MAIS ACTUAL BLOG

Rui Costa Pinto - Jornalista/Editor/Publisher

quarta-feira, fevereiro 28, 2007

Opções

Entre o programa de José Carlos Malato (meus ricos vinte minutos da minha vida!!!) e a Grande Entrevista de Júdite de Sousa (tem semanas!!!), continuo a preferir o Jornal das Nove, com Mário Crespo, na SIC Notícias.

Vale tudo

A OPA da Sonaecom sobre a PT é o espelho do país em que vivemos.

Meu Deus!!!

Este Sporting não existe. Apesar de ter ganho à Académica, o Leão de Alvalade parece um gatinho.

Tempos difíceis

O debate mensal sobre a segurança interna rapidamente se transformou, e muito bem, num debate sobre a actualidade. Apesar dos esforços de José Sócrates (uma sombra do que já provou ser capaz), Marques Mendes marcou o debate quando chamou autista e insensível ao primeiro-ministro. Afinal, o desemprego continua a crescer e a promessa dos 150 mil empregos começa a parecer cada vez mais rídicula.

terça-feira, fevereiro 27, 2007

Conselheiros

Uma notícia a duas colunas, no DN, na página 8, dá conta que Severiano Teixeira, Ministro da Defesa Nacional, criou um grupo de reflexão composto por 17 personalidades, entre as quais figura, pasme-se!, Teresa de Sousa, Ilustre jornalista do Público. Porventura, a ”perita em política internacional“ até terá, eventualmente, cuidado de verificar se está a cumprir formalmente as normas éticas e deontológicas a que está obrigada. Mas será que vamos ter de deixar de ler as suas ”cachas“ e colunas de opinião sobre política externa e defesa?

Ainda há Jornalistas

José António Cerejo, jornalista do Público, interveio no forum da TSF a propósito do balanço apresentado pelo Governo sobre a Justiça.
«Ontem, dei uma grande gargalhada quando ouvi o primeiro-ministro falar de resultados extraordinários alcançados nos últimos dois anos», disse o Jornalista. E apresentou um caso concreto, o seu. José António Cerejo está à espera de uma sentença há sete anos num processo judicial que intentou contra o próprio Primeiro-Ministro.

Para quem quer saber a verdade

Sobre a Justiça, no Blog de Informação

Ainda é capaz de dar uma breve pequenina, muito pequenina

Fátima Felgueiras ouvida hoje em tribunal.

Depois da Moderna, a Independente

As universidades chegaram a um ponto impressionante. Ninguém se preocupa com os alunos? O que está a fazer Mariano Gago?

domingo, fevereiro 25, 2007

Nova geração



Tentar reunir personalidades de todos os partidos da oposição a Carmona Rodrigues para avançar com uma alternativa política para a Câmara de Lisboa é uma inovavação de peso. Depois do centrão que tem levado o país à ruína, Nuno Gaioso Ribeiro quer um centrão mais ou menos independente para liderar uma alternativa a Carmona Rodrigues. No estado a que chegou a autarquia da capital, até pode ser que a solução tenha que ser pouco ortodoxa e fora do controlo dos aparelhos partidários.

Mais uma

Taça para o Chelsea . Este Mourinho não pára.

quinta-feira, fevereiro 22, 2007

E a estabilidade da blogosfera?

Será que o Governo também vai exigir aos bloggers que tornem público com 48 horas de antecedência o que vão escrever, sei lá, sobre o primeiro-ministro, o governo, o desemprego, a justiça, a saúde, etc?

Entrar nos eixos

Correia de Campos está debaixo de fogo. E muito bem. Finalmente, a oposição abriu os olhos. Pelo menos em relação à reestruturação das Urgências. Se o ministro da Saúde ainda não percebeu que nem tudo é possível, apesar da maioria absoluta, pode ser que José Sócrates ainda tenha a lucidez democrática e política para compreender que ainda não chegámos ao Texas. Nem à Madeira.

quarta-feira, fevereiro 21, 2007

O esplendor do novo socialismo


Com a mentira desmascarada e com os ventos a mudar (e de que maneira!), Blair prepara-se para anunciar o início da retirada das forças britânicas do Iraque.

terça-feira, fevereiro 20, 2007

Tanto barulho

A unanimidade do coro de críticas em relação a Alberto João Jardim é um fenómeno habitual, mas tantas prosas críticas, frontais e claras são sempre de saudar no tradicional panorama da opinião panegírica, manhosa e pouco transparente. Por que será? Por ser o presidente do Governo Regional da Madeira? Por ser populista? Por ser corrupto? Não! A fúria de alguns deve-se a outros factos muito mais prosaicos. É mais fácil zurzir num Presidente do Governo Regional da Madeira do que concentrar as atenções na governação de José Sócrates e nos seus tiques arrogantes e prepotentes.
Afinal, o que fez Alberto João Jardim? Demitiu-se para dar a palavra aos cidadãos. Sacrilégio, gritam alguns. Mas será que a devolução da palavra aos eleitores é um crime? Teria o líder do Governo Regional da Madeira de calar e comer uma Lei das Finanças Regionais com que não concorda? Curiosamente, e independentemente das razões que lhe assistem, parece que já ninguém se lembra do que disse Cavaco Silva no momento da promulgação da lei que está na origem de toda a polémica.
Critique-se o muito que há a criticar no estilo e na substância da governação de Alberto João Jardim, mas há limites. A não ser que apenas se tente aproveitar mais uma oportunidade para fazer um acerto de contas com um político que sempre teve um discurso desassombrado e que se está a borrifar para a classe política e para a sua corte de apaniguados. E, já agora, para os jornalistas e comentadores.

Antecipaçã0 na RTP

Através do blog Da Literatura tomei conhecimento da repetição da série 'O Polvo' na RTP Memória. Ora aqui está um bom exemplo do serviço público. Pode ser que os deputados, que vão discutir para a semana as novas propostas contra a corrupção, se tenham inspirado e passem a assumir as suas competências.

Novo mundo


Enquanto a pobreza aumenta em todo o mundo, a Ferrari anunciou o aumento de vendas de 12%

Quem é o próximo?

Os dirigentes do PS de Valença devem andar distraídos. A decisão do Governo de apagar o concelho da rede nacional de urgências está tomada. Não há verbas para tudo. E quem incomoda Sua Excelência, leva. Por enquanto, só leva menos dinheiro. Que o diga Alberto João Jardim.
Com o presidente da Câmara, José Luís Serra ao lado das populações e com a demissão da Comissão Política Concelhia do PS local, não tarda nada Valença entra no Index do novo PS.

segunda-feira, fevereiro 19, 2007

Vai processo judicial?

Depois de tudo o que Alberto João Jardim disse dos socialistas, o mínimo que se poderia esperar de José Sócrates é uma imediata iniciativa junto dos Tribunais. Ou será que os fundamentos da demissão do Presidente do Governo Regional da Madeira são legítimos e verdadeiros?

Em directo e a cores

Alberto João Jardim faz uma declaração institucional para reagir negativamente em relação à Lei das Finanças Regionais. É um gesto à altura da confusão que reina no país. Afinal, o Funchal e Lisboa estão cada vez mais perto. Para já, com estilos e eleições à parte.

sexta-feira, fevereiro 16, 2007

Opinião que vale

Jacinto Lucas Pires, no DN , sobre os Jornais.

Sem mais


Que mais os portugueses poderiam querer para perceber o nível das suspeitas de corrupção, peculato, tráfico de influências e abuso de confiança? Eis o quadro de referência do crime de colarinho branco em todo o seu esplendor. O caos a que chegou a Câmara Municipal de Lisboa é o espelho do estado a que chegou a classe política.

Para reflectir e seguir

”Um Pinto, um chinês e um direito de resposta“

terça-feira, fevereiro 13, 2007

O Tua, a OTA e o TGV

A dimensão do erro com a aposta nos grandes projectos, como a OTA e o TGV, estão ao virar da esquina. As fantasias do poder, deste como dos anteriores, em atirar para os olhos do povo com exemplos de modernidade, continuam a esbarrar nos sinais de atraso e incúria. O desastre do Tua é muito mais do que um acidente ferroviário. É a prova que não aprendemos nada desde a queda da ponte de Entre-os-Rios.

segunda-feira, fevereiro 12, 2007

Rescaldo

A distribuição geográfica do voto no referendo do aborto mostra claramente dois países: o pobre, a Norte, que votou 'Sim', e o mais desenvolvido e urbano, que ocupa o sul e uma grande parte do centro, que votou 'Não'. Será preciso melhor prova das desigualdades gritantes que assolam Portugal?

domingo, fevereiro 11, 2007

Resultados oficiais do referendo

Sim: 59,2%
Não: 40,8%
Abstenção: 56,4%

11 de Fevereiro de 2007 - 21h10

Paulo Portas remeteu-se ao silêncio.

Significativo

José Sócrates ignora nível de abstenção durante a sua intervenção.

A nova lei

Tal como aconteceu depois do 'não', em 1998, o 'sim' de hoje tem de ser politicamente interpretado.

Sim, mas

A vitória do 'sim' constitui uma viragem da sociedade portuguesa, mas não há razão para euforias. Mais de 40 por cento dos portugueses continuam a votar 'não'.

Os derrotados

Ao que tudo indica, o referendo sobre a interrupção voluntária da gravidez pode não ser vinculativo, o que quer dizer que mais de metade da população se absteve. Não tarda nada, os pândegos do costume vão avançar com as teses justificativas: Os eleitores-fantasmas representam entre 5 a 10 por cento; a votação de hoje é superior à dos referendos de 1998; o instituto do referendo está liquidado; etc.
Uma taxa de abstenção acima dos 50 por cento tem uma leitura política: José Sócrates e a Democracia são os grandes derrotados do referendo de 11 de Fevereiro de 2007.

sexta-feira, fevereiro 09, 2007

Referendo





EU VOTO SIM

Exemplar



Maria José Morgado divulgou, um mês depois de ter assumido a coordenação da investigação à corrupção no futebol, um primeiro balanço de actividade.
A procuradora-geral adjunta dá mais uma pedrada no charco da apatia do Ministério Público, divulgando o trabalho de uma equipa que está a provar que é possível compatibilizar o segredo da investigação e a honrosa preocupação de prestar contas públicas.
Ao se expor a si e à sua equipa, através de um documento publicado no site da Procuradoria-Geral da República, Maria José Morgado aponta no sentido certo: revolucionar a mentalidade, de águas calmas e profundas, que tanto tem prejudiciado a credibilidade do Ministério Público.
Esta iniciativa inédita, que revela a coerência do que a magistrada sempre disse e defendeu, teve que contar com o apoio de Fernando Pinto Monteiro, que percebeu que é preciso muito mais do que saber para que lado sopra a brisa: É preciso ter coragem para mudar.

quinta-feira, fevereiro 08, 2007

Diamante de Sangue







A fita de Edward Zwick, lidera os filmes exibidos em Portugal entre os dias 25 e 31 de Janeiro, com 74.157 espectadores, segundo dados do Instituto do Cinema, Audiovisual e Multimédia.

Vale a pena

Com os cumprimentos ao Atipico

”Uma verdade inconveniente“









Al Gore, ex-candidato à Presidência dos Estados Unidos da América, vem a Lisboa falar sobre as alterações climáticas, os seus efeitos e o que podemos fazer para os travar.
Museu da Electricidade (11h30)

Pela liberdade de expressão

O inquérito aberto pelo Conselho Superior de Magistratura ao juiz desembargador Rui Rangel cheira a perseguição e a mofo. A votação à tangente naquele órgão é a primeira derrota de Noronha de Nascimento. As atitudes reactivas e impensadas para alcançar fins insondáveis não passam de passos em direcção ao abismo e são sempre um sinal de fraqueza. E logo no início do mandato. Quem diria?

quarta-feira, fevereiro 07, 2007

Não há nada melhor

Do que um comunicado do Conselho Superior de Magistratura para descobrir um novo blog: Aqui e Agora (na coluna do lado direito)

terça-feira, fevereiro 06, 2007

É um facto

A GLQL deu conta que fiz uma referência positiva ao facto do PGR ter apontado um prazo razoável para Maria José Morgado apresentar resultados, numa entrevista ao Correio da Manhã . A primeira consequência foi o disparar das visitas do MAIS ACTUAL . Depois fui ler a entrevista, novamente, e continuo a manter a mesma opinião.
Na verdade, o PGR pode ter exagerado quando afirmou que antes da nomeação de Maria José Morgado ninguém falava de corrupção no futebol. Ainda assim, o PGR merece uma importante fatia de crédito depois de a ter nomeado para a coordenação da investigação à corrupção no futebol. Factos são factos, inabilidades à parte.

segunda-feira, fevereiro 05, 2007

Assim se faz Justiça

Pinto Monteiro quer resultados até ao fim do ano sobre o Apito Dourado. Depois de ter nomeado Maria José Morgado, que assumiu a coordenação da investigação à corrupção no futebol, o Procurador-geral da República afirmou, ao Correio da Manhã, que o trabalho da Procuradora-geral adjunta está a gerar um efeito em cadeia no combate à corrupção.

sexta-feira, fevereiro 02, 2007

quinta-feira, fevereiro 01, 2007

Radicalismos

Metade dos britânicos sente-se mais stressado actualmente do que há cinco anos e mais de 10 por cento pensou no suicídio como solução, segundo um inquérito divulgado hoje pela organização Samaritans
(in Agência Lusa)