MAIS ACTUAL BLOG

Rui Costa Pinto - Jornalista/Editor/Publisher

domingo, novembro 30, 2014

Hong Kong:a luta continua

Mais confrontos entre manifestantes e polícias.

Fogo contra Fogo analisa detenção de Sócrates

Paulo Morais e António Marinho e Pinto.

Costa novo, Costa velho

O discurso do novo secretário-geral do PS, no encerramento do XX Congresso, prometeu a renovação, a esperança, a alternativa. Mas as palavras bonitas não chegam. Não basta apagar o nome de José Sócrates. Nem ignorar a corrupção porque é um tema incómodo. Afinal, todos sabemos que não basta prometer um mundo novo quando se teima em omitir a herança. Costa novo, Costa velho, a desilusão da política de sempre que nos atirou para o abismo.

sábado, novembro 29, 2014

Paulo Morais: “Sócrates é um dos principais actores na triste peça da corrupção em Portugal”

António Costa: o primeiro desafio

O XX Congresso do PS começou sob enorme tensão. E pode acabar mal depois do novo secretário-geral, António Costa, tentar amainar o actual estado de espírito dos socialistas por meras questões calculistas e tácticas, ainda que sob a capa do respeito pela Justiça. Falar e pedir frieza em relação à prisão do ex-primeiro-ministro pode ser fatal, sobretudo se nos lembrarmos da atitude dos socialistas sempre que o Estado de Direito lhes bateu à porta.

BES e Sócrates: da defesa à má-fé

Em 24 de Julho de 2014, Ricardo Salgado foi detido. Para trás já tinha ficado um rol de diligências no banco liderado por aquele a quem muitos se atropelaram a chamar-lhe Dono Disto Tudo. As buscas realizadas na passada quinta-feira (27) são a prova da determinação do MP. A justiça pode ter muitos problemas, que não se apagam com a detenção deste ou de qualquer outro notável, mas insinuar um qualquer alegado procedimento diferenciado entre o processo do BES e o do ex-primeiro-ministro não é só ignorância. É má-fé!

Duarte Lima condenado

O ex-líder parlamentar do PSD foi condenado a 10 anos de prisão efectiva por burla qualificada e branqueamento de capitais no processo Homeland.

sexta-feira, novembro 28, 2014

Sócrates, Lula, Salgado e PTs. Oi?

Henrique Neto sempre incómodo

«Há anos que esperava a prisão de Sócrates».

Escutas aos jornalistas

A investigação da violação do segredo de justiça é um velho pretexto dos democratas de pacotilha para poderem aspirar a colocar os jornalistas sob escuta (legal). Quem se segue? Os magistrados? Os polícias? Os funcionários judiciais? Os espiões? Já não lhes basta terem comparado os jornalistas aos receptadores por fazerem o seu trabalho de informar livremente. Não, querem mais, sempre quiseram muito mais, quando se sentem ameaçados e começa a ser cada vez mais perigoso fazer escutas ilegais, realizadas com toda a prudência, obviamente.

Passos Coelho tranquilo

A entrevista do primeiro-ministro à RTP teve um tom tranquilo e sereno, expressando a confiança nas instituições e na Justiça e contrastando com alguma agitação que vai por aí depois da prisão preventiva de José Sócrates. A mensagem que Pedro Passos Coelho passou não podia ter sido mais oportuna, designadamente num ponto em particular: a promessa de fazer aprovar a criminalização do enriquecimento ilícito. Resta saber se esta é uma promessa, entre outras, para cumprir.

O segredo de Justiça

Ministra espanhola da Saúde pediu demissão

Em Espanha, perante a crescente falta de credibilidade de Mariano Rajoy, primeiro-ministro, a ministra da Saúde, Ana mato, demitiu-se por estar envolvida em esquema de corrupção.



A comunicação social e a justiça


Guerra Civil

«Sócrates vai transformar o caso judicial em briga de feira».

quinta-feira, novembro 27, 2014

Paulo Mota Pinto: sem nos rirmos

Foi assim que o presidente do Conselho de Fiscalização das secretas justificou uma das mais extraordinárias operações levada a cabo pelo SIS que foi apanhada pela PJ.
Contra quê? No Instituto dos Registos e Notariado (IRN)? Com o presidente do IRN sob vigilância da PJ?
Fica para a posteridade como uma das mais hilariantes frases da vida pública portuguesa. Só faltou dizer que ficou assegurada a legalidade imprudente, quiçá em nome da ilegalidade prudente...

Soares e Sócrates, a mesma luta

PGR: comunicado sobre universo Espírito Santo

Justiça: aprender com os erros do passado

Os casos Melancia e Leonor Beleza, entre outros, são impossíveis de repetir. Não é por acaso, certamente, que Daniel Proença de Carvalho não defende José Sócrates. No entanto, nunca é demais aprender com os erros do passado, em que a Justiça cedeu, fraquejou e hesitou no momento da verdade.

Sócrates: da defesa processual ao tribunal da opinião pública

A reacção de José Sócrates é a confirmação de uma vida política em que apostou sempre tudo no tribunal da opinião pública. O que todos disseram querer evitar está aí: a politização do processo e da Justiça.

Soares e o processo político

«Nem Soares nem ninguém podem incendiar o País contra a Justiça e demolir o valor essencial da legalidade democrática como pilar estruturante do Estado de Direito».

Mário Soares: da arrogância à opinião

Arrogância




Defesa de Sócrates reage

«João Araújo indicou que o recurso que irá apresentar no Tribunal da Relação de Lisboa visa a libertação do ex-líder socialista».

P.S. Comunicado de José Sócrates Na íntegra

O despacho maldito




Branquear a verdade

«Mal José Sócrates foi preso começou o ataque à justiça, como se o problema fosse esse».

quarta-feira, novembro 26, 2014

Depois da "Operação Marquês", venha a "Operação Rei"

Pedido de prisão de Sócrates apoiado pela PGR

Prisão inédita

A democracia só pode sair fortalecida

terça-feira, novembro 25, 2014

Mais um dia

Portugal acordou mais maduro, mais consciente da realidade, com mais capacidade para construir o futuro, em completa normalidade.

segunda-feira, novembro 24, 2014

José Sócrates preso preventivamente

«O “homem” e o “líder” ganharam. Ainda que fragilizados, conseguiram vencer. Novamente, venceram sob suspeitas graves e intoleráveis em Democracia. A impressão que vale tudo no poder já está enraizada na sociedade portuguesa, mas a percepção dessa realidade, difusa e de prova quase impossível, não foi suficiente para determinar a alternância política.
O “homem” e o “líder” ganharam. Ainda que diminuídos pela governação, marcada por casos e mais casos, conseguiram assegurar a liderança do governo com a mesma fórmula de sempre: negar, reagir e ganhar tempo. 
O “homem” e o “líder” ganharam. Ainda que limitados por uma maioria relativa, conseguiram ganhar espaço suficiente para corrigir os erros do passado, os políticos e os pessoais, com a vantagem de uma experiência adquirida ímpar.
O “homem” e o “líder” ganharam. Ainda que obrigados à negociação permanente, conseguiram iludir o momento.
O “homem” e o “líder” só têm um limite: o tempo»*. 

* 30 de Setembro de 2009

José Sócrates sem chá e scones

Sócrates e nós

Gosto de Sócrates

domingo, novembro 23, 2014

Sócrates

«Prisão de Sócrates é um sinal de vitalidade democrática».

O fim da justiça de Sócrates

Operação Sócrates

A verdade dos factos

sexta-feira, novembro 21, 2014

Vistos dourados - soberania de cartão

RTP: rastejar pela sobrevivência

A oferta milionária para assegurar a transmissão dos jogos da Champions é mais uma provocação da parte do Conselho de Administração e da direcção de informação e programação da estação pública. De facto, depois de João Baião, entre outra tralha digna de uma programação insultuosa de qualquer noção de serviço público, só resta à RTP agarrar-se ao futebol. E tentar forçar um confronto com o Governo de Passos Coelho, nem que para isso tenha de continuar a rastejar, mesmo que seja na lama, perante algumas forças políticas que defendem a sua sobrevivência tal como está.

Subvenções vitalícias: Couto dos Santos, Lello e companhia

O PSD de Couto dos Santos já conhecemos há muito tempo, mas este PS de António Costa, José Lello e Isabel Moreira é de gargalhada. É assim que ficará para a História a tentativa de PS e PSD de reposição das subvenções acima dos dois mil euros para ex-titulares de cargos políticos. O recuo de última hora dos dois partidos, depois de uma espécie de ensaio de constituição de um novo Bloco Central, porventura ainda mais perigoso, deve ser um alerta para todos aqueles que estão ansiosos por eleições antecipadas ou não. 

P. S. António José Seguro deve estar a rebolar a rir.

Maltrapilhos

quinta-feira, novembro 20, 2014

Vistos Gold: alerta ignorado

O advogado Miguel Reis, num gesto de cidadania e profissionalismo, fez um alerta prático e cristalino sobre os riscos do programa dos Vistos Gold, que pode ser consultado na newsletter intitulada "A MRA e o escândalo SEF/IRN", que foi totalmente ignorado pelas autoridades portuguesas. Na audição ao vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, o assunto foi recordado por António Filipe.

Corrupção e secretas: o labirinto do pragmatismo

Banca quer saber se trabalha no Governo

Estranha supervisão

O dilema Juncker

quarta-feira, novembro 19, 2014

Secretas: Conselho de quê?

Depois de todas as trapalhadas envolvendo as secretas no caso dos Vistos Gold e do surrealista comunicado do (ainda) secretário-geral do Sistema de Informações da República Portuguesa, Júlio Pereira, o Conselho de Fiscalização ainda não disse uma palavra. Será que a barafunda instalada nos serviços de informações não é suficientemente grave?

CPI BES: já há uma conclusão

Carlos Costa (governador do Banco de Portugal), Pedro Duarte Neves (vice-governador do Banco de Portugal), Carlos Tavares (presidente do conselho diretivo da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários) e Teixeira dos Santos (ex-ministro das Finanças) já passaram pela CPI BES. E todos alinharam pelo mesmo discurso, admitindo terem falhado. Consequências? Nem uma! Nem quando estavam em funções, nem agora. 

A maioria exausta

Ao pensionista enfurecido

terça-feira, novembro 18, 2014

Vistos Gold barra CDS-PP

Miguel Macedo saiu da pasta da Administração Interna por causa dos Vistos Gold, mas o escândalo não afectou João Almeida, o então seu secretário de Estado que tinha a tutela do SEF, pois vai permanecer no Governo com as mesmas funções como se nada se tivesse passado. À luz dos factos públicos, para já, as explicações de Paulo Portas têm cada vez mais interesse.

CPI BES: sigilo não passa

Administração Interna: qual equipa?

A nomeação de Anabela Rodrigues, para substituir Miguel Macedo, resulta da aposta num perfil técnico que tem o mérito de romper com o tradicional perímetro de recrutamento. Resta uma grande dúvida: João Almeida permanece como secretário de Estado da Administração Interna? Já há quem faça apostas...

Portugal e a UE no labirinto dos Vistos Dourados

Mil milhões de coisa nenhuma?

Vender a alma

O dever da ministra

Os socialistas e a responsabilidade política

Ouvir as declarações de alguns políticos sobre a demissão de Miguel Macedo é apenas um, mais um, momento que justifica a falta de credibilidade da classe política. A desfaçatez é tal que só podem achar que os portugueses são todos parvos e não têm memória.

Moção de censura

«A demissão de Miguel Macedo e o caso que a gerou trazem de novo para a política a lógica da teodiceia».

segunda-feira, novembro 17, 2014

Os advogados pronto-a-vestir

Governo em suspenso: a quem serve?

Pedro Passos Coelho ainda não decidiu por uma remodelação governamental  e/ou avançou com o nome que vai para a Administração Interna, quatro dias depois de Miguel Macedo ter manifestado a vontade de sair do Governo, imediatamente a seguir à Operação Labirinto.

Quem mais peculata?

Goldice saloia

Transparência

Desfecho inevitável

«A demissão de Miguel Macedo era o único desfecho possível no caso dos vistos gold».

domingo, novembro 16, 2014

Snob

50 anos depois: parabéns!

Miguel Macedo: demissão

É uma baixa de peso para Pedro Passos Coelho e para o Governo. 
Fica o exemplo de responsabilidade política que serve o país e a Democracia, em contraste com quem se agarra à cadeira do poder.

Vistos gold e secretas: a jantar com...

Quando o chefe dos serviços de informações é apanhado por uma vigilância levada a cabo pela PJ, então é caso para dizer, definitivamente, que as secretas bateram no fundo. 

P. S. Tal como aconteceu no caso Face Oculta, a realização da Operação Labirinto é a prova que, em Lisboa, o MP e a PJ também conseguiram levar a cabo uma operação da maior sensibilidade em segredo e em tempo útil.

Julian Assange em directo para Portugal

É uma extraordinária prova que a tecnologia também serve para garantir a liberdade de expressão, em directo, para todo o mundo. Exilado na embaixada do Equador, em Londres, responsável pela revelação de alguns dos mais sinistros segredos dos Estados, Julian Assange falou para a uma plateia no âmbito de uma iniciativa do Lisbon & Estoril Film Festival.

sábado, novembro 15, 2014

Secretas: vai mais uns pareceres?

Júlio Pereira, (ainda) secretário-geral do Sistemas de Informações da República Portuguesa, confirmou à agência Lusa a «limpeza eletrónica no Instituto de Registos e Notariado (IRN)», depois do Expresso ter denunciado que a «PJ apanha líder do SIS a ajudar suspeito dos vistos gold», num artigo assinado por quatro jornalistas, um dos quais Ricardo Costa, director do semanário do grupo Balsemão. 
Das duas uma: ou o semanário Expresso está enganado ou o senhor SIRP está a cima da lei e continua a não ser responsável pelo que se passa nos serviços que tutela. 
Conclusão: vai uns pareceres jurídicos para saber quem tem razão?

P. S. Pedro Passos Coelho teve mais de três anos para cumprir a prometida reorganização dos espiões. Não quis ou não o pode fazer. Nem dentro, nem fora do horário de expediente. O resultado continua à vista...

O Muro de Berlim

Vistos Gold: quem é quem

«Estrelas da advocacia defendem altos quadros do Estado suspeitos de corrupção nos vistos gold».

Inquérito Santo

Orçamento de esbulho

Não nos envergonhem

A doença que nos mata

«Há uma ligação a estabelecer com os depósitos de um milhão nas contas do CDS»

Ana Gomes ao DN.

quinta-feira, novembro 13, 2014

Vistos Gold: cena em 164 segundos

Recomendado!

Vistos Gold: a outra factura

A operação policial que levou à detenção de 11 pessoas, algumas das quais altos funcionários do Estado, só surpreende quem nunca se debruçou sobre o programa de atribuição dos Vistos Gold. A presente factura é grave (dando uma péssima imagem do país e da administração pública), mas há outra muito mais pesada que decorre da qualidade (ou falta dela) do dinheiro que tem entrado no país por esta via. Essa, sim, é a grande factura que teremos de pagar a curto ou a médio prazo.

O petróleo e a crise política

A baixa do preço do petróleo é uma boa notícia para Portugal. Com o Brent a bater os 80 dólares tudo é possível para a maioria liderada por Pedro Passos Coelho, sobretudo se voltarmos aos níveis de 2009, em que o preço de referência do barril atingiu os 75 dólares. O PS sabe-o bem. António Costa também. E a restante tralha socrática também sabe que só antecipando uma crise política pode sobreviver em 2015.

A maldição do petróleo

A culpa dos calotes

Nixon revisitado

quarta-feira, novembro 12, 2014

Vitória da Catalunha

«Com líderes tão brilhantes, o separatismo mereceu a 'vitória' que teve».

Cobradores do fraque

António Costa não é de esquerda

Cavaco Silva avisa Salgado

Cavaco Silva surpreendeu ao perguntar: o que andaram a fazer os accionistas e os gestores da PT? A comunidade, atónita e furiosa, respondeu com a condecoração a Zeinal Bava. Curiosamente, ninguém registou que a declaração surgiu no mesmo dia em que começaram a surgir as primeiras fugas de informação sobre a auditoria forense ao BES. Conclusão: a declaração de Cavaco Silva não foi mais nem menos do que um aviso público a Ricardo Salgado para não contar com o Presidente da República.

O erro de Ortega

História, arte e ideologia

terça-feira, novembro 11, 2014

António Costa: é preciso ter taxa

Não, não estou a falar das inundações que voltaram a Lisboa com as chuvadas. A questão é outra: a primeira grande trapalhada do candidato a PM, ou melhor, a nova taxa, que não passa de um imposto encapotado lançado sobre quem chega a Lisboa, por via aérea ou marítima, português ou estrangeiro. Só falta mesmo a via rodoviária. Conclusão: ainda não foi eleito secretário-geral e já é possível começar a ver que António Costa é, afinal, o melhor candidato do PS que a maioria PSD/CDS-PP poderia ter desejado.

Citius: Uma nova oportunidade

Carlos Brito, vogal do conselho directivo do Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça (IGFEJ), fez declarações cristalinas em sede do inquérito-crime instaurado contra Hugo Tavares e Luís Queirós, entretanto já arquivado pela PGR, na sequência de um relatório do Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça (IGFEJ) que apontava para a prática de sabotagem informática na plataforma informática Citius. 
Os dois técnicos da PJ, que já foram corridos, para já, até podem respirar de alívio, mas não terá chegado o momento de trazer à colação a história do presidente do IGFEJ, como primeiro responsável pelo relatório que colocou em xeque os seus dois ex-funcionários? Ou melhor, tendo em conta que Rui Mateus Pereira continua em funções, mesmo depois do descalabro do Citius, não será interessante conhecer o recurso do MP em relação ao processo judicial em que está envolvido?

História Dum Ego

«A única forma que Cavaco tinha determinar o mandato com dignidade era antecipando eleições».

As taxas de Costa

«As taxas turísticas até podem fazer sentido, mas a subida da carga tributária é um mau indício».

Conversa da treta

António Costa tem desancado o Governo por causa do aumento dos impostos, e aumenta os impostos na autarquia que ainda dirige; o Governo desanca António Costa por aumentar impostos, depois de ter aumentado os impostos durante os últimos três anos. Há qualquer coisa de esquizofrénico neste debate público, alimentado por uma comunicação social que já não consegue descortinar o absurdo, limitando-se a ampliá-lo.

segunda-feira, novembro 10, 2014

Citius: PGR arquiva


P. S. A propósito, o julgamento das secretas já está marcado?

Legionella: o que falta explicar?

Tudo já foi dito sobre a história, os sintomas, a melhor forma de evitar contrair a doença, etc. Estranhamente, até ao momento, ninguém fez a pergunta que se impõe: Por que razão surgiu este surto? 

BES e PwC: aprender com os erros

O caso do BES vai seguir para os tribunais. Será feita Justiça. Mas será que aprendemos alguma coisa com os erros financeiros e/ou da consultadoria da PricewaterhouseCoopers (PwC)? O Banco de Portugal já fez alguma coisa para evitar um novo escândalo?

Legionella: do básico à propaganda

O surto de Legionella, com origem numa autarquia liderada por um socialista, revela as vulnerabilidades do país. Por mais encenação e viagem de Estado para promover os negócios, a triste realidade está aí. Face a tanto e tanto delírio com grandes investimentos não seria melhor começar pelo mais básico para captar a confiança dos investidores?

A nossa capital já é Luanda?

«Isabel dos Santos ainda não tem, que se saiba, investimentos em órgãos de comunicação social portugueses, ao contrário do que sucede com outros oligarcas angolanos, que já têm posições relevantes ou de controlo em jornais como o Diário de Notícias, Jornal de Notícias, i e Sol, até em rádios como a TSF, mas isso não a impediu de passar a controlar a edição da Forbes para os PALOP apenas quatro meses depois daquela revista ter publicado uma reportagem em que denunciava as origens da sua fortuna. Há quem pense que o silêncio se compra».

Catalunha: processo imparável

Mais de 80% dos catalães votaram pela independência.

25 anos depois da queda do Muro de Berlim

«Os romances de John Le Carré e Julian Semyonov não são memórias de outro século».

"Não" e "ponto final"

Saúde pública

domingo, novembro 09, 2014

Isabel dos Santos: vai uma publicidade?

É espantoso o endeusamento de Isabel dos Santos, ou melhor, é o sinal dos tempos de uma comunicação social sempre com a PT! Ups! Haja energia...

Muro de Berlim: celebrar e fazer de conta

A queda do Muro de Berlim é celebrada em todo o mundo. Ao mesmo tempo que faz-de-conta que nos cinco continentes não há outros muros visíveis e invisíveis que continuam a envergonhar a Humanidade.

A História continua

Maus cheiros

«Pires de Lima perturbou auditório conservado em formol».

Les uns et les autres

sábado, novembro 08, 2014

António Costa: PS 1 - País 0

A apresentação da moção de estratégia ao congresso do PS marcou o regresso da encenação, do discurso inflamado e dos sound bites. Com propostas interessantes e concretas para o funcionamento do partido, algumas das quais consolidam as propostas herdadas de António José Seguro, António Costa continua a ser uma enorme interrogação em relação às questões determinantes para o futuro do país, como comprova o vazio eloquente da nova versão da Agenda para a Década.

sexta-feira, novembro 07, 2014

Pires de Lima ainda melhor

A prestação de António Pires de Lima, ministro da Economia, no Parlamento, a propósito do Orçamento de Estado para 2015, teve momentos de clareza e lucidez, num tom que conseguiu atingir os seus objectivos, como é possível comprovar pela repercussão das suas declarações. Alguns deputados, sobretudo do PS, não gostaram. É compreensível! Ainda não conseguiram assumir e ultrapassar os erros do passado.

Timor-Leste: onde está a verdade?

Nada para ninguém

«Portugal chegou a isto: um país sem governo nem oposição».

Sabotaram a Justiça

quinta-feira, novembro 06, 2014

Podemos, não podemos!?

Ventos de esperança

Alô, Jean-Claude Juncker?

A revelação dos acordos secretos entre o Luxemburgo e 340 multinacionais não coloca em causa a ideia da União Europeia, apenas confirma a mediocridade dos líderes dos 28 Estados-membros e dos burocratas de Bruxelas que ainda não conseguiram dar cabo dela. 

Obama: a derrota do marketing político

Em 2008, era “Sim, nós podemos”. Passados quatros anos, “Para a frente”. E hoje? O vazio da retórica, das promessas falhadas, da perda de legitimidade e autoridade e dos princípios à la carte. Barack Obama continua a ser o presidente refém dos serviços de informações norte-americanos em roda livre. Está à beira de deixar uma nação ainda mais desprestigiada do que aquela que herdou de George W. Bush.

Depois de Obama vem o quê?

quarta-feira, novembro 05, 2014

Anões em bicos de pés e gigantes com pés de barro

"Podemos" mas só com olhos bem abertos

De Cristiano Ronaldo aos senadores

Em tempos idos, um jornalista discriminado numa conferência de imprensa merecia uma reacção enérgica da parte dos seus pares, a censura dos comentadores e até da generalidade da comunidade. Hoje, algumas vedetas recusam responder a determinados jornalistas, entrevistadores tratam por tu os entrevistados e até os espaços informativos estão enxameados de publicidade, da subliminar até à mais descarada propaganda. Infelizmente, o futebol assume os maus exemplos. Mas quando a política não fica atrás, como revelou a extraordinária declaração de Francisco Louçã no seu comentário semanal, a propósito do processo da Face Oculta, no que resta da SIC notícias, ninguém pode ficar surpreendido com este ambiente pantanoso, quiçá merecedor de presença num dos inúmeros espaços de opinião dos senadores sem senado que andam por aí a fazer pela vida.

Inimigo às portas

Doutores e operários

Sempre duas vezes

segunda-feira, novembro 03, 2014

BESA-me mucho

A grande ilusão

Terramoto espanhol

E nós: Podemos?

Muito já foi escrito sobre a nova estrela da política espanhola: o movimento Podemos. Eis um sério aviso para os partidos tradicionais espanhóis da esquerda e da direita, habituados a partilhar Espanha a seu belo prazer, e, agora, surpreendidos pela reacção da sociedade espanhola. O populismo que por aí vem é apenas a consequência do presente marcado por democracias corrompidas por partidos e demais instituições que se transformaram em máquinas ao serviço de quem paga mais a troco de uns tachos e de cobres atirados para a gamela.