MAIS ACTUAL BLOG

Rui Costa Pinto - Jornalista/Editor/Publisher

domingo, outubro 22, 2017

Santana... Dark Blue

Santana até pode merecer uma segunda oportunidade. E até ganhar o partido. Mas com este discurso de candidatura à liderança do partido vai ser difícil ganhar o país. Seis anos não são suficientes para apagar as jogadas recentes e passadas....

Costa: com verdade

MP: um teste decisivo

Joana Marques Vidal tem sido um dos factores mais importantes para a recuperação da credibilidade da Justiça. A Operação Marquês é um exemplo. E o caso dos incêndios é um teste decisivo para confirmar a regra, como muito bem recorda o semanário "Sol":  «Incêndios. Governantes podem ser acusados criminalmente».

E lucevan le stelle...

Fotocópias na brasa


Puigdemont recusa plano de Rajoy, o “pior ataque” à Catalunha desde Franco

What else?

sábado, outubro 21, 2017

O fim do Mundo

Ah, Marcelo...


O inferno passou por aqui!

É Sábado! What else?

sexta-feira, outubro 20, 2017

O clube de amigos de António Costa

Bandidos e... Imagens

Entre o(s) mandante(s), o(s) executante(s) e o(s) cúmplices(s) de crime(s), bandidos na flor da idade, maduros, gagás ou de um outro calibre qualquer, nem sempre venha o diabo e escolha. Aliás, depois das lições dos últimos tempos, de Tancos e, agora, de Loulé, entre outras, repugnante é mesmo quem se esconde sempre atrás de alguém ou através de alguma coisa, desde a "mão invisível" ao escuro de uma betesga. Não existem imagens? É que valem mais do que mil palavras...

Chega de amadorismo

A bolha de Costa

O governo da desistência nacional

Cabeça e coração


O Mistério de Tancos


What else?

quinta-feira, outubro 19, 2017

Helena Roseta para António Costa

Uma enorme vitória?

As coisas estão mais complicadas para Costa

Operação Marquês: Ex-ministros terão sido "usados" por Sócrates em crimes de corrupção

Um homem, de facto, muito perigoso

Uma tragédia escolhida por nós

Tragédias inimputáveis

«É preciso fazer mais, muito mais».

Costa sem escudo

Eduardo Cabrita é o novo ministro da Administração Interna

«O até agora Ministro-Adjunto assume a pasta da Administração Interna. Pedro Siza Vieira, advogado e amigo de António Costa, é Ministro Adjunto».

What else?

quarta-feira, outubro 18, 2017

Costa pede desculpa

À boleia do PSD, do líder da bancada parlamentar, o primeiro-ministro de Portugal pediu desculpa aos portugueses. Finalmente!

Marcelo e... É a vida

Com o Bloco e o PCP a assobiarem para o ar, cabia ao presidente da República ter demitido o governo, e não atirar para a Assembleia da República o que lhe competia fazer, inquestionavelmente. Ainda assim o discurso de Marcelo Rebelo de Sousa, excluídos os floreados, cumpriu três objectivos: pediu desculpa, demitiu a ministra da Administração Interna e obrigou António Costa a engolir um gigantesco sapo. Fora outro primeiro-ministro, o presidente da República tinha na mesa de trabalho, ontem, às 21:00, o pedido de demissão do XXI governo constitucional. Mas Costa é Costa. E sair do poder... Só empurrado e à força, pois já todos sabemos como lá conseguiu chegar.

Esbulho sem vergonha

«O Orçamento do Estado para 2018 distingue portugueses de primeira dos de segunda. Se para os trabalhadores do público há descongelamento de carreiras e para estes e para os do privado a redução do IRS, para os denominados trabalhadores independentes, precários ou a recibos verdes, a situação é distinta». 

Os escombros de Costa

A teoria geral da impunidade total do PS

Os trocos

«Operação Marquês. Há mais 15 investigações».

What else?

terça-feira, outubro 17, 2017

Cristas e... Branqueamento iníquo

A devastadora estatística diz tudo sobre a total legitimidade política da iniciativa do CDS/PP. Para já, apenas Assunção Cristas percebeu a dimensão da tragédia, não com palavras - apesar de ser fácil apanhar a boleia da falta de vergonha política de António Costa, do estilo balofo de Marcelo Rebelo de Sousa e das suas quase ameaças na comunicação presidencial em Oliveira do Hospital -, mas com atitudes claras e frontais: a apresentação de uma moção de censura!

P. S. Mesmo no fim, Pedro Passos Coelho não consegue romper o seu próprio labirinto. 

P. P. S. A esquerda portuguesa - PS, Bloco de Esquerda e PCP - demorará muito tempo a ultrapassar a inimaginável e a iníqua tentativa de branqueamento do desastre nacional a que os portugueses assistem ainda estupefactos.



Piegas e resilientes: critérios

Em 6 de Fevereiro de 2012, em plena crise do Euro, Pedro Passos Coelho apelou aos portugueses para serem menos piegas. Cinco anos e oito meses depois, Constança Urbano de Sousa, a (ainda) ministra da Administração Interna, depois de 100 mortos provocados pelos incêndios, clama por condições para que os portugueses sejam mais resilientes. Interessante é verificar a reacção dos Media a ambas as declarações. Está tudo dito!

Costa e o marketing rasca

Em política não há coincidências. E o que parece é. A visita de António Costa à Unidade de Queimados de Celas dos Hospitais Universitários de Coimbra pretendia, porventura, mostrar aos coitados dos cidadãos que o primeiro-ministro está muito preocupado com vítimas que escaparam com vida aos incêndios. Mas o problema é que uma instituição oficial veio estragar o marketing tão refinado quanto rasca: o «Tribunal de Contas acusou o ministério da Saúde de falsear listas de espera, dificultando o acesso a consultas e cirurgias nos hospitais públicos. O relatório de auditoria demonstra ainda que aumentou o tempo de espera para a primeira consulta de especialidade e do tempo de espera pela primeira cirurgia».

Não é aproveitamento político: é respeito, é pudor, é sentido do dever

Cinzas e luto

«A desorientação na Proteção Civil chegou ao primeiro-ministro e isto é grave».

Que Mário Centeno não nos caia em cima

Estado de calamidade permanente

Mais de 60 mil hectares depois não há fogo

«Hoje é o primeiro de três dias de luto nacional».

Falha imperdoável

«António Costa está a dar um péssimo exemplo de impunidade no Estado ao segurar a ministra. Se em Pedrógão as falhas são inaceitáveis, desta vez são imperdoáveis». 

Rio e ... Mudanças

What else?

segunda-feira, outubro 16, 2017

O “DN” e a defesa de José Sócrates

Costa... E o poder

Poderia um político que chegou a primeiro-ministro depois de uma derrota eleitoral ter uma atitude politicamente digna no momento em que era indispensável pedir desculpa publicamente e sair pelo seu próprio pé? Não, claro que não! Estamos em Portugal! E António Costa continua agarrado ao poder... Pelo poder, obviamente!

Estratégia... E indecência

Por um segundo, vale a pena imaginar que António Costa tinha demitido Constança Urbano de Sousa depois da calamidade de Pedrógão! E até questionar: o que poderia o PM fazer, hoje, depois dos incêndios que mataram mais 32 pessoas e deixaram 56 feridos e sete desaparecidos? O mais extraordinário é que ainda existe, na esquerda ou na direita, nas redacções ou nos corredores do poder, quem continua a tentar justificar a incúria e/ou a elogiar um tão apurado sentido estratégico...

Entre os pingos da chuva

Marcelo... E?

O presidente da república cancelou a agenda até quarta-feira!
NÃO CHEGA!
É POUCO!
BASTA DE ATITUDES SIMBÓLICAS!

E a farsa continua...

Incêndios: quantas mortes mais são necessárias?

Repetimo-nos? As vezes que forem precisas

Dom profano

«O papel da Justiça é importante para fazer estes gangsters seletos pensarem duas vezes, mas nada substitui a ação de reguladores que realmente regulem, de jornalistas que questionem em vez de venerarem e de cidadãos que se recusem a votar em pessoas como estas».

What else?

domingo, outubro 15, 2017

Os Cúmplices Disto Tudo


Uma escuta aqui...


Pedrogão e (demissão) Costa

Fora Portugal uma verdadeira Democracia moderna, com um presidente da República para levar realmente a sério, e António Costa já teria sido forçado a apresentar a demissão após a divulgação do relatório sobre a tragédia de Pedrógão. Não, não é só por causa dos 64 mortos, mas também pelas suas responsabilidades na última década como ministro da Administração Interna. Pobre Constança e afins... Querem exemplos noutros países da Europa?

Pedrógão. Uma tragédia que pode salvar vidas no futuro

À espera de quê?

Braço direito de Lula terá recebido luvas da PT

Os instrumentalizados

What else?

sexta-feira, outubro 13, 2017

Alimentar a besta

«Seja Sócrates condenado ou não, uma coisa já é certa: os seus governos foram os mais totalitários da nossa democracia e atraíram oligarquias e a camorra como traça à luz. Talvez se faça justiça. Menos provável é que a nata se veja ao espelho, meta a mão na consciência e não a estenda para dar de comer ao próximo animal».

Sinais de vida

«Quando José Sócrates foi detido, começou o contra-relógio: falo de políticos ou comentadores que, dia sim, dia sim, perguntavam pela acusação. A manobra era óbvia: condicionar o trabalho da justiça. Mas era também mentecapta: os mesmos que denunciavam o atraso da acusação desconheciam por completo a dimensão (e a complexidade) do processo». 

À volta de Sócrates: ensaio sobre a cegueira voluntária

Os caminhos cruzados de Rio e Costa

Eureka! Temos Acusação! E agora?

À espera de Portas

Amigo de Sócrates, com honras de ser recebido ao almoço em São Bento, a partir da maioria absoluta de 2005, deve ter muito que dizer. Nem que seja sobre a Venezuela...

Podemos passar pelo “caso Sócrates” sem tirar lições?

Sócrates só pode ser julgado pela história?

What else?

quinta-feira, outubro 12, 2017

PS a uma só voz

«Não é normal que o PS faça de conta que não é nada com ele».
Henrique Neto ao i.

Os antigos donos disto tudo já sabem ao que vão...

Salgado e Sócrates

Simplesmente arrasador!

E a Operação Marquês ainda tem muito mais para revelar, designadamente os indícios/factos que estão a ser investigados no âmbito de 15 certidões extraídas.

Os donos que vendiam isto tudo


What else?

quarta-feira, outubro 11, 2017

Sócrates e ... Manganões enganados

Depois de tudo o que li e ouvi sobre a Acusação que resultou da Operação Marquês, chego à conclusão que existe uma nova classe de "vítimas" na cena mediática e política: os manganões enganados.

Rio e... Sinais

A marcação do anúncio da candidatura de Rui Rio para o dia em que foi conhecida a Acusação do processo Marquês é muito mais do que uma coincidência. É revelador que o candidato à liderança do PSD está fora, mesmo muito fora, do sistema. É um bom sinal.

A montanha não pariu um rato

No final só pode haver um

Santana e... Dark

Santana Lopes anunciou, publicamente, a sua candidatura à liderança do PSD no espaço de opinião que tem na SIC. É lamentável, mas foi uma escolha. Mas ainda mais sombrio foi uma das razões invocadas: a necessidade de fazer, entre outros, «pactos para as Obras Públicas»! É um mau começo. E muito Dark se visto à luz do anúncio da Acusação da Operação Marquês no dia seguinte.

José Sócrates acusado

Passos e... Aflições

Marcelo já teve que vir a público explicar que o almocinho com Santana não significa preferência e/ou apoio. Quem diria... À espera de um Rio...

Suspenso, logo existo

Catalunha: certezas e incertezas

What else?

terça-feira, outubro 10, 2017

Passos e... Restart

Escolher, assumir e afirmar prioridades, sem maquiavelice de pacotilha.

P. S. Em relação a ditirâmbicos, dichotes e demais canalhas avençados e ressabiados... Desprezo!

Catalunha: nem só de pão legal e razão formal vive o homem

Passos e... Confirmação

As lutas de bastidores já estão a revelar quem é quem!

Testar a influência das redes sociais nas eleições

«As redes sociais e a opinião publicada se acham sempre mais influentes e mais representativas do que realmente são. Nesse sentido, parecem-se».

Dois anos para fazer o que ainda não foi feito

É só para avisar que vou mudar de sexo

«Irá António Costa voltar a vender a alma ao diabo?»

What else?

segunda-feira, outubro 09, 2017

PSD: o futuro é já ali

A bala de prata de Santana. Será que acerta?



Santana em Belém

O título diz tudo: «Pedro Santana Lopes reuniu-se com Marcelo Rebelo de Sousa esta segunda-feira em Belém». Do candidato e... do presidente.

Indignidade do Estado

«Daqui a dias passam quatro meses sobre a horrível tragédia de Pedrógão Grande». 

Conserva familiar

«As personagens são tão vítimas como vilões numa sociedade absolutamente estratificada».

Passos e.... Sorte

Insegurança e falta de carácter: quem assiste aos sucessivos avanços e recuos só pode expressar votos de sorte, porque vai ser, mesmo, muito necessária no futuro. Quanto tempo perdido...

Como os media gostam do ‘sistema’

«O entusiasmo editorial por [Rui] Rio contrasta com o desapreço editorial por Passos [Coelho]».

What else?

domingo, outubro 08, 2017

Pastel de Nada


A Geração-Subsídio

«A regra mostra novas gerações incapazes, indolentes, preparadas para viver com salários baixos ou, melhor ainda, subsídios. Os jovens portugueses são cada vez menos, estão mal preparados e desistem com muita facilidade perante graus de exigência produtiva apontados a padrões elevados. Se António Costa quer lançar acordos de regime para a próxima década, convém encontrar parceiros que, indo para lá das obras públicas, sejam capazes de enfrentar esta que é a maior doença da nossa sociedade. Uma doença profunda que leva Portugal em lenta agonia até ao inexorável desaparecimento».

Como é que isto vai acabar?

«Como sairemos disto? Provavelmente com uma fuga em frente».

PSD. Um candidato prestes a saltar, dois à espreita e um clássico

Novos sonâmbulos ibéricos

A estatística e a política

Tectónica e Governo à Esquerda

A tentação de António Costa: eleições antecipadas

What else?

sábado, outubro 07, 2017

A última hipótese

O drama do PSD

Marcelo e Costa

«As autárquicas inauguraram a luta que interessa: entre a maioria que Marcelo tem e a maioria que Costa deseja».

“É hora de agir”

Um slogan perfeito para os dias que correm. E que diz tudo sobre Rui Rio.

Santana decide até domingo. Porque recuaram Montenegro e Rangel?

É Sábado! What else?


sexta-feira, outubro 06, 2017

PCP: a culpa é sempre dos outros

SIC: 25 anos

Parabéns!

Descongelados

O glutão Costa

«A geringonça dificilmente fugiria a um fim feio. Costa vai, certamente, dar-lhe um toque de urbanidade».

Tirar o chapéu

«A obstinação de Passos salvou o País – e cegou-o na oposição».

O direito deles

Passos e ... Ruptura

Há opções e decisões que custam, pessoal e/ou politicamente, como fazer uma ruptura para abrir um novo ciclo e uma outra janela de oportunidades. Mesmo sabendo que tem de pagar o preço da incompreensão de quem caminha olhando só para o seu próprio umbigo.

A política depois de Passos Coelho

What else?


quinta-feira, outubro 05, 2017

Sim, a Catalunha também é connosco

Manter o rumo!

Um exercício aritmético

O adeus de Passos Coelho

What else?

quarta-feira, outubro 04, 2017

O país um dia fará justiça a Passos Coelho

Fernando, somos menos agora

«Morreu um dos nossos. Fernando Diogo. 64 anos, jornalista, esteve muitos anos no Expresso. Quem o conheceu nunca se vai esquecer dele».

É agora camarada Jerónimo

Os resultados do PCP são um enorme empurrão ao líder do PCP.

One man tchau

Barcelona. Até a Sagrada Família fechou na greve geral

Jerónimo descarta "geringonça" em Lisboa

Passos vs Rui Rio

Esquerda, direita e vice-versa

What else?


terça-feira, outubro 03, 2017

Filipe VI já era

Nunca a monarquia espanhola esteve tão perto do fim. O discurso desastroso e desastrado de Filipe VI só vai servir para cumprir o sonho da Catalunha independente. Longe vão os tempos da prudência e do timing de Juan Carlos, consciente que um rei, no século XXI, é uma espécie de Marcelo Rebelo de Sousa moderno, com muitos abraços e afectos. A resposta não tardou: «Puigdemont diz que vai declarar a independência da Catalunha nos próximos dias».

Santana Lopes admite

Candidatura à liderança do PSD... Acumulando com a Santa Casa e, porventura, com um tacho em perspectiva no Montepio? Será que o ridículo (jogo político) não tem limites? Assim, não!

Passos e... Next

Confunde convicção e resistência com oportunismo e servilismo. Como qualquer pequeno-burguês complexado, com ambições megalómanas e laivos de marialva e/ou de marginal da treta de bairro, fantasia com os holofotes da ribalta, está disponível para os golpes, não gosta de ser topado e odeia ficar apeado. É a base do aparelho partidário, que resulta do caciquismo reinante nos partidos políticos tradicionais, um modelo tantas e tantas vezes replicado no seio de sociedades amorfas e ignorantes e grupelhos insignificantes. Conviver com eles é uma enorme maçada! Next...


O desastre anunciado

Das autárquicas às próximas legislativas

Direito à autodeterminação, mas só às vezes?

PSD: o partido em que eu acredito

Prevenir é solução

«Período de nojo para permitir transição do público para privado».

"Sim" à independência da Catalunha vence

Passos Coelho, Ulisses e os porcos

segunda-feira, outubro 02, 2017

Tudo somado…

O tsunami que afundou PSD e PCP

What else?

Marcelo acertou: há um novo ciclo à direita

Geringonça em perigo por causa de autárquicas

Carlos Carreiras: doce e amargo

A vitória em Cascais, com maioria absoluta, não faz esquecer o papel desempenhado como coordenador autárquico dos social-democratas.

Cristas: um exemplo na política

A líder do CDS/PP está de parabéns! Foi a figura política da noite eleitoral. E o CDS/PP ganhou o brilho de outros tempos, sem ter tido necessidade de recorrer a golpes e a tacitismos bafientos. É um exemplo para a classe política: arriscou, trabalhou e ganhou. E mais: não se lhe conhecem casas adquiridas, vendidas às escondidas ou com o rabo de fora, nem submarinos submersos em luvas e comissões, nem negócios escuros revestidos com o verniz da legalidade.

Costa ganha novo ciclo político


Não há desculpas


Em política o que parece é

Pedro Passos Coelho perdeu. E fez o discurso certo, numa noite eleitoral cujo desastre ultrapassou todas as expectativas. Resta, por mais justo ou injusto, pessoal e politicamente, que tire as devidas consequências. E liberte o PSD para atravessar o longo deserto que tem pela frente.

domingo, outubro 01, 2017

É Catalunha! What else?

Governo catalão fala em mais de 300 feridos

Sarajevo 1992 - Barcelona 2017

Cegueiras ideológicas


Catalunha: imagens do referendo

A luta continua!

What else?

sábado, setembro 30, 2017

Imunidade diplomática: o caso do vice-presidente de Angola

Rui Moreira: não voto

«Os negócios efectuados com contratos de confidencialidade até podem ser legais, mas estão vedados – ou deveriam estar, numa Democracia digna desse nome –, a quem exerce cargos públicos pelas mais óbvias razões. E já nem é preciso falar das árvores centenárias, certamente acometidas de súbita doença fulminante. De facto, não é igual vender uma propriedade a um empresário como Belmiro de Azevedo, ou a um qualquer “PEP” (Politically Exposed Person), ou "Pessoa Politicamente Exposta", nos termos da definição da FATF (Financial Action Task Force), que é uma organização inter­-governamental cujos objectivos são estabelecer padrões e promover a aplicação efectiva das medidas legais, regulamentares e operacionais para combater o branqueamento de capi­tais, entre outros, de que Portugal é membro desde 1991. Sejam eles, por exemplo, eventualmente, Sindika Dokolo ou Isabel dos Santos. Se não há crimes perfeitos, também não há segredos acima de qualquer escrutínio».