MAIS ACTUAL BLOG

Rui Costa Pinto - Jornalista/Editor/Publisher

segunda-feira, junho 30, 2008

Há milagres e milagres

Hás uns que chocam mais do que outros.

Há barragens e barragens

Há umas com mais ou menos Sabor.

Há fruta e fruta

O Presidente do FC Porto averbou uma surpreendente vitória. O juiz de instrução, Artur Coimbra Ribeiro, não pronunciou Pinto da Costa, Reinaldo Teles, administrador da SAD portista, António Araújo, empresário, e os árbitros Jacinto Paixão, Manuel Quadrado e José Chilrito no âmbito do processo que recebeu o nome de 'Caso da Fruta', que se reportava ao jogo FC Porto-E. Amadora, da época 2003/04.

domingo, junho 29, 2008

Torres de Espana

Um golo de génio para uma equipa que mereceu ganhar o Euro 2008.

Ainda mexem

Os 'falcões' da Administração Bush ainda não desistiram de invadir o Irão. No entanto, parece que a 'bazófia' já lhes está a passar. Com o preço do petróleo a chegar aos 150 dólares, até a força de uma super potência parece ter limites.

Debaixo de fogo

As manifestações contra o Código Laboral revelam uma ruptura transversal com o Governo. À esquerda do PS há cada vez mais união e a direita está a levantar a cabeça com Manuela Ferreira Leite. José Sócrates já não tem a maioria absoluta, que conquistou em 2005.

sexta-feira, junho 27, 2008

Michel Platini

Um obstáculo para os 'Senhores' do costume.

Religião e QI

Um estudo interessante e polémico.

Marinho Pinto no bom caminho

O Bastonário da Ordem dos Avogados, mais uma vez, fez declarações surpreendentes, pela sua oportunidade e justeza. É preciso ter muita credibilidade e coragem para afirmar que João Vale e Azevedo tem razões de queixa da Justiça portuguesa, para denunciar o que falta à actividade das polícias e para acabar com a vergonha das Oficiosas entregues aos Advogados Estagiários.

quinta-feira, junho 26, 2008

Reflexão interessante

Cheira a remodelação

A imposição da CAP foi acatada. O PM passou a liderar a negociação com os agricultores. A substituição do ministro da Agricultura está iminente. Resta saber se vai ser a única.

O regresso anunciado

Cavaco Silva substituiu Manuela Ferreira Leite por Leonor Beleza no Conselho de Estado. As pontes para o 'Bloco Central' continuam sólidas.

Aviso na Justiça

quarta-feira, junho 25, 2008

Miopia sindical

Os que confundem a CGTP com o PCP e até os TSD com o PSD teimam em não ter o mesmo critério em relação à UGT, perdão, ao PS. Curioso! É difícil não reparar que os respectivos líderes, - Carvalho da Silva, Arménio Santos e João Proença -, estão lá há tanto temnpo que já devem estar a preparar o futuro próximo. Obviamente, um deles tem mais hipóteses do que os outros dois.

Código do Trabalho

O mais importante instrumento para o futuro, que não é carne nem peixe, é uma oportunidade perdida. A assinatura do texto que contém uma amálgama de modelos importados, alguns dos quais desfasados da realidade portuguesa, teve o mérito de revelar uma nova faceta de um governo arrogante e autoritário: a posição de cócoras do PM em relação à CAP.

A novela do Verão

João Vale e Azevedo.

segunda-feira, junho 23, 2008

domingo, junho 22, 2008

É mesmo Bloco Central

Marcelo Rebelo de Sousa não desiludiu. Um pouco mais contido, o Professor lá explicou a razão para a «oposição moderada» de Manuela Ferreira Leite ao governo socialista. No Congresso de Guimarães, Super só mesmo a Bock, nos painéis de publicidade.

A palavra a Marcelo Rebelo de Sousa

Hoje, o comentário é imperdível!

O critério de José Alberto Carvalho

Uma parte do discurso de José Sócrates foi transmitido, em directo, no canal do costume, após a distribuição de mais uns computadores à custa do dinheiro dos contribuintes. E ainda falta muito tempo para as eleições.

Paulo Rangel

O candidato a líder parlamentar do PSD é uma boa escolha em comparação com os putativos candidatos que circularam nos Media. Provavelmente, será a primeira vítima do 'Ferreirismo'.
P.S. Curiosamente, e no momento em que o escrutínio deve ser transparente, os 'barões' que mataram as anteriores lideranças têm mantido um prudente silêncio depois de terem eleito a (sua) líder.

Onde esteve este Santana Lopes?

O ex-primeiro-ministro e candidato derrotado por Manuela Ferreira Leite fez um discurso notável, sereno, incisivo e capaz de dar uma lição a quem sempre teve a ética política na boca.

sábado, junho 21, 2008

Reviravolta no PSD

Pedro Passos Coelho, com mais ou menos Ângelo Correia (esperemos que sem!), fez um discurso notável. Ainda antes de Pedro Santana Lopes discursar, ficou claro que o segundo mais votado nas directas se tornou uma certeza do futuro do PSD.
P.S. Compreende-se o discurso inflamado e patético de Rui Rio. Como político inteligente, deve ter pecebido, hoje, que tanto hesitou que perdeu qualquer possibilidade de chegar a líder do PSD.

Aposta

A próxima sondagem, nos sítios do costume, vai ser uma enorme surpresa.

Da melhor leitura política





Taxa Robin dos Bosques?

Estes marketeiros políticos perderam a cabeça.

À espera de Santana Lopes

O ex-primeiro-ministro, com um terço do partido no bolso, apesar de uma campanha descarada em favor de Manuela Ferreira Leite, pode e deve falar ao XXXI Congresso do PSD com frontalidade. Chegou o tempo de afirmar um caminho e estabelecer uma diferença clara com os 'cavaquistas'.

Começou a debandada?

José Miguel Júdice abandonou o projecto da Frente Ribeirinha de Lisboa.

sexta-feira, junho 20, 2008

Cautelas e caldos de galinha

Sobre o futuro Bloco Central, mais do que anunciado e confirmado, Manuela Ferreira Leite usou a cartilha do 'cavaquismo'. Em vez da transparência, manteve a receita do cheque em branco e a chantagem do acreditem em mim. Acabou! Acabou o discurso do contraditório no seio do maior partido da oposição. Começou a era do oportunismo em nome da credibilidade, em que impera o silêncio sobre a substância, em nome do poder. E de Portugal, pois claro.

Expectativa

Uma sala às moscas assistiu ao primeiro discurso de Manuela Ferreira Leite.

Faz pensar

Os Media de Espanha sob a lupa dos financeiros.

Voltar à realidade

Com Portugal fora do Euro 2008, e sem euforias artificiais, que também fazem parte da vida dos povos, como referi anteriormente, os portugueses vão ter mais tempo para avaliar a actual governação e os primeiros sinais de desmoronamento da coesão da maioria socialista. E, também, a tentativa de reforço de posições do Bloco Central, perdão, do PSD de Manuela Ferreira Leite.

A mediocridade sem limites

Ainda o cadáver está quente e já começou o desenfreado ataque à selecção derrotada e ao treinador de partida para o Chelsea. Salvo raríssimas excepções, aqueles que andaram a 'embalar' os portugueses, porventura para ter direito a uma entrevistinha ou a entrar nas boas graças deste ou daquele, aparecem agora, quais virgens apanhadas de surpresa, a sacrificar as estrelas do futebol português.

quinta-feira, junho 19, 2008

A 'ZONA' DO PS

Ainda se lembram do discurso da Aspirina?

Medicamentos mais caros.

Governo também joga

O jogo entre Portugal e a Alemanha é muito importante para o governo da maioria socialista. Um resultado desfavorável poderia tornar os portugueses mais atentos à realidade.

Bloco Central em marcha

Conforme escrevi Aqui, a realidade começa a impor-se à medida que se arpoxima o Congresso do PSD. Só falta Marcelo Rebelo de Sousa anunciar a (triste) nova ao país.

No país da Maria (de Lurdes)

Em época de exames, os alunos fartam-se de gozar com a dificuldades dos testes nacionais. As estatísticas têm as suas vantagens: ainda vamos passar a ser um país de jovens estudantes intelectuais e letrados, ainda que seja só para fazer de conta.

quarta-feira, junho 18, 2008

Hilariante e triste


O ministro Ama(cia)do, do alto da sua impunidade política, sugeriu um novo referendo na Irlanda para tentar salvar o que resta da União Europeia. A habilidade democrática já não impressiona. Deve ser por tiradas destas que o ministro dos Negócios Estrangeiros é um dos mais populares do governo.
P.S. Nos últimos vinte anos, os ministros que tutelam a pasta dos Estrangeiros aparecem sempre nos primeiros lugares do ranking dos membros mais populares do Executivo. Curioso, por que será?
P.P.S. A propósito, seria muito interessante saber por que razão George W. Bush não passou por Portugal no actual périplo europeu. Será que alguém do governo ou até Pinto Monteiro, Procurador-geral da República, estão em condições de responder?

O fim dos 'mitos'

João Gonçalves continua a ter a coragem, bem ou mal, de dar a sua opinião sobre os 'intocáveis' do regime.

terça-feira, junho 17, 2008

FCX Clarity

I love Honda.

Camionista ou idiota?

Leio Medeiros Ferreira e fico na dúvida.

O dedo e o respeitinho

Isaltimo Morais vai a julgamento. O aplauso é geral. E, aparentemente, com toda a razão. Infelizmente, os que têm sempre o dedo esticado em relação aos negócios dos Autarcas revelam muito mais cautela quando se trata de analisar o combate à corrupção, os grandes negócios com o Estado e a gestão das empresas públicas. Até pode dar mais gás e energia, mas fica a sensação que o respeitinho preside à coisa, a Metro, pois claro, em Lisboa ou em qualquer outro lugar.

Em cheio

OBAMA, CAVACO E ESSA COISA DAS PALAVRAS

Entre as 17:45 e as 18:00

O primeiro 'buzinão' para José Sócrates.

segunda-feira, junho 16, 2008

Oposição moderada?

Marcelo Rebelo de Sousa está cada vez mais radical. Na última análise política da actualidade, o analista político desancou a classe política, nomeadamente a líder do PSD, por causa da crise dos combustíveis. Só falta o Professor anunciar, formalmente, o sonho de Cavaco Silva para 2009: um governo do Bloco Central, perdão, de 'Salvação Nacional', formado pelos dois maiores partidos do regime.

domingo, junho 15, 2008

Medina Carreira

Um artigo de opinião para guardar.

Uma espécie de democratas

Ora pedem uma nova votação na Irlanda, ora entendem que os tratados internacionais não devem ser referendados. A crise da Europa explica-se pelas lideranças de políticos fracos, que insistem em ignorar os mais recentes chumbos.

O falso brilho

A Expo 2008, em Saragoça, mostra um Portugal moderno, em que os problemas dos portugueses foram afastados para o fundo dos rios. Não admira o entusiasmo de Cavaco Silva.

Scolari no inferno

O treinador da selecção teve ontem uma pequena amostra do que o espera em Londres, no Chelsea. No campo, já se sabe que tem de ganhar tudo. E, nas conferências de imprensa, não haverá Jorge que lhe valha.

sábado, junho 14, 2008

Blogosfera exemplar

A propósito de um post, a Media Capital enviou um comunicado, ao abrigo do direito de resposta, que foi publicado no blog 'O Homem das Tabernas'.
P.S. O ponto 4 do comunicado é de chorar a rir. Há treinos e treinos. Que tal incluir mais umas perguntas:
a) Dormiu bem?
b) Comeu brioches ao pequeno almoço?
c) Usa protetctor solar?
c) Como se sente após o incêndio?

Previsibilidades

Jaime Silva, o ministro da Agricultura de o governo da esquerda do 'big business', já começou a reagir a um novo embate: os agricultores. Pelo menos, neste caso, ninguém vai ter o desplante de vir dizer que foi tudo apanhado de surpresa.

Grande jogo

A equipa holondesa deu mais uma lição de futebol aos franceses. É uma das mais sérias candidatas à vitória.

sexta-feira, junho 13, 2008

Sobre o 'Não' na Irlanda

Via Diplomata.

Falhanço

Os irlandeses não aceitaram a 'generosidade' de políticos de pacotilha, que se acham no direito de impor a construção europeia à revelia dos povos e à custa da mentirola política mais ou menos habilidosa. Certamente, os papagaios do costume virão a terreiro alertar para a catástrofe e para a necessidade de acabar com a obrigatoriedade de consulta em cada um dos Estados membros, consagrando uma espécie de 'diktat'. A propósito, de 'diktat', Angela Merkel deve estar a rebolar de riso depois de os 'tugas' terem feito ordeiramente o trabalho sujo. Tudo em prol da Europa, pois claro, mais carreira menos carreira política.

Coisas importantes

Como o combate ao tráfico de armas.

quinta-feira, junho 12, 2008

Cantar vitória antes do tempo

Depois de manifestar total incapacidade em antecipar a crise dos camionistas, é verdade que José Sócrates conseguiu gerir o conflito com bom senso. Infelizmente, este primeiro-ministro está longe de ser um estadista. O discurso de auto-elogio, que usou durante o debate quinzenal, vai-lhe custar caro em próximos braços-de-ferro com a sociedade civil.

Nas mãos dos irlandeses

O referendo ao Tratado de Lisboa está em votação.

Who's next?

Será que o governo também vai ficar à espera que os agricultores venham para a rua?

Scolari no Chelsea

Uma transferência surpreendente, ainda antes de terminar o Euro 2008, que obriga os portugueses a descerem à realidade.

Arrogâncias

Enquanto Cavaco Silva tenta que a 'graça' da raça passe no turbilhão dos combustíveis, José Sócrates aceitou discutir a actual crise no debate quinzenal. São dois tipos de arrogância típicos. O primeiro, em nome da credibilidade das instituições, que até faz rir; a segunda, em nome de uma tentativa de disfarçar o discurso político recente, nomeadamente de quem se gabou de ter resolvido as finanças públicas e de ter garantido que a economia portuguesa estava em condições de enfrentar as crises externas. Não fora uma propaganda descarada e uma Comunicação Social dócil, quiçá, temerosa, os camionistas já teriam ao seu lado, e apesar de todos os excessos, a maioria dos portugueses.

terça-feira, junho 10, 2008

Primeira vítima

O dia de Portugal e das Comunidades ficou manchado pela morte de José Ventura, 52 anos, que morreu num piquete de greve.
P.S. O Presidente da República ainda não pediu desculpa, um dia depois de ter insultado os portugueses.

Ao que isto chegou

A polémica do Casino Lisboa voltou à ribalta. Sem consequências políticas ou penais, apesar de ficar a enorme dúvida, justa ou injusta, que alguém do governo de Pedro Santana Lopes meteu dinheiro em bolso próprio e/ou alheio. A reacção de Assis Ferreira, em nome da Estoril Sol, está à medida de um poder político que já ninguém respeita. Para o empresário, o Estado nem precisa de juristas e pode pagar às prestações, se quiser fazer reverter o negócio à estaca zero. É uma declaração importante no dia em que Cavaco Silva, que continua a assobiar para o ar, apelou à credibilização das instituições. Depois da raça, não está nada mal.

O discurso da raça

Esquerda do big business

Que este governo não é de esquerda, já ninguém tinha dúvidas. Agora, com as últimas greves, nas pescas e nos combustíveis, que estão a ser patrocinadas pelos patrões das pequenas e médias empresas, percebe-se melhor que este governo só agrada aos grupos económicos e aos empresários que patrocinam os grandes negócios de Estado.

Sem Judas

Carlos De Mattos volta a atacar.

segunda-feira, junho 09, 2008

Não há respeito pelos cidadãos?

Hoje, a Câmara Municpal de Lisboa, liderada por António Costa, José Sá Fernandes e Marcos Perestrelo fecham a Praça das Flores para ficar à disposição de uma marca automóvel. E, amanhã? Fecham a cidade? O país?

Nódoa à esquerda

Vinte anos depois, o ex-Bispo de Setúbal, D. Manuel Martins, voltou a alertar para o flagelo da fome, em Portugal, sobretudo entre os idosos.

sábado, junho 07, 2008

Falência ou 'break down'?

Só faltava mesmo Manuel Alegre apresentar propostas concretas para se substituir ao Executivo. A desesperada tentativa de o diminuir politicamente revela um governo nervoso e incapaz de dar a volta à crise. Por mais sondagens que se façam, já não há tiques arrogantes, perseguições, truques, mentirolas, promessas e encenações suficientes para esconder a realidade.

sexta-feira, junho 06, 2008

Sócrates na versão artística

Mais uma manifestação impressionante, com mais de duzentas mil pessoas a desfilar nas ruas de Lisboa. Por este caminho, não será de admirar, mais tarde ou mais cedo, assistir a José Sócrates a cantar a Internacional. Com teleponto, é claro.

Vai ser preciso muito mais

A tentativa de liquidar os críticos, como Manuel Alegre, com campanhas de calúnias é um velho hábito dos medíocres.

quinta-feira, junho 05, 2008

Papagaios a mais

Já não se conseguem aturar aqueles que insistem em dizer que acabou o paradigma do petróleo barato. O paradigma da elevada fiscalidade sobre o preço dos combustíveis é que não pode continuar, sob pena de matar milhões e milhões à fome e de liquidar a economia mundial.

Resultado político avassalador

Os 15 a zero (perguntas do CDS/PP sem resposta) foram a tónica dominante da moção de censura ao governo, que veio para ficar. Sob a arrogância de uma maioria absoluta, o primeiro-ministro já nem se sente obrigado a responder e a respeitar um instrumento parlamentar da maior importância. Felizmente, nem o paleio demagógico, da mais baixa qualidade política, da espécie de ministro dos Assuntos Parlamentares (quem diria, quem o conheceu há muitos anos!), justifica a invocação da defesa despudorada de o Estado social, que só ainda existe na cabeça de que já nem sabe o que significa a esquerda e julga que pode disfarçar a realidade através da manipulação das estatísticas. Paulo Portas pode ter pertencido a um governo falhado. Até pode ter sido um ministro da Defesa medíocre (curiosamente, ninguém da maioria socialista o diz, por que será?). Até pode ter grandes responsabilidades na actual situação de miséria. Contudo, já foi sancionado pelo eleitorado, em 2005. Por isso, o líder do CDS/PP tem toda a legitimidade em questionar a (farsa) governação, que, agora, se esconde nas desculpas do preço deo petróleo para tentar disfarçar um falhanço monumental em relação às promessas que levaram o povo português a votar José Sócrates.

Vergonhoso

As conferências de imprensa da selecção portuguesa de futebol continuam a ser uma fraude e uma verdadeira capitulação jornalística.

Bem salgados?

Através do Para mim tanto faz, e sem desmentido visível, fiquei a saber, em primeira mão, de mais uma Bildeberg(ada) no território português. A Democracia é assim. Mostra a (porcaria) realidade com a candura e a ingenuidade da evidência de facto. Pena é que o povo, muito ocupado a sobreviver, não se aperceba do que se passa, no segredo dos corredores, à sua volta.
P.S. Será que é transmitido em directo pela SIC Notícias?
(P.)P.S. Não, o povo não é estupido!
(P.P.)P.S. Não se cansem os que pretendem saber qual é o regime alternativo à Democracia.

Mais um protesto


A Avenida da Liberdade acolhe, hoje, mais uma manifestação promovida pela CGTP. com o objectivo de exigir que o Governo altere a sua proposta de revisão do Código do Trabalho e as suas políticas sociais.

CDS censura

A discussão no Parlamento da moção de censura do CDS/PP é uma prova de vida política para Paulo Portas. Depois do Bloco e do PCP, também uma parte da direita acordou para um instrumento parlamentar que está à medida do descontentamento e que obriga o governo a enfrentar a realidade.

quarta-feira, junho 04, 2008

Pinto da Costa sem estrela

O presidente do Futebol Clube do Porto sofreu a maior derrota da sua vida de dirigente desportivo. Nem as visitas ao Parlamento valeram a pena. A manter-se a decisão de exclusão da Taça dos Campeões, e a prudente e discreta posição do governo (até quando?), Pinto da Costa deixou de ter condições para dirigir o clube campeão nacional.

Obama/Clinton

Só falta garantir o ticket para acabar com o pesadelo Bush.

Um exemplo necessário

Manuel Alegre
Manuel Alegre marcou um encontro com o futuro de Portugal. O comício das esquerdas, no Teatro da Trindade, em Lisboa, em que participaram dirigentes do Bloco de Esquerda, ex-comunistas e dirigentes históricos do PS, foi um dos mais importantes momentos da renovação, que representa uma alternativa política.

terça-feira, junho 03, 2008

The best

O título e o conteúdo.

Com energia, mas sem asas

A Autoridade da Concorrência, na versão pós-Mateus, lá fez um relatório 'encomendado' pelo Governo, como referiu José Sócrates no Parlamento.´De facto, o primeiro-ministro emendou 'gaffe', mas ficou a certeza, hoje, que se não foi encomendado, então o relatório apresentado é uma coisa de anjos... como convinha, pois claro, ao clima de concorrência que existe em Portugal.

domingo, junho 01, 2008

Selecção de Portugal

É impressionante!
A partida dos jogadores de futebol mereceu, mais uma vez, o entusiasmo de todos. Será que todo este povo, que aclama a selecção e Portugal, não deveria merecer mais transparência, dignidade e competência dos governantes da República?