MAIS ACTUAL BLOG

Rui Costa Pinto - Jornalista/Editor/Publisher

domingo, setembro 30, 2007

Um silêncio incrível

O semanário Sol passou a ser um Jornal respeitável. É um direito que ganhou com a última pedrada no charco das meias-tintas reinantes. É preciso coragem para fazer uma manchete com escutas, amplamente justificada pelo facto de revelar que José Sócrates mentiu, mais uma vez, aos portugueses. E mais. Revela determinação e convicções muito fortes, características exigíveis a uma qualquer Direcção editorial digna desse nome. Alguns até podem dizer que tal arrojo editorial se deveu ao desespero de um jornal que prometeu muito, mas que continua com dificuldades de implantação. O que mais impressiona é que esta estratégia de silenciamento, digna de alguns vermes rastejantes. conta com o apoio tácito dos principais partidos da oposição parlamentar, que parecem esperar pelo sentido dos ventos para saber como ragir. Quanto à recusa do PM de Portugal em comentar a notícia, o mínimo que se pode dizer é que a palavra vergonha já não é suficiente.

Um PM que mente

Afirmar que José Sócrates mentiu ao país já não é novidade. Milhares de pessoas já lhe chamaram mentiroso por diversas vezes, uma delas em frente ao Parlamento. Passou a ser possível chamar mentiroso a um PM. Aliás, hoje um PM não tem que se demitir por mentir ao país. Poderia haver melhor prova de que José Sócrates ficará na história da democracia como um dos piores PM de Portugal?

sábado, setembro 29, 2007

Começo pálido

O novo líder do PSD fez um discurso sereno, institucional e fraco. Esperava-se mais, muito mais, de quem surpreendeu durante a campanha. Será que alguém lhe deu uma má notícia?

A confirmação

Ribau Esteves, porta-voz da candidatura de Luís Filipe Menezes.

Dos apupos do Coliseu à vitória

Luis Filipe Menezes ganhou. Pedro Santana Lopes tem uma nova oportunidade. Uma parte do cavaquismo entrou em coma profundo.

Nova vida

Marques Mendes entregou o poder aos militantes e perdeu na contagem dos votos. Poucos líderes políticos se podem honrar de uma derrota tão digna. Aparentemente, o aparelho deixou de controlar a soma dos votos e o resultado final.

sexta-feira, setembro 28, 2007

PSD: Figueira de novo na ribalta

O que vale é aparecer, não é?

Será Segredo de Justiça ou de Segurança Interna?

Dia com história

No TóColante.

Sem limites

O ministro Ama(cia)do de José Sócrates está preocupado com o que se está a passar na Birmânia. Obviamente, as diferenças entre o que se passa no Tibete e na Birmânia são para a pequenina política externa portuguesa suficientes para um tal statement. Porventura, também pelas ”razões conhecidas.“

Falta memória

Os mais indignados, e muito bem, com o que se passou nas directas do PSD já se esqueceram do que se passou no PS. É mais fácil bater na oposição, sobretudo naquela que ainda tem poucas hipóteses de voltar ao poder nas próximas eleições, mas haja decoro e isenção para recordar o passado. E perceber que o fenómeno revela, ainda que tímida, a existência de uma evolução na transparência da vida interna dos partidos políticos.

Uma promessa

João Pacheco foi um dos premiados pelo Clube de Jornalistas. O seu discurso em prol da necessidade de defender os jovens Jornalistas, que trabalham em condições precárias, em empresas de comunicação social que se afundam em privilégios obscenos e balofos para os seus administradores e chefias editoriais, constituiu um sinal de lucidez. E, já agora, confere alguma esperança na próxima geração de Jornalistas.

Uma opinião credível

Num dos melhores blogs sobre assuntos judiciãrios.. No meio de tanto ruído, uma voz com capacidade e autoridade analítica é sempre útil.

Com direito a registo

Pedro Santana Lopes continua a falar, falar, falar, não percebendo que a sua voz não é escutada. Fica a atitude calma e frontal na SIC. E o alerta contra a indigência informativa. É pouco, mas revela que ainda está politicamente vivo.

quarta-feira, setembro 26, 2007

Police em Lisboa


Um concerto memorável, em noite de Lua Cheia, ainda que sem uma enchente que se justificava por ser um momento único. Valeu a pena ouvir Can't Stand Losing You
Don't Stand So Close to Me
So Lonely

segunda-feira, setembro 24, 2007

É de líder

Luís Marques Mendes, na entrevista ao Rádio Clube Português, revelou um discurso agressivo e algumas convicções consolidadas. Foi um grande passo em frente na corrida para a liderança do PSD, que vai ser decidida no próximo dia 28.

domingo, setembro 23, 2007

O silêncio


Marcel Marceau.

Os públicos

A imprensa continua a mudar ao ritmo da maioria socialista. Vai mais um?

O melhor lado de José Sócrates

O programa de troca de seringas nas prisões começa amanhã.

Do lado errado

Jorge Sampaio está a dar uma ajuda ao governo na Cimeira União Europeia -África, marcada para 8 e 9 de Dezembro, sem questionar as condições em que vai ser realizada. E sem uma palavra para as oposições aos regimes ditatoriais e sanguinários.

Irrelevância ou esquecimento?

Vasco Pulido Valente, no Público, fez o retrato da semana. Nem uma palavra sobre a aprovação do Estatuto dos Jornalistas.

sexta-feira, setembro 21, 2007

Este é o Portas que faz falta

As perguntas a que Sócrates não responde.

Um estilo inconfundível

José Mourinho mesmo na hora da partida é capaz de sair por cima. O ex-treinador do Chelsea é um exemplo de que arrogância nem sempre é insuportável desde que a qualidade seja verdadeira e não de plástico. Surfing e setting à parte.

Cuidado

Se é responsável ou tem um cargo numa grande multinacional, tipo Nestlé, pense duas vezes antes de atender o telefone. O governo de José Sócrates ainda o pode convidar para um qualquer cargo. Interesses à parte, obviamente.

Mais um passo para o vazio

Um jogo de golfe com um amigo impediu-me de assistir, em directo, ao debate mensal na Assembleia da República. Pelas notícias, o primeiro-ministro falou, falou, sempre sozinho, perdão, para uma bancada de deputados socialistas que mais parecem autómatos. Não admira que tal tenha acontecido, mesmo depois da reforma liderada por António José Seguro. O verniz democrático de José Sócrates é à prova de qualquer tentativa para elevar o esclarecimento e o debate. Então depois de ganhar o poder, todo o poder, à custa de uma campanha estudada ao milímetro, algumas boas promessas e um par de mentirolas, de segunda ou terceira geração, ainda queriam que respondesse a perguntas?

quinta-feira, setembro 20, 2007

Juro que não estou à gargalhada

O ranking de government

Parabéns

Fernando Rosas fez um discurso inesquecível na abertura da sessão parlamentar, em jeito de despedida de um grupo parlamentar que dá uma no cravo e outra na ferradura quando se trata de avaliar o governo socialista e de fazer coligações na Câmara de Lisboa. Como a política externa de José Sócrates é pequenina, mesquinha e medíocre perante um discurso de um deputado livre, que não tem medo de afirmar a sua opinião.

Crónicas Modernas (XIV)

A luta dos Jornalistas para impedir a aprovação do novo Estatuto do Jornalista foi justa. E alguns até podem reclamar vitória após o veto presidencial. Todavia, faz lembrar a vitória de Pirro, o general grego que depois de ter vencido a ‘Batalha de ásculo’ contra os Romanos, com um número considerável de baixas, e no momento de receber os parabéns pela difícil vitória, teria dito: «Mais uma vitória como esta, e estou perdido».

Portugal moderno?

A abertura do novo ano escolar volta a dar as mesmas notícias: má qualidade do ar, frio e existóncia de placas de fibrocimento com amianto nas escolas portuguesas.

quarta-feira, setembro 19, 2007

Responsabilidade

Os mais diferentes e autorizados interlocutores do universo judiciário têm feito críticas severas ao efeito que o novo Código de Processo Penal poderá ter no combate ao crime de colarinho branco. Essas críticas não são novas e não se confundem com a sucessão de disparates (alguns deles surpreendentes!) que jorraram a partir do passado dia 15 de Setembro.
José Sócrates apelou à esponsabilidade da Comunicação Social. E muito bem. Mas chegou a hora do primeiro-ministro garantir que a nova legislação não foi feita à medida deste ou daquele caso, ou ainda de qualquer outro caso que ainda esteja no segredo dos Deuses. É só para que fique claro que aqui, mais uma vez, não há gato(s) ( e que gato(s)!) escondidos com o rabo de fora.

terça-feira, setembro 18, 2007

Debate PSD: vitória à tangente

Luís Filipe Menezes venceu porque continua a surpreender pela positiva. Mas é preciso mais para bater Marques Mendes. O próximo debate, na RTP, vai ser decisivo para a decisão dos militantes do PSD.

Uma razão importante

Para passar a comprar o Correio da Manhã.

A parolice, a política e o jornalismo

A visita de José Sócrates a George W. Bush revelou até que ponto a Comunicação Social está refém do poder político. Entre o jogging e outras trivialidades, dignas da medíocridade reinante, foi preciso a Eurodeputada Ana Gomes fazer uma declaração política para se perceber que ninguém ousou tentar saber se a Base das Lajes fez parte da agenda do encontro entre os dois políticos. Porventura, os jornalistas e os órgãos de Comunicação Social que acompanharam o primeiro-ministro voltarão a acompanhá-lo noutras viagens, mas fica o gosto amargo do servilismo (incluindo livros de entrevistas com o PR). Já não falo (por razões pessoais) do polémico dossier dos voos da CIA. Seguramente, a culpa não é só dos Jornalistas, mas de quem os chefia. Já não há vergonha (profissional) na cara?

Em prol da Democracia

O PSD não pode perder a oportunidade para passar uma mensagem concreta. Marques Mendes e Luís Filipe Menezes não podem cair na tentatação de perder um debate na SIC Notícias para tratar apenas de rivalidades e vaidades.

RCP by RCP: Aprendi!

O debate no Rádio Clube Português sobre a entrada em vigor do novo Código de Processo Penal foi um verdadeiro programa de informação. Com contraditório, sem histeria e, sobretudo, sem a arrogância dos iluminados.

Vida dos Mortais (1,2,3,e 4)

A escrita e a diferença que importam, enquanto a indigência continua a fazer o seu caminho imperial.

segunda-feira, setembro 17, 2007

Em tempos de gritaria

Mais vale um criminoso em liberdade do que um inocente preso.

Grande vantagem

A palavra recurso para os Tribunais Superiores passou a ter um verdadeiro sentido em Portugal. É a primeira vitória da entrada em vigor do novo Código de Processo Penal. Chegou a hora de os Procuradores e os Juízes exigirem condições para cumprir a Lei. E, já agora, é preciso recordar que a responsabilidade da libertação dos criminosos pertence aos magistrados.

domingo, setembro 16, 2007

Acabar com os abusos

O Código Penal e o Código de Processo Penal têm motivado críticas justas e algumas insinuações e aleivosidades difíceis de compreender. O mais chocante é que ainda não vi sublinhado os passos concretos para acabar com a escandalosa banalização da prisão preventiva. É mais fácil criticar, apesar de pactuar com o sistema, e até defender interesses corporativos legítimos, em nome de príncipios nobres ainda que no papel, do que denunciar um sistema que tem privado os cidadãos da liberdade por períodos de tempo insuportáveis, entre outras flagrantes injustiças. É uma constatação que retira credibilidade a quem, aparentemente, apenas se preocupa em prender.

sábado, setembro 15, 2007

O regresso dos MaCann

Há hipóteses que fazem sorrir. Ou será que não?

Bom senso

Depois de se atirar, publicamente, a José Sá Fernandes, que numa ”incarnação“ anterior fez um excelente trabalho na Câmara de Lisboa, Pedro Santana Lopes veio colocar as coisas no seu lugar, permitindo concluir que desconhecia algumas das questões mais graves que ocorreram durante o mandato de Carmona Rodrigues.

Bom título

”Máfia dos bingos, a Somague do PS“

Tanta raça lusa cheira a mofo

O râguebi é uma modalidade demasiado interessante para estar à mercê de técnicas de comunicação mais ou menos agressivas. Um estágio num campo militar e e Jogadores à beira da histeria a cantar o hino nacional podem impressionar os incautos, mas não chega para iludir a verdade: transformar uma equipa amadora, que perde com a Nova Zelândia por 108-13, em heróis nacionais roça o ridículo. Aliás a expulsão de um jogador português por agressão parece ter sido esquecida no meio de todo este vendaval comunicacional, que cheira a uma organização demasiado profissional para tanto amadorismo. Por mais campanhas que possam surgir nos meios de comunicação social, o râguebi português ainda está a um nível medíocre. Isso sim, deveria ser a principal mensagem para garantir mais apoios de um Estado que continua demasiado refém do futebol. Não era precisa tanta encenação patriótica e patrioteira.

Exemplo parlamentar e político


Fernando Rosas, um dos únicos deputados livres da Assembleia da República, vai abandonar o grupo parlamentar do Bloco de Esquerda, ou melhor o que resta dele. Sensível a promessas eleitorais que não foram cumpridas, o professor e historiador bateu com a porta, manifestando memória, coerência e decência política num bloco político que surge cada vez mais como uma muleta deste PS. Não é por acaso que o PCP, à esquerda, surge como a verdadeira oposição a José Sócrates.

sexta-feira, setembro 14, 2007

Obsceno

O debate sobre a restrição da divulgação de escutas tem sido miserável. Não basta clamar, pomposamente, contra uma Lei. É preciso mais, muito mais, nomeadamente defender a Liberdade de Imprensa no dia-a-dia. O cinismo e a farsa não têm limites?

Dias tristes

Alguns defensores dos Direitos Humanos meteram a viola no saco depois da triste figura política de José Sócrates e de Cavaco Silva, que não ousaram receber o Dalai Lama, porventura para não contrariar os chineses. Francamente, preferia mais uma cena de Bolo Rei do que ter de ouvir certas desculpas esfarrapadas.

quinta-feira, setembro 13, 2007

Uma tristeza

A primeira declaração política sobre o incidente de Scolari, de Laurentino Dias, está ao nível do futebol português. Blá blá blá. Fica a censura e o empurrar da batata quente para a Federação de futebol.

Os MaCann: A hora do digest

Não há jornalismo mais cobarde do que aquele que espera pelos erros dos outros para contar toda a história e toda a verdade.

Rua

Um treinador que agride um jogador da equipa adversária não tem lugar na equipa nacional. O apoio do maior banco do Estado (à custa dos contribuintes) e do inefável administrador Vara não deveriam ser suficientes para manter esta espécie de arruaceiros e de arrogantes dos campos de futebol.
P.S. Lá se foi um dos trunfos de 2009!!!!

quarta-feira, setembro 12, 2007

Com expectativa

Aguardam-se ansiosamente as declarações de Alberto Martins, José Lello, Edite Estrela e Renato Sampaio, dirigentes de ”referência“ deste PS, sobre a visita do Dalai Lama.

terça-feira, setembro 11, 2007

Vergonhoso

Conheci o Dalai Lama em Paris no início dos anos 90. E tive a oportunidade de assistir à onda de entusiasmo que gerou quando fez uma palestra em Assas. Passados estes anos todos, a recusa do Governo receber oficialmente o Dalai Lama dá uma dimensão da pequenez da sua diplomacia, que, aliás, já se tinha manifestado noutras circunstâncias. É o estilo do ministro Ama(cia)do, que merece o aplauso do primeiro-ministro e do Presidente da República. Ana Gomes, eurodeputada socialista, voltou a elevar a voz contra esta política externa da treta, enquanto o PS, ou melhor este PS, se remete ao silêncio politicamente cobarde que envergonha Portugal.

Mudança

Não há nada mais patético do que o corporativismo na versão de total cegueira. Seja nas polícias, seja no jornalismo, bem como em muitas outras actividades profissionais. É preciso uma revolução de mentalidades que permita distinguir a solidariedade entre pessoas da mesma profissão e a solidariedade que favorece pactos de silêncio. É claro, em nome da unidade.

Processo MaCann: os falhanços e os amigos

As sucessivas declarações de autoridades do universo judicial, sempre reactivas e por vezes contraditórias, revelam que algo correu mal (ou será que correu como o previsto ???) na investigação do desaparecimento de Madeleine MaCann. Depois de se ter recusado a comentar o caso, Alberto Costa, ministro da Justiça, brindou os meios da Comunicação Social, em Bruxelas, com uma afirmação de confiança na PJ e, curiosamente (ou não!), fazendo questão de afirmar que falava em nome do Ministério Público! Ao que isto chegou!!! Agora, e ainda melhor, é possível alcançar as eventuais vantagem de terem sido feitas nomeações para todos as direcções das polícias e dos serviços de Informações.

domingo, setembro 09, 2007

Luís Filipe Carvalho

A credibilidade de um jurista, que tem beneficiado a SIC.

Caso McCann pode liquidar Governo Sócrates

A partida da família McCann para Inglaterra, após os pais de Madeleine terem sido constituídos arguidos, constituiu um espectáculo extraordinário, em directo e ao vivo em todas as estações de televisão do mundo. Das duas uma: Ou a constituição de Kate e Gerry Maccan como arguidos foi aparentemente uma farsa, ou a sua partida se pode ter ficado a dever ao estabelecimento de uma medida de coacção que deixou muitas dúvidas e/ou a uma intervenção política e de Estado.
José Sócrates, primeiro-ministro, Alberto Costa, ministro da Justiça, e Alípio Ribeiro, Director da PJ, devem explicações ao país. Urgentemente! É preciso saber se existiu um acordo de Estado que passou por cima da Justiça portuguesa.O caso McCann pode provocar uma verdadeira revolução no seio do sistema judicial e no funcionamento das polícias portuguesas.

sábado, setembro 08, 2007

Caso McCann e orgulho nacional saloio

Não tarda nada, vai aparecer um energúmeno a dizer que quem não defende a PJ a todo o custo e cegamente não é bom português. Ora, nem a PJ precisa deste protecionismo indecoroso, cujo expoente máximo é representado pelo o presidente da Câmara de Santarém, perdão, pelo criminologista Moita Flores, entre outros, entre os quais se encontram alguns Jornalistas, nem a soberania nacional fica diminuida por uma investigação que tem revelado alguns buracos. Seja pelos falhanços dos operacionais (o que pode acontecer), seja pela interferência de comissários políticos (o que não deveria acontecer) que nada percebem sobre a actividade policial.

Quem sabe, sabe

A memória dos Jornalistas é um dos bens mais preciosos da Democracia. Por isso, vale a pena chamar à atenção para um artigo de opinião - ” O sonho de Sócrates que se tornou realidade“ -, assinado José António Cerejo, que vale a edição de hoje do Público.

É demais!

Agusto Santos Silva, que ainda não teve a decência política de se demitir, lá continua a passar a sua mensagem (FALSA!) de que o veto de Cavaco Silva não colocou em causa o essencial do Estatuto do Jornalista que o Governo tentou, vergonhosamente, fazer passar. Lá chegará o momento em que o (ainda) ministro vai reforçar a parada, mantendo os fundamentos do maior ataque à Liberdade de Imprensa de que há memória. Na verdade, os Jornalistas até podem fazer mais um apelo político, desta vez ao Papa ou ao Dalai Lama, que está para chegar a Portugal, mas provavelmente pouco adiantará.
Enquanto não houver uma efectiva diferenciação entre o trigo e o joio, mais tarde ou mais cedo o cerco político deste PS tem todas as condições para sair vencedor. E a avaliar por alguns que (agora) se levantam em defesa da Liberdade de Imprensa, é caso para temer o pior.

A anedota do dia

Fernando Teixeira dos Santos está satisfeito com o crescimento económico.

sexta-feira, setembro 07, 2007

O descalabro

A reorganização e as nomeações dos líderes de todas as polícias e dos serviços de informações, da responsabilidade política de José Sócrates, estão à vista. A última semana revelou um país incapaz de antecipar, combater e responder ao crime. Nem é preciso falar das gaffes de Rui Pereira, Ministro da Administração Interna. Basta verificar a interminável sucessão inacreditável de assaltos e matanças. Sem esquecer as suspeitas de actividades da ETA em Portugal. E do caso McCann, nomeadamente a forma como foi conduzida a investigação a apartir do primeiro minuto do desaparecimento de Madeleine. É claro que o primeiro-ministro está calado que nem um rato. Metaforicamente falando, obviamente.

Avante com a Festa

O fim-de-semana vai ser difícil para o Governo. Os comunistas prometem críticas duras.

Caso Madeleine McCann: a confirmação

A escolha do advogado Carlos Pinto Abreu e as cerca de dez horas de inquirição de Kate McCann indiciam que o desaparecimento da criança inglesa é muito mais que um caso de Polícia. Cada vez mais parece um assunto de Estado.

Na berlinda

Rui Pereira, ministro da Administração Interna, não tem mãos a medir para apagar todos os fogos. Coincidências???

Violência policial

Um pequeno video divulgado no YouTube foi suficiente para revelar até que ponto a PSP precisa de formação e mais formação.

terça-feira, setembro 04, 2007

É disto que o PM gosta

”Portugal subiu 41 lugares na lista dos melhores países em práticas de governo electrónico, tornando-se o sétimo melhor país do mundo, segundo a listagem divulgada pela Universidade de Brown“.
É uma estatística parcial, enganadora e à medida. De um momento para o outro, passa-se a imagem (ilusão!!!) de uma Administração Pública moderna, eficaz e transparente. Não interessa se é verdade ou não. Também não interessa nada se os cidadãos são bem atendidos e estão satisfeitos. O que interessa é a parangona e o truque de mentir (com todos os dentes) a falar meia-verdade. Haverá melhor síntese da governação de José Sócrates?

Uma fraude

Vender gato por lebre é grave. E em política é ainda mais grave. O resultado da alteração das férias judicais, que chegou a ser anunciada com uma das grandes ”reformas“ do governo de José Sócrates, está à vista. É claro que há sempre um computador para oferecer para desviar as atenções na hora de fazer o balanço. Finalmente, os tempos doces e calmos na Justiça estão a chegar ao fim. Basta verificar as declarações dos candidatos a Bastonário da Ordem dos Advogados.

segunda-feira, setembro 03, 2007

Alerta

Marques Mendes que se cuide. Não, não é com o Luís Filipe de Gaia. É com Paulo Teixeira Pinto, ex-BCP. Cavaco Silva e Paulo Portas sempre estiveram de acordo pelo menos numa coisa: Ainda há esperança para uma verdadeira liderança à direita.

O paradigma e o supeiral

Diana. O acidente que todos lamentam. As imagens e mais imagens, dez anos depois. A colagem ao que se passou com J.F. Kennedy. A Princesa do Povo?!! É demais!!! Fiquei surpreendido com a presença de Medeiros Ferreira num programa qualquer de televisão, ao nível da nova versão de Maria Elisa, sobre a morte trágica de uma mulher que chegou a sonhar ser rainha.

Toda a atenção


Depois da tempestade no BCP, há uma equipa vencedora, que é muito, mas mesmo muito ambiciosa. A liderança do BPI deu provas do seu imenso poder e influência, que fez tremer o engenheiro, o verdadeiro engenheiro. Afinal, nem era preciso passar à fase de liquidar jornalistas.

domingo, setembro 02, 2007

Irreconhecível

Paulo Portas não comenta o caso PSD/Somague. Só comenta assuntos do CDS/PP. É o político no zénite do vazio

O negócio continua

José Sócrates continua a distribuir computadores. Portáteis, obviamente.

Persistência e frontalidade

Marques Mendes começa a surgir como um problema para o primeiro-ministro. No encerramento da Universidade de Verão do PSD, que decorreu em Castelo de Vide, o líder do PSD elegeu alguns dos falhanços do governo: Jovens desempregados e Quadro Comunitário de Apoio. Esperam-se a todo o momento os habituais transfugas que estão sempre prontos a lutar contra o populismo ... mas só o da oposição.