017

Tecnoforma de regresso

Portugal sem limites

Enquanto se vão somando mortes por legionella, o ministro da Saúde pediu desculpa. Solenemente! O presidente da República aplaudiu e segue o bailete. O primeiro-ministro continua a assobiar para o lado. Os partidos da maioria de esquerda fazem declarações pias. E a oposição não consegue vincar o signado do que se está a passar na Saúde. Onde é que vai parar este país com governantes sem um pingo de vergonha política? É Portugal sem limites...

A Europa do futuro

A Disneylândia é aqui

A austeridade nunca chegou aqui

Que leva Trump a humilhar Putin?

Um governo de mortos-vivos políticos

«Os actuais governantes formam um grupo unido por velhas amizades e até por parentescos (maridos e mulheres, pais e filhos). Chegaram aos lugares da frente depois da queda do Muro de Berlim. São a geração da chamada Terceira Via. Nunca sofreram dos escrúpulos ideológicos de “homens de esquerda”, como Manuel Alegre. São clubistas, mas não doutrinários. Para eles, a política só faz sentido no governo. A fim de lá chegar, estão prontos para tudo, como se viu em 2015, quando, após perderem as eleições, aproveitaram a disponibilidade dos inimigos históricos da actual democracia europeia para formarem uma maioria parlamentar. A acreditar nalguma coisa, acreditam nos maquinismos do poder. A sua maneira de governar consiste, por isso, em ocupar o Estado, manipular a comunicação social, controlar bancos e empresas. José Sócrates é, a esse respeito, muito mais representativo desta geração do que agora lhes convém admitir».

Reitor me confesso

Centeno e... Fuga

Aproxima-se ciclo com taxas de juro mais elevadas. Quem o diz é Mário Centeno. No seu melhor. Antes de se pirar?

Legionella e... Bandalheira


O número de mortos subiu para três. E o número de infectados aumentou para 43. E o governo e o ministro da Saúde continuam a reagir. E o hospital São Francisco Xavier permanece aberto.  E a bandalheira continua...

What else?

segunda-feira, novembro 13, 2017

Panteão e... Lucidez

Entre muita e muita coisa escrita, opiniões sempre válidas e legítimas, umas melhores que outras, vale a pena destacar o comentário de #RicardoCastanheira no Facebook: «MUITA PARRA E POUCA UVA!.. Se apenas um décimo (repito, um décimo) dos indignados com o episódio do Panteão alguma vez o tivesse visitado e soubesse quem ali jaz (além da Amália e do Eusébio), aí sim, seríamos um país do caraças!!!».

Portugal hoje: patriotismo de teclado

Um Governo queixinhas

Jornais, bancos e diplomacia


Isto é teatro do absurdo


Os partidos contra a modernização do país

What else?

domingo, novembro 12, 2017

Sonolentos hoje, criminosos amanhã


#estudasses

«Experimentem introduzir no Google a frase "estudo conclui que..."».

Fantasmas divertem-se

«Pior do que jantar entre morto sé governar mortos-vivos».

O Estado negligente


Da vergonha perdida e por perder

Mariano Rajoy, o fundador do país catalão

What else?

sábado, novembro 11, 2017

Lisboa Fora De Horas

«Nos néons das fantasias da noite à táxi driver, com pessoas e divertimentos vulgares à mistura, esconde-se por vezes, um submundo de crime violento e organizado, de disputa entre gangues pelo controlo dos negócios milionários da noite. O desfecho de um caso antigo, conhecido como o “Polvo” ou a “Máfia Lisboeta”, devia ter mudado as práticas de prevenção e de segurança públicas da responsabilidade do Estado. (...) Sem fazer extrapolações indevidas para atuais casos concretos, estamos mais uma vez perante o mesmo problema: não chega a repressão pontual isolada das autoridades judiciárias, como a experiência nos ensina. Numa Lisboa “after hours” não é possível manter fora de controlo fenómenos tão perigosos, parecendo-nos inadiável pôr termo à cronica atitude de passividade do Estado, também nesta área, enquanto garante da segurança da comunidade».

Capítulos ocultos

#lagarta

Não se incomodem, não se passa nada

Como ser magro em Portugal

Solidariedade e... Soninho

Quem pode estar inquieto com o futuro num país tão solidário...

É Sábado! What else?

sexta-feira, novembro 10, 2017

A vida vale a pena

Urban e... ASAE

Devastação emocional

«Mesmo sem nada a explicar, ficava bem a Pedro Dias um pedido de desculpa».

Star Wars

Mais uma nova trilogia.

Anestesia geral


Os novos beatos do Web Summit

What else?

quinta-feira, novembro 09, 2017

Legionella e... Complacência

As mortes provocadas pelo surto de legionella têm merecido da parte do governo uma reacção tão blasé quanto a complacência demonstrada pela generalidade da comunicação social em relação a (mais) este verdadeiro atentado contra os portugueses. O que outrora era apelidado de "cortes criminosos", e com toda a razão, é agora tratado quase como um incidente menor. Se é este o Estado Social que a esquerda e a extrema esquerda têm para oferecer... E se é este o modelo de escrutínio da generalidade da imprensa... E se é esta a responsabilidade política dos representantes e gestores públicos...

O PCP desapareceria se se afastasse da revolução

Os parolos e os pacóvios

Crime ou delito de opinião?

Estado Social: Pior que a troika é possível

What else?