MAIS ACTUAL BLOG

Rui Costa Pinto - Jornalista/Editor/Publisher

quinta-feira, novembro 29, 2012

O país do conselho leonino

É triste ver uma pessoa de respeito a hipotecar o respeito de todos. Será que alguém acha, nesta fase, que os sportinguistas são cegos ou parvos? E que basta uma declaração tipo "sportinguista" para os continuar a enganar, como se alguém acreditasse que quem manda no Sporting está em Alvalade? 

O ministro da Economia e as contrapartidas dos submarinos

Durante meses a fio, Álvaro Santos Pereira foi o bombo da festa na comunicação social. De um momento para outro, quiçá depois de aceitar uma extraordinária e indecente renegociação das contrapartidas que a Ferrostal, vendedor alemão dos submarinos a Portugal, nunca cumpriu integralmente, o ministro da Economia passou a ser elogiado. Eis uma transformação que deve ser obra e graça do Espírito Santo. 

Há petardos e petardos

Enquanto os estivadores rebentam petardos em frente da Assembleia da República, que se ouvem em todo o país, há outros petardos que, felizmente, ficam pelo país mediático e afins.

Pensar o crescimento

O Estado da crise

«Um Estado que vive na penúria é um Estado sedento de dinheiro».

A Justiça que treme

«A Justiça está longe de ganhar a guerra contra a corrupção. Faltam leis claras e adaptadas aos tempos em que vivemos. Mas, ainda que o País estivesse servido por uma eficaz artilharia legal, faltaria a coragem para a apontar ao coração do alvo».

quarta-feira, novembro 28, 2012

Vítor Gaspar e Passos Coelho varrem principais fantasmas

Numa semana difícil para o governo, por causa da apresentação de o orçamento que vai exigir sacrifícios brutais aos portugueses em 2013, bastou um discurso do ministro das Finanças no parlamento e uma entrevista do primeiro-ministro à TVI para fazerem emergir duas conclusões: a fita de Paulo Portas não valeu a pena; a  estratégia de António José Seguro pode colocar os socialistas muitos e muitos anos na oposição.

O coro dos desalinhados

Apocalipse fiscal

Desemprego

sábado, novembro 24, 2012

RTP: atentado ao jornalismo

Acordar do pesadelo

«Apetece gritar: tirem- -nos daqui!!!».

Não chamem a polícia

«Se um mal incomoda muita gente, dois incomodam muito mais».

Brutas ou editadas?

«A RTP, provavelmente o verdadeiro alvo da investida, tergiversou na sua linha hierárquica, e revelou-se frágil nas garantias de cidadania, pondo em risco inclusive a segurança das suas equipas em futuras situações similares».

Altos voos no Governo

Publicidade, sim! Obrigado

sexta-feira, novembro 23, 2012

É para isto que pagamos a RTP?

Quanto mais se sabe sobre o vergonhoso episódio da entrega de imagens da manifestação do passado dia 14  à PSP mais fácil é aceitar a redução da RTP ao mínimo indispensável para assegurar o serviço público. Esta evidência é tão gritante que as estações concorrentes, que os contribuintes não pagam, souberam estar à altura das suas responsabilidades.

Alguém cure a amnésia de Seguro, se faz favor

Sistemas de segurança

Gaza ou a revisão da História

quinta-feira, novembro 22, 2012

Brasil ataca corrupção

O mensalão continua a meter na cadeia notáveis brasileiros.

A barbárie

«Hamas lincha palestinianos que acusa de colaboração com Israel».

Os fundos da Europa

Fim de ciclo

O fascínio da finança

Xi Jinping na encruzilhada

RTP: descalabro ou reinício?

A suspeita que jornalistas podem ter colocado imagens de manifestações, em bruto, nas mãos da polícia é de tal forma chocante que até custa a acreditar. Se é verdade, então o descalabro é tão evidente que o afastamento de Nuno Santos só pode ser considerado uma espécie de reinício da estação pública.

Viver entroikado, resistir ou embrulhar

Novo site do Público

Mais opções de leitura e um detalhe excelente: os leitores têm à sua disposição uma ferramenta para qualquer eventual correcção aos artigos http://www.publico.clix.pt

A perigosa banalidade

A manifestação dos investigadores criminais, em frente à Assembleia da República, é mais um sinal inquietante do estado em que está o Estado. E o mais grave é que parece ter sido encarada apenas como mais uma manifestação.

quarta-feira, novembro 21, 2012

Declaração de Cavaco Silva: a piada do dia

Devemos sempre interrogar-nos se algumas declarações públicas são para levar a sério. Entre muitas que poderia citar destaco a última do presidente da República: «É necessário olhar para o que esquecemos nas últimas décadas e ultrapassar os estigmas que nos afastaram do mar, da agricultura e até da indústria».

O Acordo, outra vez

A Autoavaliação

Gaspar vai à capital

terça-feira, novembro 20, 2012

Crime sem castigo

O mago das Finanças

Quem são os donos da imprensa?

É sempre divertido acompanhar a polémica sobre a propriedade dos órgãos de comunicação social, sobretudo quando ela ocorre a reboque de negócios milionários. A questão não é se os capitais são angolanos ou não, mas qual é a origem do dinheiro. E já agora: a nacionalidade do pilim nunca garantiu a liberdade de imprensa.

As armas continuam a mandar

Enquanto Barack Obama abraça Aung San Suu Kyi, Nobel da Paz e líder da oposição birmanesa,continuam a chover bombas em Israel e Gaza. Quanto tempo vai durar o próximo cessar-fogo?

segunda-feira, novembro 19, 2012

Justiça: e a brincadeira continua

O julgamento dos caso dos submarinos foi adiado porque os arguidos alemães exigiram, obviamente, tradução simultânea durante o julgamento. E porque o contrato ainda não chegou ao tribunal. Será que ninguém tem vergonha de colocar a justiça nesta lama! Será mais um sinal que nada mudou na justiça? E não venha a ministra da justiça prometer que acabou o tempo das impunidades...

Dura lex

Sabotagem

«Durante anos ministros forneciam benesses que diziam ser grátis. Agora chegou a conta».

sexta-feira, novembro 16, 2012

O "número" do FMI

Isaltino

De greve em greve até à derrota final

Derrota amarga

O (in)Seguro truque

Carlos Zorrinho veio a público defender a criação de uma taxa de solidariedade às parcerias público-privadas (PPP's), que consiste na taxação a 100 por cento de todos os rendimentos das PPP acima do valor contratualizado. Apesar de nunca terem admitido os erros do passado, a nova liderança PS quer agora   institucionalizar habilidosamente os negócios ruinosos? Há limites para a desfaçatez política.

A eurogreve e a outra Europa

quinta-feira, novembro 15, 2012

O Estado a que chegámos

Manifestam-se em São Bento mas o alvo está no Rato

Em breve


Quatro mil milhões

Escadas do Parlamento

Amarrados à ilusão

quarta-feira, novembro 14, 2012

Miguel Macedo: o erro que o vai levar à demissão

O ministro da Administração Interna voltou a fazer uma declaração em que manifesta a incapacidade de distinguir entre firmeza e a brutalidade policial, aliás, persistindo num erro que já tinha cometido quando comentou as cargas policias nas manifestações de 24 de Novembro de 2011 e do passado dia  22 de Março. Numa reacção a quente, mal preparada e infeliz, Miguel Macedo saudou a firmeza da polícia por causa de meia dúzia de arruaceiros, mas as imagens mostram uma carga policial indiscriminada sobre os manifestantes.

Finalmente porrada

As declarações irónicas do presidente da República e do primeiro-ministro num dia de greve geral, no actual contexto de crise excepcional, deram o resultado esperado: manifestações mais inflamadas e conflitos com a polícia. E o dia ainda não acabou.

Troika nein

A comitiva

terça-feira, novembro 13, 2012

Bode expiatório

«Não foi Angela Merkel a responsável pelo estado a que chegámos, pela crise em que nos mergulharam, pelo enorme endividamento das famílias ou pelos esquemas de corrupção que exauriram as contas públicas».

Acontecimentos pífios

A passagem da chancelerina por Lisboa quase que passava despercebida. Não fora umas centenas de manifestantes, o péssimo filme promovido por Marcelo Rebelo de Sousa e a obsessão de uma certa imprensa, a passagem de Angel Merkl por Portugal teria sido mais uma simples visita de um líder europeu. É o que dá aumentar as expectativas sem nada na manga. E levar a sério os elogios de circunstância.

sábado, novembro 10, 2012

Portugal é assim: o país palavroso

«Portugal não tem de ser sempre o que a nossa História comprova e o nosso presente confirma. Mas isso depende, em primeiro lugar, de cada um de nós, e não dos outros».

Spinning fiscal

Um método perigoso

Discurso de vitória

quinta-feira, novembro 08, 2012

Novo Obama

O dever de alternativa

Discurso perigoso

«Só empobrecendo é que saímos da crise».

A refundação vista do meu bairro

Fale, sr. dr. juiz!

Os portugueses não podem ser enganados

terça-feira, novembro 06, 2012

Obama versus Romney: entre a desilusão e o terror

A campanha para a eleição do próximo presidente dos EUA  tem revelado o pior da sociedade norte-americana. E mostrou, mais uma vez, como a escolha é entre o mau e o péssimo. Entre o candidato que prometeu a mudança e desiludiu e o outro candidato que promete a mudança que é um terror, já estou como o outro: que se lixem ambos.

Juras e Juros

O novo Bloco Central

Governo não tem legitimidade para alterar as funções do Estado

Soares por quem o conhece

Quando cairá este Governo?

Estão a ver o problema do país?

segunda-feira, novembro 05, 2012

"Ai aguenta, aguenta!"

Responder à letra

«Se não queremos ser competitivos à custa da mão de obra barata, temos de responder com uma estratégia fiscal».

Tapar o sol com a peneira

A busca da chave

sábado, novembro 03, 2012

Falsos profetas e vendilhões do templo

Uma guerra sem sentido

Refundar o quê?


Estado porteiro

«Foram os trabalhadores e as suas contribuições que pagaram o Estado Social».

Montesquieu em Torres Vedras

Ai aguenta, aguenta!

«O programa desta segunda fase do ajustamento estrutural é, pois, o de uma refundação não do memorando mas do regime político em Portugal».

Depois da magia