MAIS ACTUAL BLOG

Rui Costa Pinto - Jornalista/Editor/Publisher

quarta-feira, janeiro 31, 2018

Valeu a pena

«Antigo secretário de Estado do PS acusado de ter gastado 14 mil euros em livros».

P. S. Também vale a pena ler: «O DIAP refere que há uma evidente confusão entre o pagamento de despesas como deslocações de táxis, refeições e bilhetes de avião com cartões de crédito, quando deviam ser pagos como despesa de representação pessoal, creditada no salário mensal do beneficiário».

Fizz de alcunhas

Qualquer investigação policial tem sempre o seu quê de misterioso. E uma das partes mais complexas é identificar alguns nomes, alguns deles estranhos mas que dizem muito. No caso do julgamento que resultou da Operação Fizz, recheado de ilustres, com alguns de fora, para já, o enigma foi desvendado em audiência: «Ricky Martin, a Loira e o Meia Branca».

PGR confirma que Luís Filipe Vieira é mesmo arguido

As redes sociais, democracia e taberna

«É muito difícil explicar aos nascidos digitais a vida como ela era. Mas era boa e tinha vantagens relativas».

Com um brilhozinho na venda

Blanco mais Blanco

terça-feira, janeiro 30, 2018

What else?

Aí está ela

A super-Lua.

Vieira arguido demite-se?

O que é para Centeno também é para o presidente do Benfica? Agora é que vão ser elas... As opiniões, está claro.

Rangel na mira

The Post sem perdão

A história é magnífica. Até chega a dar saudades. Mas o filme é fraco: as interpretações são banais, passam ao lado da complexidade e da emoção dos grandes momentos vividos nas redacções e nunca conseguem alcançar a alma do jornalismo, nomeadamente dos chamados jornalistas de investigação. É o resultado da pressa de Steven Spielberg em concluir o filme a tempo de apanhar o comboio do combate a Donald Trump. E, tudo, curiosamente, à custa da defesa da liberdade de imprensa. Déjà vu...

António Costa: versão moderna

segunda-feira, janeiro 29, 2018

Centeno: E admite?

Eis uma declaração que só pode ser avaliada na mais completa reinação: «Centeno admite demitir-se se for constituído arguido».

Futebol: uma questão de Justiça

É cada vez mais rotineiro abrir um jornal e esbarrar com uma notícia de crime no universo do futebol. É assim mesmo, o futebol já deixou de ser uma questão desportiva há muito tempo. Passou a ser uma questão de Justiça. E quanto à política... Nada! O  governo nem tuge nem muge... Deve ser por respeitar a separação de poderes...

Pedofilia e críticas ao Papa

Lula e os delírios totalitários dos Profs Boaventura e Louçã

sábado, janeiro 27, 2018

Islândia a dar

Álcool, tabaco e drogas a diminuir? Porquê?

Buscas no gabinete de Mário Centeno

Foram tirar dentes?

Duas ou três coisas sobre sexo e Hollywood

Arrebento-te a cabeça

Financiamento dos partidos: Não há dinheiro, mas há palhaços

Parede estilhaçada

What else?


sexta-feira, janeiro 26, 2018

Uma modesta proposta para aumentar a confusão

As chatices da política

A cultura do “alarme: mãe à vista!”

Querido, mudei o Facebook

Roma paga a traidores?

O Meu Pé de Laranja Lima

quarta-feira, janeiro 24, 2018

Nós não fomos a Grécia

Lula condenado

Um dia histórico no Brasil. E uma lição da justiça brasileira: «Maioria dos juízes confirmam a condenação de Lula».

Lula em directo

É chato, mas são pagos pelo dinheiro dos contribuintes

Costa, Rio e a Saúde.

«Era bom que trocassem umas ideias sobre o assunto».

Os paradoxos do envelhecimento

terça-feira, janeiro 23, 2018

A peste

«Violar, assediar, seduzir, dizer um piropo, mesmo que não solicitado, não são a mesma coisa. Já o escrevi há tempos, e repito: sempre que tratarmos uma acção trivial, mesmo que censurável, como um crime grave, estamos a fazer de um crime grave uma acção trivial. Condenem-se Weinsteins e professores de ginástica pedófilos, monstros no nosso seio, com o devido processo judicial, e com todas as garantias que a justiça lhes confere; mas evite-se condenar publicamente acções não provadas, duvidosas, como as de Woody Allen ou Aziz Ansari e a de tantos inocentes, até prova em contrário vítimas desta nova “caça às bruxas”. O que têm estas situações a ver entre si? Tudo. São geradas pela falta de controlo do ser humano sobre a tecnologia por si criada. Que, sem esse controlo, pode causar mais devastação e sofrimento do que a peste».

Os partidos-médium e os deputados-fantasma

Mandato único

A hora mais trágica

As mulheres da fábrica da Triumph

Fizz. Toda a história da corrupção

Vicente e a imunidade

Em Angola, em Portugal, na China, ou em qualquer outro país, um cidadão livre tem de ser obrigado a usar/utilizar/beneficiar da imunidade que o Estado lhe atribuiu contra a sua própria vontade? Francamente, não há limites?

Erro médico mata mais do que acidentes na estrada

segunda-feira, janeiro 22, 2018

Corrida à PGR

Ainda Joana Marques Vidal cumpre o seu mandato e já começam a circular candidatos a candidatos ao seu lugar. Parece que Júlio Pereira, ex-SIRP, agora no Supremo Tribunal de Justiça (!), está numa lista... E que lista deve ser, com mais esta tentativa de contaminar a Justiça com a Segurança...

What else?

Fizz com datas

Fizz de betão

Nove perguntas para entender o caso Manuel Vicente

Marabar, ou a traiçoeira facilidade das evidências

What else?

domingo, janeiro 21, 2018

#salvação

Gente sem culpa

«Entre parcerias e aventureiros, há centenas de pessoas que lucraram com decisões dos governos, com medidas tomadas pelas administrações dos bancos e de empresas privadas e públicas, medidas essas e decisões aquelas pensadas para defraudar e roubar bens empresariais ou públicos. Há gente que enriqueceu, sem criar valor, só porque recebeu crédito sem garantias. Há gente que concedeu esses créditos e recebeu prémios. Há políticos e gestores públicos nessa condição. Há gestores privados, banqueiros e empresários nessa situação. Há sobretudo as decisões formalmente lícitas, que fizeram a ruína do sistema financeiro português! As designações de "crédito malparado" e de "imparidades" são eufemismos que, na maior parte dos casos, significam fraude, corrupção, gestão danosa, destruição deliberada de valor e locupletação indevida com cumplicidade política! Onde está esta gente? Onde estão os dinheiros que desapareceram?».

Ainda umas ideias sobre o mandato da PGR

#ministrodasolidão

sábado, janeiro 20, 2018

Tenho um amigo…

Angola e... Comissionistas sem vergonha

Com a Justiça portuguesa a fazer o seu trabalho, indiferente aos chás em Belém, com mais ou menos falta de pudor em receber quem representa o insulto e a ameaça a Portugal, só faltavam, mesmo, os comissionistas sem vergonha a colocarem em cima dos pratos da balança a chantagem das autoridades angolanas. Como é triste... E ridículo! 

É Sábado! What else?

Pacto para os cidadãos

O caso Manuel Vicente

sexta-feira, janeiro 19, 2018

Mundo cão

BPP e Justiça

Estar feliz deveria ser só bom e eu ainda estou a aprender

Variações do Diabo numa nota só: o poder

quinta-feira, janeiro 18, 2018

A liberdade sexual é um valor feminista

Rui Rio a preto e branco

Problema Orçamental resolvido? Nem por isso

What else?

Portugal a mudar

Andar de Metro não é algo que aprecie, mas às vezes dá muito jeito. E, então, qual é a história? Entro na estação do Cais do Sodré, apanho uma carruagem, em direcção ao aeroporto. E depois? Duas raparigas, de pé, muito jovens, estão a conversar e a rir baixinho. Estão muito juntinhas. E não resistem em trocar beijos rápidos e amorosos. À volta, um mar de gente, indiferente, apenas focado em terminar a viagem. Uau! Tenho de andar mais de Metro. Ainda há esperança... 

P. S. Ah! Quase me esquecia do picante: não eram portuguesas.

O embrulho azul

Cheiro a ananás?

«A história dos 745 quilos de cocaína escondidos em ananases».

Chulo muito menos

Passo a passo, mais serviço menos serviço, mais cambalhota menos cambalhota, com capota ou desencapotado, sempre gostei mais dos chulos sem vergonha, que nunca precisaram de se esconder atrás das portas, dos familiares e dos amigos. A propósito, Frasquilho rima com "xulo"?

quarta-feira, janeiro 17, 2018

What else?

Youtuboprah

Entre a canábis e a falta de lençóis

terça-feira, janeiro 16, 2018

Fizz in


É o caso judicial do ano. E vai deixar marca: «Juiz aceita denúncias de ex-procurador contra Carlos Silva e Proença».

Rui Rio, um homem que vai animar os média

E agora, Ruis?

Macron, o grande maquinista, e o acordo Merkel-Schulz

What else?


segunda-feira, janeiro 15, 2018

Fungagá da bicharada

A hipocrisia dos médicos

Até quando aguenta Rui Rio? Uma discussão sem sentido

Rui Riu-se

domingo, janeiro 14, 2018

Rio ganhou. Estava escrito nas estrelas. Mas o PSD está muito longe das estrelas

What else?

Votei, mas não inalei

Sol na Eira e Chuva no Nabal

PSD. Os vencedores, os vencidos e os espectadores



sábado, janeiro 13, 2018

What else?


Rio bate Santana

Rui Rio ganhou. Com mérito, mas cheio de tralha à boleia. A esperança é sempre a última a morrer.

P. S. Pedro Santana Lopes não teve a segunda oportunidade. Mas não há duas sem três. Talvez tenha mais hipóteses com uma nova atitude, mais coerência, outros métodos e amigos diferentes.



Arriscar a saúde

A RTP foi privatizada

O partido dos arquivistas

#oprahnós

Santana, Rio, Soares e outras notas de rodapé

quinta-feira, janeiro 11, 2018

Frágil. Vulnerável. O Estado

Fogo, fúria, raiva e vazio

A propósito do SNS

Rio versus Santana na rádio

Em directo na Antena 1.

A canábis e o preconceito

Angola e... Clean

«José Filomeno foi exonerado por João Lourenço e substituído por Carlos Alberto Lopes».

Montepio, ou como os pobres podem salvar os pobres dos erros dos ricos

PSD: eleições viciadas

quarta-feira, janeiro 10, 2018

What else?


O verdadeiro momento Watergate da democracia portuguesa

Santa Casa raríssima

Num país civilizado, com uma tutela credível, Edmundo Martinho, provedor da Santa Casa, depois das declarações proferidas, hoje, no Parlamento, estava imediatamente demitido. Chega de farsa!

Joana Marques final

PSL e segunda oportunidade

Duelo à chuva

As lições raríssimas

terça-feira, janeiro 09, 2018

What else?


Ser Peru

As eleições no PSD

Costa e Marcelo: o grande embate

É oficial depois da entrevista de Francisca Van Dunem: Joana Marques Vidal está de saída. A forma como foi anunciada, apesar das ressalvas do primeiro-ministro no debate quinzenal, diz tudo sobre António Costa e o PS, sobretudo no momento que alguns casos judiciais ganham uma relevância mediática acrescida. E também diz muito, tristemente, sobre a influência de Angola. Só falta saber se a guerra surda entre o governo e o presidente Marcelo vai estalar com a nomeação do próximo PGR. Uma coisa é certa: a guerra passará a ser em terreno aberto.

O Presidente de Angola falou com os jornalistas

Haja Saúde

Não pagamos assessores para deitarem jornais abaixo

segunda-feira, janeiro 08, 2018

“Thérèse Dreaming”

France Gall! What else?

Fizz para lá


A batalha contra o cancro

Centeno soma e segue


Um católico pode ser maçon?

Ana Rita Cavaco: falar claro


quinta-feira, janeiro 04, 2018

Chamem-me o que quiserem

Reinventar o país

Um guia optimista para 2018

What else?