MAIS ACTUAL BLOG

Rui Costa Pinto - Jornalista/Editor/Publisher

terça-feira, setembro 30, 2014

António Costa: a primeira decisão

António Costa escolheu Ferro Rodrigues para liderar a bancada parlamentar:
Pelo lado positivo: não temos de levar outra vez com Jorge Lacão;
Pelo lado negativo:  desvalorização dos deputados do PS, que apenas serão chamados a ratificar a escolha;
Pelo lado da matemática: saber por quanto vai ganhar Ferro Rodrigues;
Pelo lado político: os velhos rostos do passado regressaram e a renovação do PS começará em 2015;

Elogio de Seguro

Um mês muito difícil

Costa é mesmo melhor que Seguro?

Hong Kong por mais democracia

Do outro lado do mundo, a cidadania ainda sai à rua para enfrentar o gigante chinês.

segunda-feira, setembro 29, 2014

Palavra do dia: resgate

Um dia depois da vitória de António Costa a palavra mais ouvida foi novo resgate. Só não vê quem não ouve, não quer ou não pode.

Isabel dos Santos reforça estatuto de maior investidor de Angola em Portugal

Antes ou depois do escândalo do BES?

Costa ainda a fazer de morto

A coisa roubada

«O problema não está no ruído mediático da suspeição, está mesmo na coisa roubada».

Privilégios

António Costa chegou

O novo líder do PS teve uma vitória expressiva, conquistando uma legitimidade inquestionável para liderar o PS.

António José Seguro exemplar

O líder derrotado nas primárias do PS assumiu os resultados quando devia, fez um discurso de despedida elevado e saiu do Largo do Rato como entrou: com a dignidade exemplar que enobrece a política.

sexta-feira, setembro 26, 2014

Parlamento: o regresso dos fantasmas

Pedro Passos Coelho deu explicações detalhadas sobre o caso da denúncia arquivada pela PGR, depois de analisada com elementos complementares de outro processo em investigação no DCIAP. Por sua vez, António José Seguro exigiu mais, como compete ao líder do maior partido da oposição, reforçando a necessidade de um cabal esclarecimento e separação entre a política e os negócios. O que fica? Os fantasmas do passado, entre eles, por exemplo, do ex-primeiro-ministro José Sócrates.

A filosofia da nossa política


O silêncio sobre o BES

A responsabilidade de Passos Coelho

Marinho Pinto: E o caso Passos Coelho/Tecnoforma?

Marinho Pinto, a estrela emergente da política portuguesa, embora ainda não se saiba por qual partido político, ainda não se pronunciou sobre a denúncia anónima e o caso Passos Coelho/Tecnoforma.

quinta-feira, setembro 25, 2014

Os indignados socráticos tiraram a máscara

«Nunca quiseram nem querem uma justiça igual para todos».

PGR exemplar

Em nota para a comunicação social, a Procuradoria-Geral da República emitiu um esclarecimento claro e pedagógico, que deveria ser elegido como padrão de comunicação do Ministério Público, afixado em todas as redacções de jornais, rádios e televisões e nalguns gabinetes de advogados. 
Fica claro que:

1) A denúncia foi encarada com a maior seriedade e celeridade; 

2) Depois de cruzada a informação constante da investigação à Tecnoforma, que corre termos no DCIAP, a denúncia foi analisada e deu origem à abertura de um inquérito; 
«Após a análise da denúncia, foi decidido autuar a mesma como inquérito autónomo»

3) O inquérito foi arquivado.





E se Pedro Passos Coelho...

Não consegue atestar, rápida e publicamente, o cumprimento dos seus deveres passados, mesmo sabendo que outros políticos também podem ter usufruído de benefícios indevidos... então só lhe resta a demissão, imediatamente. Ponto final! 

P. S. Quem se coloca à disposição e nas mãos da Justiça merece mais do que a presunção de inocência, merece respeito, e dá um sinal inequívoco de respeito pelas suas funções, Estado de Direito e Democracia. E prova que não se confunde com o ciclo pestilento contra o qual afirmou candidatar-se, independentemente das insinuações, especulações e interpretações jurídicas avulsas, umas mais manhosas do que outras. E mais: assim não corre qualquer risco de ser confundido com quem tudo fez para tentar escapar da Justiça, pelo silêncio arrogante, pela abusiva pressão política, pelos grosseios truques mediáticos e até pela lamentável perseguição aos jornalistas. 

PS: com vergonha ou sem vergonha?

António José Seguro deu um exemplo concreto sobre a «promiscuidade entre o sistema financeiro, os negócios, a política e os outros partidos». Além das habituais reacções tão fingidas quanto irrelevantes, ainda vale a pena atender ao que disse o líder do PS, pois podia ter ido mais longe: «Vou dar-lhe um exemplo: Nuno Godinho de Matos, fundador do PS e apoiante de António Costa. Foi até há pouco tempo administrador do BES, apoiou no ano passado o candidato do PSD à Câmara de Oeiras, foi advogado da Ferrostaal no negócio dos submarinos, e no outro dia deu uma entrevista a dizer que estava no BES por razões políticas». Faltou a António José Seguro acrescentar que Nuno Godinho de Matos pertence ao Grande Oriente Lusitano (Loja Liberdade e Justiça)Sim, porque alguns elementos da Maçonaria, como de outras instituições respeitáveis, fazem parte do tal «partido invisível» que tem condenado o país à miséria. Fica claro, preto no branco, quem deve ter vergonha e quem deve ter falta dela.

Miopia dourada

Um novo rumo para a escolha

Mário Soares: rasca ou à rasca?

Quando um dos fundadores do PS sente necessidade de vir a terreiro atacar, insultar e difamar António José Seguro, a três dias das eleições primárias, é porque o resultado está longe de ser favas contadas.

P. S. É claro que António Costa não tem qualquer responsabilidade sobre o que os seus principais apoios dizem. 

quarta-feira, setembro 24, 2014

Rui Rio: à janela no BCP

Com o avolumar das especulações sobre o caso Pedro Passos Coelho/Tecnoforma, certamente Rui Rio permanece à janela do seu gabinete no BCP. Será que Miguel Relvas ou Marcos Perestrello podem dar uma ajuda?

Passos em volta do esquecimento

Selecionador ausente

«Para dirigir a Seleção nos 7 jogos que tem para chegar ao Europeu, a Federação escolheu um treinador com um castigo de 8».

Falsas partidas

Desta vez vou dizer bem de Seguro (mas não só)

«Portugal é assim: quando alguém propõe uma reforma, dispara-se primeiro e pergunta-se depois».

terça-feira, setembro 23, 2014

Seguro versus Costa: último debate

«Não ajudes a direita!», disse António José Seguro. 
Esta é a frase de um debate em que António Costa voltou a não apresentar uma única proposta concreta face às propostas do líder do PS. 
Agora chegou a vez dos militantes e simpatizantes do PS se pronunciarem.

P. S. João Adelino Faria, como jornalista competente e isento, esteve à altura do último debate. 

António Costa: última oportunidade

António Costa tem, hoje, a última oportunidade para recuperar a vantagem de António José Seguro nos dois anteriores debates. Mas sem propostas concretas não é possível vencer debates. Quanto à questão dos ataques pessoais... é melhor esperar pelo fim do debate.

Escrutínio enviesado

A informação mainstream não deixa de surpreender. Ora ignora a ausência de um autarca perante o caos na cidade, ora massacra ministros que pedem desculpas, publicamente, por erros de terceiros, ora ironiza com a decisão do primeiro-ministro em pedir uma esclarecimento cabal à Procuradoria-Geral da República sobre o seu passado fiscal enquanto deputado. Em que ficamos? É só uma questão de falta de isenção? Ou será outra coisa ainda mais complexa?

Passos por cima

Pedro Passos Coelho pediu à Procuradoria-Geral da República um esclarecimento sobre os rendimentos que terá auferido ou não, da Tecnoforma, entre 1997 e 1999. Para já, é mais um exemplo de quem tem outro entendimento de estar e fazer política. Isto está mesmo a mudar...

Primárias do PS: liderança e soluções para defrontar os problemas do país?

«É preciso que, humildemente, o PS mostre que aprendeu com o que correu menos bem no passado».

Costa mete água

A forma como o presidente da Câmara Municipal de Lisboa encarou as chuvadas de ontem e tentou sacudir a água do capote, alijando responsabilidades evidentes da parte da autarquia, dizem muito sobre uma determinada forma de exercer o poder. Por sua vez, a forma como António José Seguro evitou fazer um aproveitamento demagógico da situação caótica que se viveu na capital também diz tudo sobre uma nova forma de estar e fazer política.

António Costa, presidente voluntário de Lisboa

«Onde esteve António Costa quando os rápidos desceram pela Av. da Liberdade? Não o vi de galochas ao lado dos senhores da protecção civil. Não o vi mais ou menos molhado».

A troika e o BES

Seguro e Costa à lupa

Uma análise credível do líder do PS e do candidato António Costa.
João Cardoso Rosas analisa António José Seguro e André Freire, António Costa. 
Cada um é apoiante confesso do candidato que avalia.

António José Seguro, por João Cardoso Rosas:
Forças – Caráter, honestidade e perseverança, preparação, realismo, bom senso, à vontade no contacto com o povo, não pertence à oligarquia e tem o apoio do mundo sindical e do trabalho;
Fraquezas – imagem televisiva, é emotivo, mostra o que lhe vai na alma, não tem um discurso doutrinário que apele aos setores intelectuais, carece de bons conselheiros e possui relacionamentos difíceis dentro do próprio partido;
Oportunidades – possibilidade de ter um novo começo (no PS e no país), pode enveredar por um caminho de unidade no partido em caso de vitória e seguir o rumo da Europa contra as políticas de austeridade;
Ameaças – figuras históricas do PS que apoiam Costa, o ‘establishment' da capital e os seus conluios, a imprensa e a Impresa.

António Costa, por André Freire:
Forças – mais assertivo e credível na oposição ao Governo, vontade de estabelecer diálogos com as esquerdas socias e político-partidárias e capacidade de diálogo e negociação;
Fraquezas – ausência de tomada de posições sobre a dívida atual e futura do país;
Oportunidades – diferenciar-se de Seguro, propondo medidas que reforcem a governabilidade com incentivos institucionais fortes à cooperação entre os partidos e sem que seja beliscada a proporcionalidade e embarque em populismos;
Ameaças – Fraca diversidade de leque de alianças possíveis no Parlamento, que pode obrigar o PS a ficar refém de aliados. Outra ameaça é a Europa, pois para que o ‘status quo’ seja alterado é necessário que as orientações políticas na União Europeia mudem.

segunda-feira, setembro 22, 2014

George Clooney: branqueamento ou bomba?

«'Hack Attack’ contará como foi criada uma rede de espionagem em que ninguém estava a salvo, já que se escutavam tanto políticos e celebridades como cidadãos anónimos».

Stock e foge

Costa em Tocha

Para ler, sem mais palavras.

Política e agências

Costa sem tempo

Inundações em Lisboa.

PS: a escolha decisiva

Fumo judicial

domingo, setembro 21, 2014

Remendos

Stalin revisitado

A difícil missão

"A justiça está feita para deixar escapar os corruptos"


Costa com apoios de peso

Nos últimos comentários televisivos, Marcelo Rebelo de Sousa e Marques Mendes, do PSD, não se cansam de elogiar António Costa e de criticar António José Seguro. Compreende-se...

PS: alguém tem dúvidas?

António José Seguro afirmou que «há um partido invisível, que tem o verdadeiro poder». 
Alguém tem dúvidas que, em Portugal, este "partido" tem estado no poder com o PS, PSD e CDS-PP? Mesmo depois do abismo em que caímos...

sábado, setembro 20, 2014

Loucuras

Ainda há juízes em Aveiro

«O ciclo feito da investigação ao julgamento é um exemplo de aplicação da cartilha do combate à criminalidade económico-financeira».

Costa à rasca

O candidato que disputa a liderança do PS começou, finalmente, a falar de mudança. Foi na Trofa, ontem. Agora já só falta começar a criticar José Sócrates...

Um referendo paradoxal

Nem bom nem novo

Portugal de Mota

sexta-feira, setembro 19, 2014

Alex Salmond: política com valores

«O chefe do governo escocês, Alex Salmond, demitiu-se, depois da vitória do “não” no referendo».

Parlamento exemplar

Todos os partidos com representação na Assembleia da República aprovaram a constituição de uma Comissão Parlamentar de Inquérito ao caso do BES. Isto está mesmo a mudar...

SUMA e segue

Escócia votou pelo 'Não'

O resultado é muito mais expressivo do que as sondagens fizeram crer até ao último minuto ('Não' com 55,3% e 'Sim' com 44,7%). Mas o sentimento independentista está aí, cada vez mais forte, ao virar da esquina, se os Estados europeus não arrepiarem caminho.

Mãos ao alto!

quinta-feira, setembro 18, 2014

Grupo parlamentar do PS: o desespero

A fúria desabrida da maioria dos deputados socialistas à proposta de reforma do sistema político apresentada por António José Seguro, com Jorge Lacão e Ferro Rodrigues à cabeça, estão a fazer mais por António José Seguro do que alguma vez passaria pela cabeça do secretário-geral do PS. 

Justiça em frente

De uma penada, a Procuradoria-Geral da República confirmou duas investigações da maior importância que envolvem Pedro Passos Coelho e Luís Filipe Meneses. Isto está mesmo a mudar...

Justiça e Educação estão a mexer

Paula Teixeira da Cruz e Nuno Crato vieram a terreiro pedir desculpa por erros cometidos no âmbito das reformas que estão a efectuar, respectivamente, na Justiça e Educação. Eis um exemplo como o exercício do poder tem um novo estilo, mais responsável politicamente. Isto está mesmo a mudar...

Bloco de Esquerda: o que resta?

A reacção do Bloco de Esquerda à proposta de reforma do sistema político apresentada por António José Seguro é uma desagradável surpresa. Não obstante o compromisso público do líder do PS de abertura a uma solução que não penalize os partidos mais pequenos, o sectarismo chega ao ponto de colocar o Bloco de Esquerda contra uma renovação urgente que tantas e tantas vezes tem reclamado.

Da Escócia à Jugoslávia

Escócia: o medo do sistema

É de pasmar como uma reivindicação legítima, que vai a votos, pode assustar e gerar tantas e tantas reacções negativas da velha classe política europeia.

Pandora escocesa

A escola à deriva

terça-feira, setembro 16, 2014

Seguro: a mudança em marcha

António José Seguro propôs um projeto para reforço das incompatibilidades dos titulares de cargos políticos e altos cargos públicos, com obrigação da revelação de origem dos rendimentos e indicação das entidades pagadoras. E anunciou também a proposta de revisão da lei eleitoral para a Assembleia da República, com redução de 230 para 181 deputados e introdução do voto preferencial do eleitor em relação ao deputado, garantindo que os deputados socialistas terão liberdade de voto.
As primeiras reacções incomodadas às 11 propostas para o aumento da transparência na actividade política e pública, desde António Costa a outros partidos, revelam o muito do cinismo político que continua a reinar.

O terceiro homem

O papel dos mais velhos

A grande solteirona

Maria de Lurdes Rodrigues: e depois da festa...

A ex-ministra da Educação, como qualquer outro cidadão, tem direito a recorrer da condenação que lhe foi imposta. E até afirmar que se sente injustiçada. Mas não vale tudo. E fundamentar a crítica num plano inimaginável da arrogância política só serve para enterrar mais um determinado estilo de exercício do poder que, aliás, depois da festa, nos conduziu até ao abismo. O que pensarão Seguro e Costa? Ou será que a pergunta não dá muito jeito?

A ministra condenada

«Chocados ficamos todos nós por a dita senhora esbanjar dinheiro público a bel-prazer».

Escócia: o movimento que veio para ficar

Enquanto por cá se discute quantos tostões se gastam num Serviço Nacional de Saúde caduco e injusto, a Escócia decide o seu futuro, em referendo pela independência do Reino Unido, tendo como referência a reivindicação de poder decidir quanto gasta no seu serviço de saúde pública.

segunda-feira, setembro 15, 2014

Citius ressuscita… um bocadinho

Quem faz a estrela de Seguro

«De forma silenciosa, António José Seguro mudou o modo de funcionar da direcção do PS».

Maria de Lurdes Rodrigues condenada

Tribunal deu como provado crime de prevaricação da ex-ministra da Educação (Governo Sócrates) na contratação de irmão de Paulo Pedroso, condenando-a a três anos e seis meses de prisão com pena suspensa.

Gestores emprestados

Barbárie e civilização

Costa e Seguro à janela do país: a televisão

quinta-feira, setembro 11, 2014

Entre a ética e o crime

11 de Setembro: 13 anos depois

O que mudou? Aprendemos alguma coisa? Não! A máquina militar, os instrumentos de segurança e o ódio continuam a dominar os Estados e os governantes.

A trégua ao segundo debate

Variante ou alternativa?

«O Portugal dos Maias é igual ao Portugal de hoje»

quarta-feira, setembro 10, 2014

SICN: Seguro reforça vantagem

O segundo debate entre António José Seguro e António Costa, na SICN, voltou a ser favorável ao actual líder do PS: revelou mais capacidade em debate e melhor preparação para ser primeiro-ministro, bem como arrancou a frase da disputa [«Estive três meses à espera dos debates»].

TVI24: Seguro arrasa Costa

O primeiro debate entre António José Seguro e António Costa, na TVI24, foi de tal forma favorável ao actual líder do PS que surpreendeu tudo e todos.

segunda-feira, setembro 08, 2014

Tribunal reduz 3,9 milhões de euros à multa da Optimus

O culpado e as culpas dos outros

CIA torturou terroristas da al-Qaeda "até ao ponto da morte"

Golfe: fantástico

domingo, setembro 07, 2014

Eleições nas Federações do PS: e depois do truque mediático...

O resultado final das eleições nas Federações do Partido Socialista (impugnações à parte) revela que a diferença entre as Federações afectas a António Costa (10) e a António José Seguro (9) foi estabelecida, por exemplo numa das 19 Federações, designadamente a de Leiria, por uma diferença de sete votos, num universo de 46.229 militantes.
O truque mediático de António Costa, de insinuar uma vitória expressiva um dia antes da conclusão das eleições, não surpreende, mas não chega, pelo que se impõe uma análise mais fina dos resultados. A única certeza é que os debates televisivos vão ser decisivos, entre outras surpresas que ainda podem/possam/poderão surgir... 

Ainda o mapa

Face Oculta: Teófilo Santiago elogia acórdão

Se neste país houvesse vergonha...

sexta-feira, setembro 05, 2014

Pecado original

Vara, choque e passado

Armando Vara foi um dos condenados no âmbito do processo Face Oculta. Tem direito a recorrer da decisão. E até manifestar «choque» depois de ouvir a condenação a cinco anos de prisão efectiva. Porém, hoje, a notícia é outra: através do acórdão do processo Face Oculta foi possível perceber ainda melhor as negociatas de alguns senhores do poder, bem como comprovar o que se passou nos corredores da governação em Portugal.

Joana Marques Vidal marca a diferença

A procuradora-geral da República não perdeu tempo e saiu em defesa da «boa investigação» do Ministério Público, depois de ter sido lido o acórdão do Colectivo de Aveiro. Eis uma boa forma de marcar a diferença com o seu antecessor.

Face oculta: Tribunal com mão pesada

A condenação dos principais arguidos do processo "Face Oculta" é um momento decisivo para a Justiça portuguesa.

Seguro cada vez mais seguro

As entrevistas realizadas a António Costa e a António José Seguro por Fátima Campos Ferreira, na RTP, no âmbito da corrida à liderança do PS, revelaram uma profunda diferença: o actual líder do PS demonstrou propostas claras e assertivas, enquanto o challenger se ficou pela vacuidade ou pela recusa de assumir compromissos.

quinta-feira, setembro 04, 2014

A hora do TPI

Momento da verdade

BCE ao ataque

Espírito de contradição

Esta Europa não vai salvar ninguém

quarta-feira, setembro 03, 2014

PS: Verdade ou mentira oficial?

Tem sido repetido até à exaustão que Pedro Passos Coelho e Paulo Portas preferem disputar as próximas eleições legislativas com António José Seguro. É uma afirmação que não corre o risco de um desmentido oficial. E já agora fica a dúvida: terá sido por isso que o actual Governo permitiu a António Costa fazer o "brilharete" de, num passe de mágica, reduzir em mais de 40% a dívida bancária da Câmara Municipal de Lisboa, após o acordo em relação aos terrenos do aeroporto e Parque Expo?

Corte urgente

A maquilhagem dos currículos e os documentos desaparecidos

Almoços grátis

A guerra dos gasodutos

Afirmar o futuro em tempos difíceis

terça-feira, setembro 02, 2014

Seguro e Costa: corrida aos mortos-vivos?

A avaliar pelas acusações de parte a parte, Portugal corre o risco sério de ter o líder do maior partido da oposição eleito por fantasmas.

Seguro a fazer a diferença

António Costa recebeu apoio da parte de alguns dos barões do PS, nomeadamente António Almeida Santos, Manuel Alegre, Jorge Sampaio e Vera Jardim. Para uns é a política dos grandes interesses a apoiar o presidente da Câmara de Lisboa; para outros é a tentativa desesperada dos responsáveis pelo abismo assegurarem o branqueamento do passado. 

Os donos-disto-tudo

Justiça: quando não basta iniciar uma reforma

Paula Teixeira da Cruz regressou à ribalta com a "sua" reforma da Justiça. Terá razões para tantos auto-elogios e até uma ponta de arrogância política? Não! Com tanta confusão, que marca negativamente a imagem do novo mapa judiciário, a ministra da Justiça devia ter começado por pedir desculpa aos portugueses.

Estagiários e profissionais

segunda-feira, setembro 01, 2014

Interpretações

O mapa dos tribunais

«A ministra da Justiça fez o que está nas suas competências: decidiu, avançou e avocou meios».

O país em suspenso

Todas as conversas convergem, hoje, para as grandes questões do dia: Enzo Perez fica no Benfica? William Carvalho vai para o Arsenal ou para Manchester United? Crise? Qual crise? Até às 18 horas a crise é outra...

A guerra que começou duas vezes