MAIS ACTUAL

Rui Costa Pinto - Jornalista/Editor/Publisher

terça-feira, agosto 23, 2016

Parece que não se pode falar de Angola porque vivem lá portugueses

Angola. Saíram da prisão, mas perderam tudo

Imunidade para o crime

Congresso do MPLA? Não, obrigada

Marcelo mudo depois de choques q.b. e de tanto abraço (em actualização)

Chamava-se Joaquina Borrata. A sua morte, no passado dia 17, no Hospital de Montijo, em condições a roçar o criminoso, não causou qualquer choque a S. Exª. o presidente da República. Mais ocupado com outro choque, como a agressão em Ponte de Sor, Marcelo Rebelo de Sousa continua em silêncio sobre o caso Galpgate ou Euroviagens, apesar de ter prometido pedir explicações ao primeiro-ministro, António Costa, no passado dia 7 de Agosto. E 15 dias depois... Nem uma palavra! Nem mesmo depois de a PGR anunciar um inquérito no Expresso. Deve ser por estar a descansar dos choques selectivos e de tanto abraço... 

Ponte de Sor: do crime à vergonha

Depois do choque presidencial, pois Marcelo Rebelo de Sousa até telefonou para o hospital para se inteirar do estado de saúde Rúben Cavaco, veio a deslocação do embaixador do Iraque ao MNE, à última da hora, quiçá, sem hora marcada. O ministro Santos Silva, hoje, com ar cândido, de Faro, como convém à época estival, manifestou surpresa com os novos factos relevantes transmitidos ao chefe de protocolo dos Negócios Estrangeiros, obviamente reportados prontamente ao Ministério Público. Chama-se Rúben Cavaco, Quatro dias depois do jovem de 15 anos ter sido internado, correndo perigo de vida, se tudo isto não é para rir, então só pode ser para chorar. De vergonha!

segunda-feira, agosto 22, 2016

Nicolas Sarkozy de volta

E depois de Hollande... É claro que Sarkozy tem espaço.

Operação Marquês: Lino e Drey

É somar e seguir, com velhos conhecidos... de Sócrates.

António Costa: entre a remodelação e a tentação

O primeiro-ministro já percebeu que tem de efectuar uma remodelação governamental. Há ministros e secretários de Estado que se revelaram um completo erro de casting. Mas há mais. Entre a teimosia e o desastre económico também há a tentação de fazer eleições antecipadas, à boleia das críticas (combinadas?) do Bloco de Esquerda e do PCP. Agora, sim, agora vamos ver quanto vale o tal "génio" político de António Costa.

Imunidade diplomática. Licença para matar

Um lugar ao sol


A excursão ao Rio

«Portugal gastou 17 milhões de euros com a participação no Rio».

domingo, agosto 21, 2016

Uma virgem chamada António Costa

Uma imagem

Santos Silva e a tragédia de Ponte de Sor

Para melhor compreender a (in)acção do MNE talvez fosse interessante saber quais são os negócios entre Portugal e o Iraque. Ou então perguntar a Ângelo Correia, pode ser que saiba alguma coisinha... O  algodão não engana, pois não?

Ministro da Defesa: político inimputável?


sábado, agosto 20, 2016

Cumbu


Cristas altifalante de Portas

Depois das críticas arrasadoras de militantes do CDS-PP (desde José Ribeiro e Castro a Filipe Lobo d'Ávila) aos devaneios de Paulo Portas e Hélder Amaral no último congresso do MPLA, a líder do CDS-PP ensaiou uma resposta (tardia). Interesse nacional? Aproximação de Estados? Ficou claro que Assunção Cristas passou a altifalante do seu antecessor.

A que informações vai o Fisco ter acesso?

Albergues espanhóis


Caos na Saúde... E o ministro abre mais um inquérito


Adalberto Campos Fernandes continua a resistir aos escândalos na Saúde: Joaquina Borrata, de 68 anos, morreu na urgência do hospital do Montijo, após cinco horas à espera de ambulância para ser transferida para o hospital do Barreiro. E o ministro manda abrir mais um inquérito. Para o XXI governo constitucional é esta a ética republicana e a responsabilidade política. Até quando?

sexta-feira, agosto 19, 2016

A maldita sorte de Passos Coelho

Jornalistas de Angola acusam MPLA de querer “censurar” as redes sociais

Manuel Monteiro: e depois de Portas?

Manuel Monteiro fez uma intervenção dura sobre Paulo Portas, com inteira legitimidade e razão. É um bom regresso à ribalta mediática. Mas Paulo Portas já não é governante. É de esperar a mesma firmeza em relação a António Costa e restantes membros do XXI governo constitucional. Agora e depois de irem à sua vida privada.

Silêncio à esquerda. Não há fogo amigo contra o PS

Manuel Monteiro. “O CDS rendeu-se aos interesses de Paulo Portas”

Grandes remédios


Movimento democrático

Festas do Mar 2016

É Programa para quem quer e gosta de Cascais.

quinta-feira, agosto 18, 2016

[673.] RTP, Sagres, Licor Beirão, Casal Garcia, Super Bock

A dra. Assunção não é angolana, dr. Hélder

António Domingues não é Fernando Ulrich?

António Domingues não chegou lá pelo jornalismo, pela política ou por Belém. Por isso é de estranhar o seu silêncio face às humilhantes exigências do BCE. Ou melhor: ou caderno de encargos é muito grande, ou então Viva Espanha.

Caixa. Oito administradores chumbados pelo BCE

Até onde pode chegar a humilhação de governo e gestores?

Portas dá consultoria no Parlamento


Poço sem fundo


EM BREVE

AS BOAS OBRAS, de Susana Martins, com prefácio de Guilherme D'Oliveira Martins.

quarta-feira, agosto 17, 2016

Jerónimo de Sousa: o quem tem o PCP a ganhar?

O líder do PCP avisou solenemente: «Tudo o que seja este caminho de prosseguir essa reposição e conquista de direitos, o PCP estará presente. Como compreenderão, qualquer inversão deste caminho, reversão, voltar para trás, como o PSD atualmente defende e propõe, naturalmente não estaremos de acordo». A declaração, proferida solenemente à saída de Belém, vai esbarrar com a realidade, por exemplo com a mais recente pirueta de António Costa: «Pensões e Estado: Subsídio de Natal poderá continuar em duodécimos». É caso para perguntar: o que tem o PCP a ganhar em continuar a apoiar um governo do PS que falha as promessas eleitorais e, obrigado pela realidade, mantém medidas do anterior governo do PSD?

A ministra da festa cor-de-rosa e da reforma agrária

Operação Marquês: homem que antecipou o fim do GES

Oposição precisa-se

Caso Galp. Finanças e Economia assobiam para o lado

Crescimento económico


Fogos: vai uma aposta?


terça-feira, agosto 16, 2016

Avança, Paulo

Os corruptos estão certamente contigo.

Começou o grande incêndio

«DBRS. Fraco crescimento pressiona Portugal».

Vem aí o milagre das rosas?

«Governo estima défice de 2,5% com crescimento pela metade».

Agora está tudo bem

Passos, PIB, fogos. Quatro notas do meio de agosto



Um novo olhar para a floresta e o território

Ainda as subvenções

segunda-feira, agosto 15, 2016

Costa ao colo ou é do tempo e do fumo?

Quem assiste à televisão e ainda se dá ao trabalho de ler jornais, certamente fica espantado: Nos fogos e/ou nos números da economia, o primeiro-ministro até se dá ao luxo de se contradizer, sem que ninguém o questione. Até as declarações, com números e premissas fantasiosas, passam de uma forma acéfala. Mas o enfado do primeiro-ministro a falar do plano florestal e da evolução das finanças e da economia ultrapassa o limite.

TIAC apela à transparência das despesas do Estado com combate aos incêndios

«Provenientes do erário público, são gastos anualmente centenas de milhões de euros no combate aos fogos, sem que a opinião pública disponha de informação clara e transparente sobre o destino e os beneficiários destas verbas milionárias. Só no Orçamento de Estado de 2016 estão previstos cerca de 200 milhões para o combate aos incêndios, a que irão certamente acrescer muitas outras verbas públicas, atendendo até à dimensão dos fogos este verão. A informação sobre o destino destas verbas é escassa, quase secreta, e os poucos dados de que dispomos são preocupantes. A Direção da Associação Transparência e Integridade vem assim fazer um apelo público ao Parlamento, ao Governo e ao Tribunal de Contas para que divulguem e discriminem todos os gastos com os combates a incêndios. A bem da transparência da vida pública, urge divulgar esta informação e avaliar o mérito dos gastos efectuados».

Costa agradece aviões parados

Deve ser a maior anedota do verão 2016. António Costa vai a Monte Real agradecer a ajuda internacional, depois da notícia: «Avião russo e canadair marroquino parados na base de Monte Real». Ou ainda melhor: mais um exemplo da política com falta de transparência e o maior descaramento. 

Bofetadas vs. caso Galp. Porque se demitiu Soares?

Os contratos não são para cumprir

«Com a administração central já não basta a palavra, nem a assinatura, nem mesmo o cheque. Exijam numerário!».

Negócio do fogo

Ministra criativa

«A ministra da Administração Interna teve uma ideia genial».

domingo, agosto 14, 2016

Procura-se um militar a combater os fogos (2)


António Costa também já tentou decretar encerrada a polémica sobre o desnorte no combate aos fogos, mesmo com o país a continuar a arder. E não lhe interessa nada a impreparação e a incompetência da ministra da administração Interna e do ministro da Defesa (especialistas apontam mais uma guerra de capelinhas) que muito sofrimento continua a custar aos cidadãos. Mas, como o primeiro-ministro já não tem autoridade para meter os seus ministros e secretários de Estado na ordem, agora é que vai ser... E segue a tragédia!

P. S. Entretanto, continua a procurar-se um militar a combater os fogos. E já lá vão vários dias.

P. P. S. Com centenas de cidadãos e bombeiros extenuados e a arriscar a vida E depois de muitos milhares de hectares de área ardida.

P. P. P. S. Depois da comunicação de tretas e mais tretas, a Defesa lá se começou a admitir que a Força Aérea está de fora do combate. É um começo...

P. P. P. P. S. Para ficar ainda mais claro que o governo de 2016 não é muito diferente do governo de 2005, em que prestar informação transparente e rigorosa aos cidadãos é para os ministros despiciendo, só falta Santos Silva vir elogiar a sua invenção...

Passos Coelho: simples, eficaz e directo

Ajudado pelo últimos números negativos da economia, Passos Coelho fez um discurso simples, eficaz e directo,  abordando os pontos essenciais do desastre da governação socialista com o apoio do bloquistas e dos comunistas. Mas ainda sem dar sinal de ter percebido os erros desnecessários da governação do anterior governo. E depois de um pesado silêncio nas últimas semanas.

Passos Coelho ignora Forças Armadas

O líder do maior partido da oposição agradece aos cidadãos, bombeiros e autarcas. E ignora papel (fantasma) das Forças Armadas no combate aos incêndios.

Montenegro apareceu

Não, não foi por causa da viagem/jogo à pala da GALP. Foi por causa do Pontal.

Doping das prendas

sábado, agosto 13, 2016

Fogos: militares combatem às escondidas?

O ministro da Defesa insiste em confundir a muito meritória acção dos militares na assistência às vítimas dos incêndios e a participação activa dos militares no combate aos fogos no terreno. Apesar de todas as evidências, desde as declarações de Jaime Marta Soares (presidente da Liga dos Bombeiros) a Fernando Curto (presidente da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais), Azeredo Lopes tenta disfarçar a incompetência da Defesa para ajudar a Administração Interna numa situação de catástrofe nacional. E obriga as Foças Armadas a um papel meramente assistencial e decorativo. É pouco, muito pouco. As Forças Armadas podem e merecem mais.


P. S. Dias a fio depois da tragédia, ninguém consegue ver os militares a combater os fogos no terreno. O mistério é adensado pelo simples facto de o ministro da Defesa nunca ter dito onde é que eles estão, distrito a distrito, fogo a fogo, limitando-se a atirar uns números para o ar e umas fotos (antigas?) sem data e identificação. Será que os militares estão a combater os fogos no terreno, ao lado das populações e dos bombeiros, às escondidas, quiçá, clandestinamente, à noite, longe dos olhares dos jornalistas e das câmaras das televisões? Ou então viraram fantasmas... Sem gravata, pois claro!

Nova administração da Caixa? “Parece que se perdeu a vergonha

sexta-feira, agosto 12, 2016

Fogos, incompetência e arrogância

Os fogos, a incompetência e a arrogância são um cocktail explosivo em Democracia porque tocam a alma do povo. Infelizmente, o primeiro-ministro deixou de ter autoridade e controlo na sua equipa governamental. Depois de deixar passar o caso Euroviagens, mantendo a confiança nos secretários de Estado que viajaram à pala da GALP, qual é a legitimidade e autoridade de António Costa para colocar um ponto final a uma guerra de capelinhas ou para demitir a ministra da Administração Interna e o ministro da Defesa? Por isso ainda há quem ouse brincar com o sofrimento dos cidadãos e com o princípio da responsabilidade política...

Marcelo e Costa escondem

A mentira tem pé curto. E apesar da catástrofe, o governo ainda não mobilizou os militares para o combate aos fogos no terreno, para ajudar os cidadãos e os bombeiros. O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, sempre bem informado sobre todos os dossiers do país, os publicamente conhecidos e os outros, ainda não referiu, uma decisão governamental inexplicável. Fernando Curto: presidente da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais, fez, hoje, o apelo: «Militares deviam estar já envolvidos no rescaldo». Se António Costa pudesse fazer alguma coisa, obviamente, que teria que passar pela demissão dos ministros da Administração Interna e da da Defesa.

Governo das esquerdas e os Beriev

Os Kamov já eram. Que saudades dos negócios. Agora é a vez dos Beriev Be-200 Altair.

Procura-se um militar a combater os fogos

Já lá vão vários dias. Com centenas de cidadãos e bombeiros extenuados e a arriscar a vida E depois de muitos milhares de hectares de área ardida. Passam os dias e nem um militar foi visto a combater o fogo no terreno. Não admira que Azeredo Lopes continue  no ar condicionado. E calado. E nem RTP, nem Lusa... Deve ser por estar tudo controlado, no continente e nas ilhas.

Fogos: Quando Costa mandava, mas um pouco menos

Ai Costa, Costa! O negócio... Um secretário de Estado ainda vale alguma coisa.

Marcelo e Costa fazem jus à "silly season"

Outro grande incêndio

«Crescimento da economia portuguesa estagna no segundo trimestre».

Marcelo com os bombeiros: o grande abraço

A ministra, a flash e os fogos

Foi noticiado que a ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, preferiu uma festa da revista Flash a estar concentrada em coordenar os meios necessários para combater os incêndios. Só falta mesmo sermos informados que o primeiro-ministro e os ministros do Ambiente, Planeamento e Defesa também lá estavam. Ficava mais fácil engolir tanta desculpa esfarrapada.

P. S. A senhora ministra está descontente com a ajuda europeia. Ah, como os portugueses devem estar descontentes com Constança Urbano de Sousa.

Costa e a preocupação do turismo

O primeiro-ministro, e muito bem, deslocou-se à Madeira para se inteirar o que resta de verde na ilha. E, entre umas banalidades de circunstância, sem nunca denunciar a incúria de quem devia prevenir, proteger e agir rápida e eficazmente à tragédia, lá foi avisando que é preciso uma promoção da ilha da Madeira por esse mundo fora. É de mais! Ainda não percebeu que não há dinheiro que apague os momentos de aflição vividos, nacionais e estrangeiros?

Coisas

quinta-feira, agosto 11, 2016

Parada militar vale tanto como catástrofe nacional

Entre 500 a 700 militares receberam Marcelo Rebelo de Sousa, presidente da República, comandante supremo das Forças Armadas, em parada militar, em Mafra, no dia  21 de Março de 2016. Sensivelmente o mesmo número de militares destacados, em Agosto de 2016 (aparentemente, pois não se sabe bem para onde, nem ninguém os viu), para socorrer os portugueses numa das maiores catástrofes com incêndios em Portugal.

Fogos: vai mais um abraço de Marcelo Rebelo de Sousa?

O caos é grande. A aflição ainda é maior. E os prejuízos pessoais e patrimoniais são incalculáveis. Menos de 2% dos efectivos das Forças Armadas portuguesas não equivalem a uma mobilização e/ou a uma resposta adequada à tragédia que se está a abater sobre Portugal. Não admira que não haja uma única reportagem com militares ao lado das populações e dos bombeiros. E ainda nos querem deitar areia para os olhos?

Deverão os meios militares ser usados no combate aos fogos?

RTP: e nem uma imagem de militares a combater o fogo

Então só há imagens de populações e bombeiros desesperados a combater os incêndios. Nem um militar a combater ao seu lado. Se calhar andam disfarçados de vermelho... Esperemos pelas fotos da Lusa...

Fogos: Dos abraços aos truques de Marcelo

O PR e comandante supremo das Forças Armadas foi dar um abraço à Madeira. Falou com todos e até com as criancinhas. Não se esqueceu dos senhores de verde (Forças Armadas?). Só não explicou quantos militares estão no terreno a ajudar as populações e os bombeiros à beira do limite. Ah, se fosse mais uma parada... Aliás, Marcelo Rebelo de Sousa também não abriu a boca para justificar o inexplicável silêncio do ministro da Defesa, porventura resguardado no ar condicionado.

A Madeira em chamas e Albuquerque em alucinação

Forças Armadas: os fogos no terreno queimam

Enquanto o país arde, aos olhos de todos os portugueses, quantos militares estão no terreno a ajudar as populações e os bombeiros exaustos? E estão em que locais? Com que meios? O ministro da Defesa está de férias? Os generais não podem ser incomodados? Os militares têm medo de se queimar?

Petição para criminalizar a incúria dos governantes

Anda tudo preocupado em aumentar a pena dos criminosos que lançam fogo às florestas. E que tal começar a pensar em avançar com uma petição para criminalizar a incúria dos governantes?

O que prometeu Costa na Administração Interna?

Seria interessante recordar o que António Costa disse e prometeu, em 2005, quando era ministro da Administração Interna. Interessante, sim, mas se calhar fazer jornalismo pode queimar tanto como os incêndios.

Realidade aumentada

O que falta para mobilizar as Forças Armadas?

Em tempos de catástrofe nacional, o que falta para mobilizar as Forças Armadas? Não devia ser necessário mais e mais hectares de floresta ardida e  mais mortes para mobilizar Forças Armadas para ajudar os bombeiros no terreno.

Galpismo impune

quarta-feira, agosto 10, 2016

Sporting: dos fogos à fome em Angola?

O meu clube vai fazer uma recolha de fundos por causa das vítimas dos incêndios de 2016. É uma ideia com futuro tais são as desgraças por cá e por esse mundo fora. Que tal aproveitar o balanço e promover uma iniciativa semelhante para apoiar o povo angolano condenado à fome por causa de uma elite corrupta que desvia de dinheiro dos cofres públicos, quiçá, para investir em fundos e clubes de futebol.


P. S. O convite a Marcelo Rebelo de Sousa poderia abrilhantar a coisa.

Incêndios são prioridade, “Galpgate” empurrado para setembro

Assim vai o país e as suas prioridades.

Costa e Telma: só falta o Figo

António Costa loves Telma Monteiro.
Telma Monteiro loves António Costa .
Eleições antecipadas? Pequeno-almoço e contrato publicitário à vista?
Há quem lhe chamasse um Figo...

Marcelo lava mais branco


Este era o ano, apurou o presidente da República. Não faltavam meios para combater os incêndios... Problema: o país está a arder! Desculpa: a surpreendente vaga de calor. Mentira: os portugueses, pelo menos aqueles que passam férias em Portugal, e não aparecem nas revistas cor de não sei o quê, conheciam as previsões meteorológicas. Só Marcelo, o governo e a protecção civil é que foram apanhados de surpresa pela vaga de calor. Não há paciência para este lava mais branco presidencial...

Constança Urbano de Sousa apareceu

Com desculpas e justificações. Com a mesma arrogância do chefe. Antes de se demitir?

P. S. Será que António Costa vai aguentar até ao limite a ministra da Administração Interna, tipo só se pede ajuda internacional para combater os incêndios depois de esticar os meios existentes até ao limite...

Miguel Albuquerque: demita-se!

Substituiu Alberto João Jardim na liderança do governo da Madeira. É do PSD. Advogado, especializado em Direito Criminal e Direito de Família, colecionador compulsivo de roseiras antigas e modernas, certamente protegidas de qualquer fogo, já deve ter percebido, depois de uma conferência de imprensa desastrosa (para salvar a pele da ministra da Administração Interna do XXI governo constituicional?), e do descalabro e mortes na Madeira, já deve ter percebido que chegou a hora de apresentar a demissão. Já!

Onde anda o ministro da Defesa?

Com o país a arder, já sabemos que o PM e as tutelas do Ambiente, do Ordenamento do Território e da Administração Interna não contam para fazer muita coisa. Não terá chegado a hora de mobilizar as Forças Armadas perante este cenário de calamidade? A propósito, o onde anda o ministro da Defesa?

Portugal desgraçado: da arrogância de 2005 ao cabotinismo de 2016

O primeiro-ministro, depois de umas férias, que não foram interrompidas apesar das circunstâncias excepcionais, falou pela primeira vez sobre a polémica dos governantes que foram ver jogos da seleção nacional, a França, pagos pela Galp. E sustentou que o caso está "devidamente encerrado", num reiterado gesto de provocação a todos os portugueses, que explica muito do que se passou em 2005, com a primeira maioria do PS. Agora, para cair a máscara do actual regime, só falta Marcelo Rebelo de Sousa, pedir explicações ao PM para melhor branquear a realidade do que se passou e continua a passar.

P. S. Apesar de tudo o que já foi dito e ainda se vai saber, não faltam cabotinos a continuar a defender que os secretários de Estado e os deputados, que viajaram à pala da GALP, não têm razões para apresentar a demissão ou serem demitidos.

Amizade dos “enganados” pelo Ocidente

O estertor moral da geringonça e companhia

E tudo o governante reembolsou

Os fogos de Costa

O que não fazer quando tudo arde *



* Este texto tem seis anos. Foi publicado originalmente neste jornal a 13 de agosto de 2010. Lamentavelmente, continua atual. O que prova que a nossa apetência natural para discutir os problemas continua a ser desproporcional à nossa capacidade para os resolver. Em 2022 falamos.

terça-feira, agosto 09, 2016

O país a arder, o negócio e os políticos de férias

Não há nada mais cínico do que os elogios aos bombeiros quando o país está a arder (será por causa do negócio?). E nem se dão ao trabalho de interromper as férias. Aliás, como se chamam os ministros do Ambiente e do Ordenamento do Território?

segunda-feira, agosto 08, 2016

Presença de portugueses aumenta tensões na Sonangol

MP pede condenação dos quatro argelinos que invadiram aeroporto

Assim vai a Justiça, em Portugal. Com um qualquer procurador às ordens do superior, logo da PGR,  Joana Marques Vidal. E, sempre, sempre implacável com os fracos e os desvalidos, mesmo com pena suspensa. Ah, é preciso cumprir a Lei! Os refugiados são outra loiça, desde logo porque estão sob os holofotes do que resta da comunicação social. Face a esta notícia, à la limite, até parece que um "artista" que se passou para uma qualquer secreta tem mesmo poder... Felizmente, ainda há juízes.

O Governo que persegue juízes

Portas: estoy hasta la madre*

Paulo Portas, no início da sua aventura empresarial, tudo por Portugal, pois claro, colecciona cargos. Depois da Mota-Engil, a petrolífera mexicana PEMEX. 
* Estou até aqui… (tradução)

Presidente brasileiro ignorado

Deve ser a primeira vez, na história das relações entre Portugal e o Brasil, que um presidente da República de Portugal ignora o seu homólogo brasileiro, durante uma visita oficial ao Brasil, correndo o risco de ser entendido como uma atitude favorável a Dilma Roussef e ao Partido dos Trabalhadores. E tudo sem uma explicação oficial ou oficiosa. Deve ser da transparência...

Odebrecht envolve Temer e José Serra em delação

O cancro do planeamento urbanístico

O otimismo de Marcelo


O inferno fiscal português


O caso do aeroporto


A crise já vem a caminho?

domingo, agosto 07, 2016

Explicando o que deveria ser inexplicável: um problema de cultura política

Elegia para a Europa

Somos cristãos

sexta-feira, agosto 05, 2016

Ex-ministro de governo do PS sobe a parada

Diogo Freitas do Amaral, ex-ministro de José Sócrates, defendeu a demissão dos secretários de Estado que viajaram à pala da GALP para ir ver os jogos do Euro 2016. E ficou aberta uma nova frente na polémica: António Costa pode demiti-los sem desautorizar Santos Silva? Ou melhor: se os governantes se demitirem, Santos Silva pode continuar em funções?

ONU não é melhor do que a Goldman Sachs

Santos Silva e a memória de 2005 (2)

Depois de ter dito que o assunto estava encerrado, Santos Silva lá foi no dia a seguir à SIC dizer outra vez que o assunto está encerrado. O escândalo Euroviagens está vivo e bem vivo tal é a expressão popular de indignação dos portugueses, aliás claramente traduzido pela posição frontal de Assunção Cristas. E já la vai o tempo em que havia dinheiro para tentar comprar e calar as vozes discordantes e críticas. Ainda mais triste é que o número dois do XXI governo constitucional reincidiu no insulto à inteligência dos portugueses, mantendo os argumentos típicos de um energúmeno. E ficou a novidade: revelou que avocará qualquer projecto da GALP no âmbito do AICEP. Américo Amorim deve ter percebido a mensagem.


P. S. Já nem a RTP consegue disfarçar o incómodo com o silêncio de António Costa.

Três homens fortes do sector da energia recusaram convites da Galp para o Euro

Marcelo e Manuel Domingos Vicente: tudo pela transparência

Sendo o vice-presidente de Angola quem é, Marcelo Rebelo de Sousa, presidente da República, devia informar os portugueses qual o carácter e os tópicos da reunião com Manuel Vicente. Mas para já nada (consulta página oficial da Presidência da república às 16:30 TMG). A conversa terá sido sobre algum Banco? A Sonangol? A Mota-Engil? Os diamantes de sangue? José Sócrates? Hélder Bataglia? Isabel dos Santos? A situação internacional? Os Direitos Humanos em Angola? Os Jogos Olímpicos?

Assunção Cristas marca a diferença

Enquanto os líderes do PS e PSD enterram a cabeça na areia num qualquer areal do Algarve, a líder do CDS quer ouvir Governo no parlamento sobre viagens Galp.

JSD de Braga ataca

O código do cinismo


Euroviagens: e os comentários continuam

Malandros!, gritam uns, exigindo a demissão. Coitados!, respaldam outros, acrescentando que devem pedir desculpas. E PS e PSD lá continuam a manter a ética republicana à la carte. Entretanto António Costa e Pedro Passos Coelho estão de férias a assobiar para o ar. E Marcelo Rebelo de Sousa fez uma declaração encriptada, no Brasil, para todas as leituras (deve ser por causa da devolução do cheque!). Vai ser interessante ouvir os comentários outros comentários, designadamente de Santana Lopes e António Vitorino.

O pagamento dissipa as dúvidas? Não. Agrava-as!

Onde estão as elites políticas?

Pior Título do Dia

«Valeu a pena pedinchar, Rui».

quinta-feira, agosto 04, 2016

António Costa e Passos Coelho: silêncios pesados

Os silêncios pesados do primeiro-ministro e do líder do maior partido da oposição são esclarecedores do ponto a que as instituições e a classe política chegaram. António Costa e Pedro Passos Coelho, um por causa de 3 secretários de Estado, o outro por causa dos 3 deputados que também foram ver os jogos do Euro 2016 à pala da GALP, bem podem esconder-se numa qualquer praia do Algarve. É nestes casos que se consolida a diferença. E, de facto, para já, infelizmente, ela não existe no fundamental.

Carne para canhão

O imposto sobre janelas, à portuguesa

Santos Silva e a memória de 2005

A conferência de imprensa do ministro Santos Silva foi tão triste que só merece uma breve referência porque nos fez voltar, por apenas uma fracção de segundo, aos tempos que se viveram depois da primeira maioria do PS em 2005. Esta espécie de políticos que assaltaram um PS ideologicamente abandalhado e marcado pela corrupção ainda julga que pode "encerrar" quando lhes apetece a indignação dos portugueses. Este governo merece os secretários de Estado que foram ao Euro 2016 à pala da GALP. E também merece este ministro que não tem, nem nunca teve, um pingo de vergonha política. Bastou ouvi-lo, hoje, para o comprovar.

Morrer de sucesso

Três secretários de Estado viajaram com a GALP

Com a actual ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, não passa pela cabeça de ninguém que os governantes que viajaram ao Euro 2016 à custa da GALP continuem em funções. Já em relação ao MP, liderado por Joana Marques Vidal, depois de alguns tropeções, é ver para crer, apesar da lei em vigor ser clara e não ser expectável mais um pedido de parecer aos serviços jurídicos de São Bento.


P. S. António Costa não comenta. Deve ser por estar de férias.

Constitucionalista Jorge Miranda defende demissão de secretário de Estado

«É inadmissível. É uma falta de ética espantosa. [Fernando Rocha Andrade] devia demitir-se».

E Marcelo não visita Michel Tamer?

Marcelo Rebelo de Sousa, em viagem oficial ao Brasil, como se pode verificar na página oficial da Presidência da República, ainda não divulgou a lista de contactos institucionais. Será possível que não se encontre com o seu homólogo, Michel Tamer? Ou que não fale com Lula da Silva ou Dilma Roussef? Ou será que vai ser às escondidas, durante cinco minutos, no último dia da viagem?

Rocha Andrade, o sol e as sombras da matéria

Ou se demite ou é demitido

A pergunta decisiva

CDS pede demissão do secretário de Estado dos Assuntos Fiscais

Américo Amorim e Joaquim Oliveira já devolveram os cheques?

Depois da barraca do imposto sobre o sol e as vistas e da viagem ao Euro 2016 com o alto patrocínio da GALP, Rocha Andrade ainda está em funções. E o que dizer da outra barraca, com os deputados do PSD, merecedores também da generosidade de Joaquim Oliveira?


quarta-feira, agosto 03, 2016

Marcelo no Brasil

O presidente da República vai estar no Brasil nos próximos seis ou nove dias. E, oficialmente, para já, não há agenda de quaisquer contactos institucionais. E por que razão a deslocação ao Brasil não consta da página oficial da Presidência da República (consulta às 20:00)? Será que é uma brincadeira de Verão ou já não há limites?

Rocha Andrade conta com Amorim

Título do Dia



«Costa lança saque de milhões no IMI».

O sol não é socialista

O Estado mais desonesto da UE

O perigo de combater o terrorismo cegamente

A coragem de Angela Merkel

O imposto solar


terça-feira, agosto 02, 2016

Esquerda palavrosa, sem alma, coragem e coerência

A contestação generalizada ao agravamento do IMI aclara a verdadeira face deste PS amparado pelo Bloco e pelos comunistas. Não, não é a esquerda da terceira via. É muito pior. É a esquerda palavrosa, sem alma, coragem e coerência. Enquanto facilita a salvação dos Bancos e dos seus grandes accionistas, ataca a classe média de uma forma cobarde. E sempre com o povo e a justiça social na boca.


P. S. Rocha Andrade, secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, declarou que o novo imposto não tem como objectivo o aumento da receita fiscal. O ar desesperado e atabalhoado diz tudo.


P. P. S. Melhor e mais hilariante só mesmo a extraordinária acção "Pé na Areia".

Terrorismo: a pedrada no charco










Agosto: cumprir a tradição

A proposta do Fosun Industrial Holdings Limited para comprar até 30% do capital social do BCP e a alteração do cálculo do IMI  são apenas dois exemplos como em Agosto, mês de férias, tudo é possível, dos grandes negócios ao assalto à carteira dos contribuintes. É caso para dizer que o mês de Agosto de 2016 já está a cumprir a tradição. E ainda estamos só no dia dois. E nem o governo das esquerdas  faz diferente. 

PSD pede suspensão de novo diploma do IMI

Até o sol paga imposto

Trump pode ganhar?


segunda-feira, agosto 01, 2016

Moro critica desfaçatez

Na Irlanda é assim

‘Espanções’



Para além dos coletes bombas e dos drones

Não estraguem a galinha dos ovos de ouro

Falta de estilo

Constituição ou estupidez?


«José Sócrates voltou a colocar em cima da mesa o problema das subvenções vitalícias, que outrora se procurou limitar e fazer depender dos rendimentos e do património dos beneficiários. Mas lá estava a Constituição, em nome dos bons princípios, a definir que tem de ser para todos e em todas as circunstâncias, independentemente do dinheiro que tenham ou dos negócios que façam. Afinal, como estaria salvaguardado o princípio da confiança se um ex-ministro perdesse a sua subvenção pública apenas por ter na sua posse mais de vinte milhões de euros em dinheiro? Nem pensar… Agora até o que se diz nas televisões. Se alguém ousa identificar problemas existentes ou práticas negativas reiteradas na comunidade cigana ou nos refugiados tem de ter muito cuidado, pois a Constituição aí está para catalogar os racistas e os xenófobos dos comentadores». 

O fim do tigre de papel


O que têm em comum a universidade onde José Sócrates se licenciou e o caso José Veiga?