MAIS ACTUAL BLOG

Rui Costa Pinto - Jornalista/Editor/Publisher

segunda-feira, dezembro 31, 2007

Acontecimento de 2007

Voos secretos da CIA.
Uma vergonha só possível pela cumplicidade de meio mundo, incluindo Portugal, que continua a ser abafada em nome de um suposto interesse de alguns Estados.

sábado, dezembro 22, 2007

Figura do Ano 2007

Fernando Pinto Monteiro.
Pela acção surpreendente, coerente e transparente. É preciso ter coragem para abrir as portas da Procuradoria-Geral da República a quem lhe pede uma audiência formal.

BCP na berlinda (III)

Joe Berardo deve estar a rebolar a rir com algumas das intervenções indignadas dos ”supporters“ do costume, que tudo fizeram para abafar o que se passava no BCP. Tal e qual como noutros casos mais ou menos recentes, que não preocuparam tanto Sua Excelência, Aníbal Cavaco Silva.

BCP na berlinda (II)

O caso BCP está directamente relacionado com a qualidade da supervisão bancária. Seria impensável que tudo ficasse pelas sanções do Banco de Portugal, que se chegarem, certamente chegam muito tarde. É preciso saber se a entidade que deve velar pela transparêcia do sistema financeiro cumpriu o seu papel. No passado, com cinco mil contos foi possível reconstituir um império financeiro. Hoje, será ainda é possível abafar a forma como se contruiu outro império a partir do quase nada?

BCP na berlinda (I)

As notícias apontam para a descoberta de operações suspeitas no BCP. Não é uma novidade, mas só assim se explica a retirada da lista de Filipe Pinhal.

quinta-feira, dezembro 20, 2007

Melhor blog de 2007

Portugal Profundo.
Pela cidadania, irreverência e capacidade de enfrentar o poder, três condições essenciais para representar o melhor espírito da blogosfera.

A partir das 15h45

Debate na Assembleia da República. Promete muita emoção!

BCP em boas mãos

Pinto Monteiro recebeu Joe Berardo, que lhe entregou documentos relevantes sobre a actividade do BCP. O Procurador-Geral da República, tal como noutros casos, fez o que devia. Ouviu o empresário e abriu inquérito, que foi parar às mãos de Maria José Morgado.

CDS/PP com palavra

Paulo Portas pediu o referendo ao Tratado de Lisboa, honrando uma das suas promessas eleitorais.

Estão bem uns para os outros.

Como já tinha referido, aqui, eis uma parte da surpresa: Guilherme Costa, o novo Presidente do Conselho de Administração da RTP, já aceitou os nomes que lhe devem ter sido impostos, perdão, sugeridos vivamente pelo governo. Luís Marinho, ex-director da RTP, sobe para a Administração, uma cereja em cima do bolo, completamente merecida. Só falta a nomeação do outro amigalhaço. Ele merece, sem qualquer dúvida.

quarta-feira, dezembro 19, 2007

É demais para acreditar

Através da Civilização do Espectáculo fiquei a conhecer mais uma faceta da parlamentar Edite Estrela. E eu a julgar que só servia para abafar, perdão, para tentar acalmar alguns dossiês mais sensíveis.

Outros tempos

Quando chega alguém, seja um grande construtor ou não, mandam as regras de boa educação que nos levantemos para o cumprimentar. Foi o que aconteceu entre José Sócrates e António Mota na viagem inaugural do novo troço do metro de Lisboa. É bom ter um primeiro-ministro que parece educado. O que não era necessário, por ser ridículo, é assistir a declarações do primeiro-ministro que tentam disfarçar a derrapagem monumental das obras do metro no Terreiro do Paço. Mais ridículo ainda é tentar baralhar os números com o facto de se ter aberto mais um troço do que o inicialmente projectado. Resta a consolação do exemplo de Jorge Coelho, então ministro das Obras Públicas, que assumiu a responsabilidade política do acidente no túnel do novo traçado do metro, que custou dezenas de milhar de euros. Naquele tempo, os governantes ainda tinham vergonha política na cara e a mentira descarada não era compensada eleitoralmente.

Natal com livros


Um livro de Fernando Rosas para ler em tempo de paz e de democracia.

Um jogador do outro mundo

Kaká ganhou o prémio da FIFA para o melhor jogador do mundo. Uma vitória merecida, que deixou Cristiano Ronaldo num justo terceiro lugar. O BES faz publicidade, mas não chega a todo o lado.

Boat people by Allgarve

Acabei de ver a forma como o SEF tratou os marroquinos que, por engano, deram à costa portuguesa. Ainda se fossem brasileiras...

terça-feira, dezembro 18, 2007

Ainda falam de Jardim Gonçalves

José Medeiros Ferreira toca na ferida (e que ferida!), num oportuno post sobre a injecção de capital nos mercados financeiros, a que o Banco central Europeu se viu obrigado, É caso para dizer que se Jardim Gonçlves não tivesse afrontado o sistema no tempo de cavaco Silva à frente do leme, nada do que lhe está acontecer seria possível.

CIP no grau zero

As declarações de Francisco Van Zeller sobre o aumento do salário mínimo são confrangedoras. E deitam por terra do o trabalho profissional que tem mantido na liderança da CIP. Há fretes ao Governo que matam.

Ainda não acredito

Tudo começa a estar preparado para José Sócrates anunciar a ratificação do Tratado de Lisboa pela via parlamentar.

Pobres marroquinos

Na versão muito oportuna do Lobi.

domingo, dezembro 16, 2007

Operação Furacão em marcha

Amaral Thomaz, secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, continua a destacar-se no seio do Governo. Em entrevista ao Expresso, deixa mais um sinal de esperança quando afirma estar confiante no sucesso de um dos maiores ataques às origens da corrupção em Portugal.

Mais um segredo de estado?

Excelente artigo sobre os contratos entre o estado e os advogados do regime., publicado no Sol, assinado por Luís Rosa.

sábado, dezembro 15, 2007

Pergunta do dia

Será que só o BCP é que trabalha com offshores?

Um discurso de referência

Campos e Cunha, ex-ministro das Finanças, deu uma entrevista ao Expresso que merece ser lida, hoje, e em 2009. Os ”supporters“ são capazes de manter o silêncio sobre o que Campos e Cunha pensa sobre o novo aeroporto da Ota e sobre o TGV. É mais prudente, pois deve vir aí mais, no caso de haver uma remodelação governamental.

A gritaria dos responsáveis

O berreiro por causa da matança que continua no Porto já começa a ser entediante. A comunicação social, que tem aberto todo espaço para o debate sobre a questão, e muito bem, continua a passar ao lado da questão. É mais confortável, mas é um péssimo serviço às populações. Não terá chegado o tempo de responsabilizar os ministros do bloco central de interesses (PS, PSD e CDS/PP) pela privatização selvagem da segurança da noite? E pela liquidação do policiamento de proximidade?

sexta-feira, dezembro 14, 2007

A caminho de 2009

Não é todos os dias que se pode assistir a uma sondagem que sustenta a desilusão dos eleitores com a governação de José Sócrates, incluindo os socialistas, para ao mesmo tempo confirmar a tendência para uma nova maioria do PS.

Barroso e o Iraque

Eu compreendo Durão Barroso. Quer limpar o nome para facilitar futuras escolhas de carreira, especialmente em Portugal. Mas com a minha amnésia não conta.

E vai mais um

A nomeação da nova administração da RTP vai surpreender, lá isso vai. Vale a pena recordar uma entrevista de Luís Marques, ao Correio da Manhã
- É verdade que a sua continuidade foi vetada pelo primeiro-ministro?
- Li essa notícia nos jornais, mas obviamente não a comento

Depois do Tratado, tratados hão-de ser

Ontem foi a festa. Preparemo-nos para o velório.

quinta-feira, dezembro 13, 2007

Dia de Sócrates

O Tratado de Lisboa é uma vitória política, diplomática e pessoal do primeiro-ministro. Esperemos que o tempo valide um texto confuso e fruto das maiores contradições entre os membros da União Europeia. E, nunca é demais recordar, que os portugueses possam validar o documento em referendo, como foi prometido em campanha eleitoral por todos os partidos políticos com assento parlamentar.

quarta-feira, dezembro 12, 2007

Santos Silva que se cuide

A dança das cadeiras no governo socialista, que muitos antecipam há bastante tempo, parece ter sido precedida pela extraordinária dança das cadeiras na Comunicação Social. Sérgio Figueiredo rumou à Fundação da EDP, Paulo Camacho optou pela PTM e Martim Avillez Figueiredo abraçou a Sonae. Isto fora os encapotados e a Administração da RTP, que era tão boa, tão boa, que não foi reconduzida. Sinais dos tempos, não é?
P.S. Depois do dia do Professor, não tarda nada, ainda vamos ter o dia do Jornalista, do Médico, do Sindicalista e do Juiz. Obviamente, promovidos pelo senhor Engenheiro.

terça-feira, dezembro 11, 2007

Ao que isto chegou

Se morrem pessoas assassinadas na rua, a culpa não é do Governo. Se o desemprego continua a aumentar, a culpa não é do Governo. Se os cobradores de impostos se acham a cima da lei, a culpa não é do Governo. Se as mudanças no sector da Educação são desastrosas, a culpa não é do Governo. Se a Justiça continua no caos, a culpa não é do Governo. Se a Saúde se tornou um luxo, a culpa não é do Governo.
De facto, os ”supporters“ estão num grande momento de criatividade, para não dizer de total falta de vergonha política e democrática. Sinceramente, só falta o chefe de banda vir a público pedir aos portugueses que lhe peçam desculpa por tanta matança, tanto desemprego, tanto abuso de poder, tanta insensibilidade social e tanta arrogância.
PS. O debate mensal na Assembleia da República provou, mais uma vez, que a oposição parlamentar ainda não compreendeu que tem pela frente um primeiro-ministro que é capaz de tudo para tentar fazer passar a miragem de um país que não existe.

segunda-feira, dezembro 10, 2007

Está na moda outra vez

A conjugação do verbo ”Isaltinar“.

Ai os números

A evolução do desemprego em Portugal começa a abrir grandes brechas na coesão governamental. A culpa será da política do governo (leia-se José Sócrates, primeiro-ministro)? Será do medíocre crescimento económico (leia-se Manuel Pinho, ministro da Economia)? Será da falta de imaginação das políticas de emprego (leia-se Vieira da Silva, ministro do Trabalho e da Solidariedade Social)? O jogo do empurra só não é uma anedota para rir à gargalhada porque o assunto é trágico.

domingo, dezembro 09, 2007

Arrumar a Ordem dos Advogados

O novo Bastonário da Ordem dos Advogados está a fazer tremer o stablishment. Marinho e Pinto não está sozinho, como refere a GLQL. Mas que vai ser difícil, lá isso vai.

O nível de um PM

Anónio Barreto (” O circo desceu à cidade“) e Vasco Pulido Valente (”Sócrates: auto-retrato“) assinam duas colunas de opinião sobre José Sócrates que fariam corar um qualquer Robert Mugabe.

Sem surpresa

O silêncio tumular de alguns dos mais notáveis arautos portugueses da Democracia e da Liberdade em relação à cimeira da vergonha deixou um gosto amargo. Houve excepções, dignas e corajosas, de Ana Gomes a Manuel Monteiro, mas ficou claro que a elite intelectual portuguesa é uma fraude. Ou será que foram boicotados pelos mesmo que empocharam os anúncios do criminoso líbio, cujo apelido fez as delícias do Jornalismo mais idiota de que há memória?

quinta-feira, dezembro 06, 2007

E começou o festival da cimeira

Citando o meu amigo António Ribeiro Ferreira, este sítio está mesmo mal frequentado.

quarta-feira, dezembro 05, 2007

Um post que dignifica a blogosfera

Ana Gomes continua a ser uma voz presente, firme e coerente, que merece referência e atenção.

Será uma ameaça?

Aguiar Branco, ex-ministro da Justiça, na versão política mais sui generis, para não dizer hilariante, tenta parecer o guardião do templo. E não faz por menos quando fala de Pinto Monteiro Deve ter cuidado no que diz respeito às suas intervenções públicas, porque não é uma pessoa qualquer e das suas palavras podem resultar, ou não, alguma tensão social, algum alarme social. Naquilo que é a sua intervenção, espero que esteja ao nível da sua qualidade e inteligência e às vezes não tem estado.

Pinto Monteiro coerente

Joe Berardo começa a ser um caso sério. O Procurador-Geral da República já confirmou, publicamente, que está disponível para receber o accionista do BCP.

No bom caminho

Luís Filipe Menezes, ainda que com altos e baixos, está a revelar fibra na liderança do maior partido da oposição parlamentar, como demonstrou durante a crise da Câmara de Lisboa. Face à ameaça despropositada de quem foi eleito com poucas dezenas de milhar de votos, o líder do PSD revelou que não se deixa intimidar e não tem medo dos votos. Um aviso para José Sócrates.

terça-feira, dezembro 04, 2007

Acabou a treta

Vítor Constâncio, Governador do Banco de Portugal, vai ter que mostrar o que vale.

BCP: Um assunto a seguir

Jardim Gonçalves renunciou a todos os cargos no BCP. Resta agora saber, a serem verdade todas as acusações que têm surgido, publicamente, e pela mão de accionistas de referência, se a Justiça está preparada para investigar e enfrentar um dos mais poderosos banqueiros de Portugal.

Piada do dia

António Costa já se demitiu?

segunda-feira, dezembro 03, 2007

Extraordinário!

O Eurostat conseguiu num só dia o que José Sócrates não conseguiu em quase três anos: diminuir a taxa de desemprego em 0,3 por cento. As estatísticas são fantásticas, não são?

Para quem quer ver

De acordo com os novos números do Eurostat, o desemprego em Portugal subiu para os 8,5 por cento. Não tarda nada, a bateria da propaganda governamental vai começar a actuar. A solo e com a banda de ”supporters“ do costume. Mas a realidade é o que é.

Entrevista reveladora

O Juiz Rui Teixeira chegou e não perdeu tempo. Em declarações ao Rádio Clube português, Rui Teixeira diz que as reformas dos Códigos Penal e de Processo Penal inviabilizam uma nova investgação como a da Casa Pia. São palavras duras, que não podem cair em saco roto e não podem ter como única resposta um silêncio pesado.

sábado, dezembro 01, 2007

Novo Bastonário, nova vida

António Marinho Pinto ganhou a eleição para substituir Rogério Alves. O novo Bastonário da Ordem dos Advogados merece esta vitória. E pode contribuir para acabar com o caos reinante e a cartelização, mais ou menos admitida, nas relações entre o Estado e os grandes escritórios de Advogados, incluindo os que pertencem à família socialista. Certamente, António Marinho Pinto vai honrar, muito rapidamente, duas das suas principais promessas eleitorais: colocar a fotografia de José Miguel Júdice na galeria dos anteriores Bastonários e publicitar os contratos entre o Estado e alguns advogados, muito poucos, que tê custado ao país uma fortuna obscena.

Um exemplo raro

O Semanário Sol, num artigo assinado por Luís Rosa, recupera um caso que abalou o Governo: os pagamentos à empresa F9 Consulting. E mais. Manifestando uma assinalável memória, o que convém a qualquer Jornalista e Orgão de Comunicação Social, afirma que Mário Lino e o seu secretário de Estado mentiram ao Jornal. Nos tempos que correm, é obra. E merece ser assinalado.
PS. O seu a seu dono.

Demissão?

Nunes Correia, ministro do Ambiente, parece que está na calha para ser remodelado. É uma possibilidade, ainda que o Polis não tenha começado em 2005.

sexta-feira, novembro 30, 2007

Mais uma para o arquivo

Não vi a entrevista de Manuel Monteiro, ontem, à SIC Notícias. Mas aqui fica um relato interessante.

Greve geral em curso

Depois de todas as prepotências e tentativas de intimidações, a greve geral dos funcionários públicos está a decorrer com um sucesso visível. O que impressiona é o autismo e a arrogância governamental, completamente surdo e insensível aos sinais de justo descontentamento. Mais importante do que saber quem ganha, porque todos perdemos, é avaliar a farsa da reforma da administração pública que José Sócrates prometeu. E não está a cumprir. Mais uma promessa falhada, portanto! Esta é a noitícia em dia de mais uma greve geral. Mais uma mentira política do líder do Governo, cujos ”supporters“ tentam disfarçar, com todas as forças, através da habitual guerra de números.

Expectativa até Dezembro

A greve geral não permitiu ficar a saber se o presidente da Câmara de Oeiras vai a julgamento. É o adiamento do óbvio, mas vale sempre a pena esperar.

É grave

A ser verdade que Cavaco Silva deixou de fora a funcionalização do Ministério Público, esperam-se as reacções a todo o momento. E, quiçá a distribuição dos respectivos passes sociais.

Mais um (anunciado) chumbo

O objectivo de transformar os magistrados em funcionários públicos, aparentemente, falhou. Fica mais longe o objectivo de ver juízes e procuradores condenados ao passe social. Cavaco Silva decidiu, e bem, enviar para o Tribunal Constitucional um diploma que representa um dos maiores atrevimentos polícos que há memória. Só não é exigível a demissão do ministro da Justça porque é público que Alberto Costa está no Governo para aplicar as medidas que José Sócrates quer para o sector.

quinta-feira, novembro 29, 2007

O Iraque e o Burroso

Vale a pena ter memória. E é fácil. Basta ir a Berbearia do Senhor Luís.

Surpresa?

A maior exposição de sempre sobre José Saramago, inaugurada em Espanha, contou com a representação do Estado português, através da presença, e muito bem, de Moraes Cabral, Embaixador de Portugal em Espanha. Felizmente, e partindo do princípio que não fez falta a presença de algum lixo político, a boa notícia é que a exposição vai correr o mundo.

Politicamente vergonhoso

Depois de Putin e Chávez, e com Mugabe no horizonte, a deslocaçã de José Sócrates à China, mais uma vez com os Direitos Humanos no bolso, revela o percurso coerente do PM português. Honra lhe seja feita.

A demissão anunciada?

António Costa percebeu, muito rapidamente, que se meteu num colete de forças em Lisboa. Porventura, julgou que a presidência da Câmara de Lisboa seria um passeio tranquilo. A ameaça de demissão não é mais do que uma constatação. Enfrentar a realidade é bem mais complexo do que fazer uma campanha eleitoral. E ganhar eleições para posteriormente contrair um empréstimo milionário é pouco para quem prometeu tanto. Qualquer dos candidatos derrotados também faria o mesmo. Surpreendente, isso sim, seria uma gestão criativa, com capacidade de evitar mais do mesmo. E de afastar o fantasma guterrista, ainda que seja legítimo colocar as cartas em cima da mesa. Aliás, a multiplicação de empréstimos nos últimos mandatos explicam a situação financeira da autarquia.

quarta-feira, novembro 28, 2007

Um saneamento é sempre um saneamento

A teimosia de uma prática conhecida do PCP custou ao partido a perda de uma Deputada. A expulsão de Luísa Mesquita, que sempre se destacou no Parlamento, também custou ao partido liderado por Jerónimo de Sousa a passagem a quarto maior partido da Assembleia da República. Isto sem falar dos prejuízos óbvios em termos de imagem. Não terá chegado o momento do PCP reavaliar a insistente tentativa de controlar partidariamente os Deputados eleitos nas suas listas?

terça-feira, novembro 27, 2007

Calar ou despedir?

Sobre o post ”Gatos sem medo“.

Como seria mais simples

Se o exemplo dos médicos do Algarve, que continuam a denunciar situações incríveis no Hospital de Faro, fosse adoptado pelas chefias intermédias e pelos responsáveis máximos da Função Pública. Seguramente, não haveria ditador (pequeno ou grande) que fosse capaz de intimidar quem quer que seja. Nem com todas as polícias (ou uma parte delas) no bolso. Isto chama-se cidadania! Tem cara. E não se confunde com bufaria.

sexta-feira, novembro 23, 2007

Ora, toma lá

Campos e Cunha não tem a noção de amizade dos ”supporters“ do costume. E tem o atrevimento de meter o dedo na ferida. Ainda bem!

quinta-feira, novembro 22, 2007

Nem merece título

Fernando Teixeira dos Santos, num país civilizado, em que Hugo Chávez não se sentiria em casa, já deveria ter sido demitido por indecente e má figura. Não por causa das contas públicas ou do défice, uma matéria que só acredita quem quer, mas por causa da Caixa Geral de Aposentações. É dos maiores escândalos da acção e/ou omissão deste (des) governo, cujo PM continua calado sobre a multiplicação de casos impressionantes da mais indecente insensibilidade.

O novo Provedor do Público

Chama-se Joaquim Vieira. É uma garantia de mais credibilidade.

Ainda sobre a visita de Hugo Chávez

As imagens da conversa (em família) entre Hugo Chávez e José Sócrates, em São Bento, passaram ao mesmo tempo que uma deputada venezuelena agredia um Jornalista. As coincidências são terríveis, não são?

quarta-feira, novembro 21, 2007

Será Segredo de Estado?

Hugo Cháves, ontem, na base militar de Figo Maduro, antes de partir para Cuba, confirmou que a Fundação Mário Soares tem recebido diversos financiamentos da Venezuela, perante gravadores e microfones. Até ao momento, que se saiba, e apesar do envolvimento do ex-Presidente da República nas negociações entre Portugal e a Venezuela para o fornecimento de gás e petróleo, não há crime por encaixar milhões e milhões da Venezuela. Para já, estranho, estranho, é o silêncio sobre a confirmação de Hugo Cháves.

terça-feira, novembro 20, 2007

E Deus existe?

A situação no Bangladesh justifica todas as dúvidas. E remete para outras questões, como o aquecimento global, que está nas mãos dos Homens.

França parada

O presidente Sarkozy tem pela frente um dos maiores protestos populares de que há memória. Um país parado pela acção de trabalhadores dos transportes, da função pública. Até os Jornais ficaram nas rotativas. A democracia representativa é muito mais do que a legitimidade representativa.

Pergunta do dia

Qual é a difereça entre a recuperação da Maconde com o apoio do Estado e o veto do mesmo Estado em relação à recuperação do Semanário 'O Independente'?

Uma forma de lidar com o absurdo

O grupo Sana depediu um cozinheiro com HIV. O tribunal de relação de Lisboa (em caixa-baixa) deu-lhe razão. Os tribunais são incontornáveis, mas os hotéis não. A melhor maneira de responder a este novo tipo de fascismo é pura e simplesmente fazer um boicote a todos os Sanas deste mundo.

segunda-feira, novembro 19, 2007

Onde está Luís Filipe Menezes?

A greve na ValorSul, acompanhada das tradicionais cargas policiais (não há memória?) têm marcado a agenda mediática. Quem não tem passado por lá, apesar dos directos televisivos e das promessas eleitorais, é o líder do PSD. Compreende-se, com tanta chuva, seria uma grande maçada e poderia estragar a imagem e a comunicação, não é?

Mau sinal

Os jogadores da selecção nacional de futebol estão tristes por causa dos assobios no jogo em Leiria. A poucas horas do início do jogo decisivo, com a Finlândia, não há ninguém que coloque os meninos (mimados) na ordem?

domingo, novembro 18, 2007

Gatos Fedorentos out?

Ou muito me engano ou os engenheiros destas vida começam a não gostar das piadas mais contundentes na RTP1. Faria sentido, tal é o nível, mas seria uma pena perder o maior álibi da existência de liberdade de opinião em Portugal.
P.S. Por favor, não falem dos 150 mil empregos, que ainda levam com mais umas contas extraordinárias.

Tudo a reinar, obviamente

José Manuel Durão Barroso deu uma entrevista à TSF e ao DN. Aos vinte e sete minutos ouviu-se, pela única vez, a palavra tortura. E foi o Presidente da Comissão Europeia que a pronunciou a propósito do perfil do novel vice-presidente da Comissão Europeia.

sábado, novembro 17, 2007

Jornalistas com posição

A redacção da RTP exigiu à Administração que coloque um ponto final no processo contra José Rodrigues dos Santos. E mais. Exigiu uma tomada de posição à Direcção da estação pública. Vai ser curioso saber qual a posição de alguns deles, embora o mais provável é ficarem calados como ratos. Nos tempos que correm, as atitudes que não se confundem com o mais vil oportunismo, quiçá com a promessa de uma promoção ao virar da esquina, merecem respeito e elogio.

sexta-feira, novembro 16, 2007

Teme-se o pior

Hugo Chávez vem a Portugal para se encontrar com José Sócrates. Com a insistente e despudorada campanha para credibilizar o Rei Juan Carlos (já lhe ouvi chamar defensor da Democracia e traficante de armas), será que o PM também vai ensaiar um ”Por qué no te callas“?
Independentemente das consequências diplomáticas, certamente faria o delírio dos ”supporters“ do costume, sempre em serviço.

O pleno

Luís Filipe Menezes deve estar a rebolar a rir. Depois das suas declarações, e depois de uma reunião com António Cluny, que parece ter ganho uma nova vida, o grande inspirador do Pacto da justiça, que aparentemente se está a borrifar para os resultados concretos, ou melhor para saber se os cidadãos têm ou não mais e melhor Justiça, também veio a terreiro tentar salvar o que resta de um documento que apenas tem servido para abafar as críticas, as suspeitas e as consciências. É Cavaco Silva no seu pior, como aliás já se tinha visto, que não suporta que outros façam o que já deveria ter feito.

Grande pancada

Não são só os pequenos e médios empresários. Afinal, as grandes empresas também fogem ao Fisco. Quem o afirma é Amaral Tomaz,secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, que não deve ter muito futuro político. Então há direito de incomodar os banqueiros, os grandes patrões, os auditores internacionais, os revisores oficiais de contas, os juristas, os advogados e os consultores que trabalham tão arduamente para a garantir a transparência das contas dos bancos e das grandes empresas?

Jornalismo do seculo XXI

No Ponto Media.

O valor da ética

Pedro Nunes, Bastonário da Ordem dos Médicos, deu uma lição aos actuais ”democratas“, que julgam poder mudar tudo, incluindo a consciência de profissionais que lidam com situações que ultrapassam a regra e o esquadro. Ainda bem que há alguém que não confunde o pensamento único com o cumprimento da Lei.

quinta-feira, novembro 15, 2007

Sócrates sem margem

No momento em que já se percebeu que Alberto Costa, ministro da Justiça, já não tem condições para levar o mandato até ao fim, tal é o clima de crispação com as magistraturas e o falhanço da reforma do sector, Luís Filipe Menezes consegue um primeiro gesto de verdadeira oposição ao anunciar a possibilidade de romper com o Pacto de Justiça assinado por Marques Mendes. Obviamente, José Sócrates percebeu. E tremeu, tendo sido obrigado a vir a terreiro agitar a bandeira da estabilidade, um argumento estafado dos perdedores em política.

Olhar com olhos de ver

A novela sobre José Rodrigues dos Santos está a revelar o pior da gestão empresarial e o pior do corporativismo dos jornalistas.

sábado, novembro 10, 2007

Dia triste

Armando Rafael era um Jornalista. Mesmo quando esteve a trabalhar ao lado de António Costa, sempre me inspirou respeito pessoal e profissional. A notícia no Correio da manhã

quinta-feira, novembro 08, 2007

Truques e truques

A discussão do Orçamento de Estado para 2008 ficou marcada por alguns truques para todos os gostos. Os habituais, do tipo Estradas de Portugal, só não são extraordinários porque fazem parte da farsa das contas públicas, que já não são para levar a sério há muito tempo. Os surpreendentes, do tipo anúncios de última hora para encher o olho, justificam a autoproclamada ”vocação“ social do Governo (até dá vontade de rir!). Mas ainda estava para vir o último (será?) truque. A abstenção dos três deputados do PS eleitos pela Madeira. Uau! Ainda dizem que não há oposição crítica a José Sócrates. Estão a ver, não estão?

terça-feira, novembro 06, 2007

Antecipação fatal

O ambiente de futebolização do debate parlamentar sobre o Orçamento de Estado para 2008 revela o caos a que chegou uma certa Comunicação Social.

O desastre de Castelo Branco

Uma tragédia. Impressionante. E uma oportunidade para perceber até que ponto a delegação de Castelo Branco da RTP é necessária. Quanto tempo foi preciso para ter uma reportagem com informação credível e imagens do acidente? Indemnizações compensatórias garantidas e à parte, a realidade nem merece um único comentário.

domingo, novembro 04, 2007

Mais uma para o rol das promessas…

Falhadas, obviamente. Primeiro faz-se o anúncio, se necessário para desviar as atenções, depois logo se verá, ou melhor não se vê, como recorda o Correio da Manhã

Ainda há entrevistas

Bagão Félix em directo e sem rodeios.

Mais uma a seguir

A concepção, construção, financiamento e manutenção da rede ferroviária do troço Poceirão-Caia, da linha Lisboa-Madrid, calhou à Sociedade de Advogados Jardim, Sampaio, Caldas e Associados.

Segunda prova de fogo

Uma nova investigação sobre o currículo académico de José Sócrates depende de Pinto Monteiro, Procurador-Geral da República.

quarta-feira, outubro 31, 2007

O que seria em Portugal?

Se um alegado terrorista, considerado pela Acusação como o cabecilha dos atentados de 11 de Março, em Madrid, fosse absolvido após o julgamento? Vale a pena reflectir sobre esta questão. Só um poder judicial competente, forte e credível pode tomar esta decisão.

Advinha bancária

Qual é o banco em que se diz que quem manda é o VarEla?
P.S. Sugere-se capacidade para decifrar e muita visão.

E não é milagre

Há Taça em Portugal. Com o Fátima e o Setúbal. Sporting e Benfica que se cuidem. E que tenham um mínimo de dignidade profissional, sem a ajuda de árbitros que favorem os mais fortes.

terça-feira, outubro 30, 2007

PGR em directo (3)

Pinto Monteiro não negou a existência de escutas ilegais dos serviços informações. Intelingentemente, deixou no ar a sua confirmação, pela omissão gerida com pinças, invocando que não tem possibilidades de controlar escutas ilegais. Foi um discurso de um PGR vitorioso, que vai ter o que não tinha antes de a entrevista ao Sol: a capacidade para inspeccionar se as suas orientações são cumpridas. E foi mais uma oportunidade perdida para os Deputados.

PGR em directo (2)

Pinto Monteiro assume o que disse na entrevista ao Semanário Sol. Um bom começo. De um homem de palavra.

PGR em directo (1)

A primeira pergunta de Nuno Melo, do CDS/PP (um simples rapazola, politicamente falando, obviamente, que assim, infelizmente, ainda vai longe), demorou 14 minutos para começar a falar sobre as escutas dos serviços de informações. E para atirar ao lado, evitando questionar Pinto Monteiro se os serviços de informações fazem ou não escutas ilegais. Só 21 minutos depois de vária banalidades, surgiu uma nova referência à possibilidade de escutas ilegais dos serviços de informações. E para quê? Para continuar a atirar ao lado, evitando questionar Pinto Monteiro se os serviços de informações fazem ou não escutas ilegais. A primeira intervenção da audição demorou 28 minutos. Ficará para a história como uma das mais miseráveis intervenções parlamentares em sede de comissão parlamentar.

segunda-feira, outubro 29, 2007

Optimismo ou realismo?

O Procurador-Geral da República, na sua agenda oficial, tem previsto 90 minutos para dar explicações aos deputados.

Dá que pensar

Aplaudi a decisão da abertura do inquérito ao naufrágio do barco Luz do Sameiro. Hoje, através do JN (cada vez mais o jornal de referência) fiquei a conhecer o arquivamento do processo. Nada que me tenha surpreendido, como escrevi em 1 de Abril passado no post Sem título. As famílias dos pescadores têm 20 dias para recorrer da decisão, mas o Procurador-Geral da República tem autoridade para verificar a qualidade do (mais que previsível) arquivamento. A tragédia que ocorreu à vista de todos, a 15 metros do areal da Praia da Légua, merecia melhor. E o Ministério Público também.

domingo, outubro 28, 2007

Uma questão de percepção

”Vamos continuar, habituem-se!&ldquo. A frase é de António Vitorino. Brilhante e original, como sempre. Mas continuar a fazer o quê? A ganhar dinheiro? A presidir a assembleias gerais? A fazer comentários na estação pública? A conduzir os hesitantes na sombra dos bastidores? Será que a arrogância política dos socialistas é contagiosa?

Opiniões de Fds

”Segredo de polichinelo“, de Vicente Jorge Silva.
”É disto que o povo gosta“, de Pedro Correia.
”A blogoesfera, ou a forma como a vejo“, de MissPearls.
”Da mentira como virtude política“, de António Barreto.
”Eu dizia-lhe“, de JCS.

Uma visão diferente

O sinal de preocupação de Pinto Monteiro em relação à violência nas escolas e à delinquência juvenil revela uma prioridade estruturante. O anúncio até se pode prestar às graçolas, mas revela uma atitude preventiva, séria e determinada em atacar um problema na sua origem. Em suma, uma atitude que deveria ter emanado do governo, dos deputados, dos partidos políticos e da sociedade civil.

Argentina a votos

Cada país tem a Cristina que merece.

sábado, outubro 27, 2007

Um ciclo perigoso

Só falta uma peça (essencial) para a extraordinária reestruturação dos serviços de informações levada a cabo por José Sócrates: a possibilidade das secretas poderem fazer escutas...legais. E, aparentemente, não vai ser necessário a ETA ou a Al Qaeda aparecerem em Vilar de Maçada, Bragança ou noutro qualquer ponto do país.
P.S. Ups! Parece que há coisas que não se devem dizer.

sexta-feira, outubro 26, 2007

E já partiu?

No caso de ainda estar cá, sempre há ideias e sugestões como se recorda no Mar Salgado.

Elogio ou crítica?

”Quanto ao congresso, ficaram claras para mim duas coisas. Primeira, que Santana Lopes ganhou e (quase) sem falar, como eu tive a oportunidade de referir a propósito de outros assuntos; segunda, que Sócrates vai ter um interlocutor no Parlamento do seu nível político e intelectual.“
Luís Campos e Cunha, In Público

Más notícias para os consumidores

A fusão entre o BPI e o BCP deve animar os accionistas, os especuladores e o grande capital. Quem não tem razão para festejar são os trabalhadores e os consumidores. Agora, compreendem-se melhor as pressões sobre Abel Mateus. Coincidências!!!

Ao nível do Terceiro Mundo

Os cortes de estrada e as enormes filas de trânsito por causa da passagem de Putin e da sua corte revelam o desprezo que o actual governo tem pelos cidadãos.
P.S. Uma observação oportuna no Lobi.

quinta-feira, outubro 25, 2007

Crónicas Modernas (XV)

O poder político não pode hesitar em relação ao que está em cima da mesa. Só o fim da partidarização e da politização de cargos da mais alta responsabilidade e sensibilidade pode reconquistar a confiança dos cidadãos no regular funcionamento do sistema judicial e dos serviços de informações.

E o empréstimo bancário...

Não foi para pagar a todos os credores. Que o diga a Interact, a empresa que que meteu a autarquia de Lisboa em Tribunal por falta de pagamento de uma choruda maquia. Pela a publicidade, pois claro.

Certamente, não são os comunistas

O Governo e os pilotos da TAP chegaram a acordo para negociar, permitindo acabar com a greve. Mário Lino surgiu calmo, e na versão soft, a apelar ao diálogo. Sem ameaças, nem polícias à porta do SPAC. São pilotos, senhores, não são professores e operários pobres e desprotegidos.

quarta-feira, outubro 24, 2007

Contributo pela transparência

No blog O Meu Monte.

Curiosidades de ocasião

Alguns órgãos de Comunicação Social preferem falar de excesso de escutas em vez de escutas ilegais.

Um texto superior

Fernando Alves, uma das referências da rádio, continua a iluminar as manhãs da TSF com a sua rúbrica ”Sinais“. A carta aberta ao ministro da Justiça, que leu hoje, é um sinal de esperança no Jornalismo.

Greve dos pilotos da TAP

A culpa é dos comunistas?

Os amigos e as ocasiões

A ofensiva de branqueamento das palavras de Pinto Ribeiro jâ está em marcha. Alípio Ribeiro, director nacional da PJ, desmentiu o Procurador-Geral da República. Não tarda nada, ainda alguém vai perguntar: escutas ilegais? Serviços de informações? Espiões à solta? Empresas privadas de segurança? Isso não existe. Em nome do interesse nacional, do Segredo de Estado e do Segredo de Justiça. Porventura, resta a consolação dos Gatos Fedorentos poderem fazer uns sketches para pór o país a rir.

Resultado sem importância

A derrota do Sporting, em caso do Roma, não é um escândalo. O que envergonha é uma equipa que comete erros infantis, com jogadores que se acham umas estrelas, mas que ainda não ganharam nada de relevante. Mais grave ainda é ter um treinador que joga para o empate contra os grandes do futebol. Não chega reagir aos resultados negativos. É preciso antecipar e jogar para ganhar. Com Paulo Bento, isso não é possível.

terça-feira, outubro 23, 2007

Finalmente, uma prova de vida

O CDS/PP parece que acordou. Depois de Paulo Portas ter prometido uma oposição forte, o que não se tem verificado, o deputado Nuno Melo exigiu explicações sobre as declarações de Pinto Monteiro. Falou de oportunidade e muito bem.

A criatividade ao poder

Depois das primeiras recções à entrevista de Pinto Monteiro ao Semanário Sol, que quase classificaram as palavras do Procurador-geral da república como conversa de café, Alberto Costa considerou que, afinal, são palavras construtivas.

Mais um sinal

Luís Filipe Menezes, mais uma vez, surpreendeu. A reacção às palavras do Procurador-Geral da República sobre as escutas ilegais, a propósito de uma questão sobre os serviços de informações, começa a indicar que os militantes do PSD podem ter comprado, politicamente, gato por lebre. Marques Mendes não conseguiria ter feito pior. Certamente, teria feito melhor. E, já agora, teria feito oposição, obviamente construtiva.

sábado, outubro 20, 2007

Entrevista de Pinto Monteiro

Pinto Monteiro faz uma declaração da maior gravidade, certamente medindo cada uma das suas palavras, numa entrevista ao Semanário Sol. Pela sua extrema importância, passo a transcrever a pergunta e a resposta em causa:
”O que pensa da possibilidade de os serviços de informações fazerem escutas?
Eu vou dizer uma coisa com toda a clareza, que talvez não devesse dizer: acho que as escutas em Portugal são feitas exageradamente. Eu próprio tenho muitas dúvidas que não tenha telefones sob escuta. Como é que vou lidar com isso? Não sei. Como vou controlar isto? Não sei. Penso que tenho um telemóvel sob escuta. Às vezes faz uns barulhos esquisitos.“
A propósito de uma pergunta, sobre os serviços de informações, o Procurador-geral da República admite estar sob escuta, invocando uma questão técnica que sabe não acontecer com o sistema israelita Paragon (sistema legal). Ora, a Lei não permite que os serviços de informaçõess, ainda que dependentes do primeiro-ministro de Portugal, façam escutas. O que quererá dizer o PGR? Que os serviços de informações fazem escutas ilegais? Que alguém pode ter o seu telefone sob escuta?
A entrevista de Pinto Monteiro não pode cair em saco roto. Não é normal um Procurador-Geral da República vir a público manifestar tal dúvida e fazer questão de dizer que não tem medo de ninguém.

Escaldante

Tudo sobre o Grande Prémio do Brasil.

Um assunto sério

Eduardo Contra Torres, num artigo de opinião, intitulado ”A RTP em tribunal“ faz um relato aterrador dos processos intentados pela Administração da estação pública aos Jornalistas. Curiosamente, o artigo, que tem informação para várias manchetes, não tem chamada na primeira página do Público. A referência a vários elementos processuais e a um artigo da Focus, que relata uma ordem de Luís Marinho, ”para retirar duma notícia vaias ao chefe de Estado“ (vá lá, não terá tido a desfaçatez de invocar que era preciso investigar o que o Jornalista viu e ouviu) abalam, fortemente, a credibilidade da Administração da RTP.

sexta-feira, outubro 19, 2007

Volta Constança

José Sócrates, ainda enebriado com o acordo europeu, revelou toda a sua arrogância e desfasamento da realidade interna durante a entrevista à TVI. Da entrevista à RTP, nem vale a pena um comentário. Esperemos por Fátima Campos Ferreira.

Assim, sim

José Rodrigues dos Santos não precisa dos defensores de ocasião da Liberdade de Imprensa. Basta começar a trabalhar. Hoje, deu um exemplo de profissionalismo com uma simples pergunta: O que ganha Portugal com o novo Tratado? Curiosamente, António Vitorino, Deus Pinheiro e Esteves Martins não conseguiram responder directamente à questão. Pois, pois, então, voltemos aos Jerónimos...

Uma vergonha

Não há outra maneira para classificar as listas de espera na Saúde em Portugal. Fora outro o Ministério Público em Portugal e haveria ex-ministros na cadeia.

Elogios consensuais


O líder parlamentar cessante do PSD, Luís Marques Guedes, abandonou as suas funções sob um coro de elogios ímpar de todas as bancadas na Assembléia da República. Pedro Santana Lopes, que lhe sucede, tem uma responsabilidade acrescida.

Ameaça ou tabu?

Os Jornalistas continuam a ser encarados pelo primeiro-ministro como uma ameaça, uma espécie de Calcanhar de Aquiles. Quando perguntado pelo processo de ratificação que vai defender, depois de prometer um referendo, o primeiro-ministro respondeu: ”Não perdem pela demora“. A avaliar pela sondagem do Finantial Times, recordada por Francisco José Viegas, há muitos melhões que não vão ficar à espera.

Fantástico

Joaquim Pina Moura, ex-ministro das Finanças, continua a dar palpites sobre a consolidação orçmental.

Sócrates conseguiu

A presidência portuguesa cumpriu o seu principal objectivo. A partir de agora, resta saber se o primeiro-ministro vai manter a sua promessa eleitoral de fazer um referendo.

quinta-feira, outubro 18, 2007

200.000 na rua

Sob a batuta da CGTP, a protestar contra as actuais políticas não chegam para perceber que o país está mal e que este Governo falhou?

Mais uma prova passada

Luís Filipe Menezes já não pode ser uma surpresa para quem tem seguido as suas primeiras intervenções políticas como líder do PSD. Não admira que tenha passado pela Grande Entrevista, de Judite de Sousa, com brilhantismo. Contudo, continua a impressionar a consistência do seu discurso. E a superioridade de quem não teme a ”sombra“ de um líder parlamentar, por muito grande que seja a sua notariedade. Existe uma nota adicional que merece uma observação. Os ”supporters“ do costume estão preocupados com as promessas de Luís Filipe Menezes, insinuando que é um populista. E então as promessas eleitorais de José Sócrates? Já ninguém se lembra? É preciso lata para ser um ”supporter “.

Um caso escandaloso

A novela obscena que envolve a Caixa de Aposentaçã0 e uma professora, com cancro na língua, envergonha o Estado português. Será que a flexisegurança já começou a funcionar?

Um caso escandaloso

A novela obscena que envolve a Caixa de Aposentaçã0 e uma professora, com cancro na língua, envergonha o Estado português. Será que a flexisegurança já começou a funcionar?

Exemplar

Marques Mendes prometeu e cumpriu. O ex-líder do PSD entregou a renúncia ao cargo de deputado no Parlamento.

Opções

A provocação pertinente de Vital Moreira sobre a Liberdade de Imprensa em Portugal é bem vinda. Faz pensar. Sobretudo, naqueles que hoje se manifestam satisfeitos porventura também tinham igual sentimento durante o período do PREC. Oportunidades...

Governação falhada

Via Zero de Conduta.

Ainda mexe

A ‘Operação Furacão’ voltou-se para as editoras. Aparentemente, por causa de questões fiscais. Resta perguntar se alguém ainda se lembra do comunicado da Procuradoria-Geral da República, assinado por Souto Moura, no momento do início da mega investigação?

Oportunidade

A CGTP promove uma manifestação às 14h30 para protestar contra a flexiseguranç.

Abel Mateus

Quem quiser tramar o regulador deve, repito, deve ter que passar por cima de Cavaco Silva.

Aprovação do novo Tratado europeu

O maior inimigo da presidência portuguesa pode ser a pressa e a impaciência de José Sócrates.

quarta-feira, outubro 17, 2007

Epidemia de dengue no Brasil

Devo estar a dormir. Só soube pelo blog de Josias de Souza.

Mediocridade da política externa

O ministro Ama(cia)do e o seu chefe devem estar surpreendidos com a decisão de George W. Bush receber o Dalai Lama.

Pois, pois

Jorge Sampaio, que sempre defendeu o referendo ao novo Tratado da União Europeia, vem agora afirmar que reserva a sua posição para depois da assinatura do documento. Vai ser uma diversão assistir aos políticos a desvalorizar a importância dos referendos em Democracia.

Um milhão de euros

Foi o custo pago pelos fiéis para pagar as últimas férias de Bento XVI.

terça-feira, outubro 16, 2007

Um deputado em destaque


Paulo Rangel está menos formal, seguidista e cavaquista. Em suma, está mais solto e acutilante. A sua prestação na comissão parlamentar, que ouviu as explicações de Rui Pereira sobre o caso da Covilhã, merece nota muito positiva. Apesar das ”histórias“ de embalar, que envergonham quem tem um dedo de inteligência, Paulo Rangel apontou, e muito bem, o dedo ao primeiro-ministro por não se demarcar deste tipo de acções descabidas e pidescas.
Jardim Gonçalves está na mira dos accionistas. O perdão da dívida e dos juros dos créditos concedidos a um filho está a assumir proporções nacionais e internacionais. Apenas os accionistas e os depoistantes têm o poder de o meter na rua. Tudo o resto vai ser discussão formal e estéril.

Sondagem surpreendente

35 por cento de idosos, que vivem em lares, admitem recorrer à eutanásia.

Em que ficamos?

As críticas ao controlo do défice através do recurso aos impostos tem sido acompanhado por elogios ao Governo por ter alcançado a meta dos 3 por cento do défice.

Ai! Ai! Ai! (mais uma vez)

Isto está a ficar descontrolado. Já ninguém liga aos processos. Oh, Ilda, então fala-se assim do PM?

Ai! Ai! Ai!

Cuidado com as Glock 19.

A diferença da vergonha

O fosso entre os ricos e os pobres em Portugal é o maior da União Europeia. Eis uma ” medalha “ que os governos dos últimos vinte anos podem exibir.

Afinal são necessários

O Governo admitiu que tem de aumentar os Funcionários Públicos. A importância da acção dos sindicatos ficou comprovada.

Sobre nova legislação pena

Francisco Teixeira da Mota, advogado, teve uma excelente prestação no Clube de Opinião do Rádio Clube Português. Até parecia um Jornalista, defendendo as Liberdades e Garantias dos cidadãos.

segunda-feira, outubro 15, 2007

Uma nova liderança

A era de Jardim Gonçalves à frente do BCP está a acabar. E não é preciso falar da Polónia.

Beja também é Portugal

A presença da GNR num plenário sindical é mais um atentado às liberdades individuais e sindicais. Depois de tudo o que se passou recentemente, e de mais e novas desculpas avulsas, já não interessa saber qual é o grau de envolvimento directo ou indirecto de José Sócrates nesta perigosa deriva. O primeiro-ministro de Portugal é politicamente responsável por aquilo que se está a passar. Fora outro o Presidente da República e já teria sido metido na ordem.

A memória

”Os cronistas, jornalistas, bloguistas e quejandos podem já desistir do chavão derrapagem da Casa da Música, quando quiserem falar do descontrolo das contas públicas.“

Passo arriscado

Luís Filipe Menezes foi a São Bento reafirmar o consenso em relação à política europeia e ao futuro Tratado. É uma opção que deixa as ”bases“ de fora. Afinal, há bases e bases, ao gosto de cada circunstância.

Testemunhos democráticos

Pedro Santana Lopes é o candidato mais forte à liderança do grupo parlamentar do PSD. É um exemplo a seguir para todos os que desempenharam altos cargos partidários, políticos e institucionais. E também é uma lição para quem lhe vaticinou ( e encomendou?) o funeral político.

domingo, outubro 14, 2007

Críticas sim, mas só se for a brincar

Os Gatos Fedorentos, com o seu humor básico, servem na perfeição como seguro de vida de José Sócrates e da RTP no momento em que se assiste a uma escalada nunca vista de tentar ameaçar as liberdades individuais. Felizmente, o nível é melhor do que as piadas das revistas do Parque Mayer. E não são bonecos articulados, como no Contra-Informação. São artistas de carne e osso, que até têm graça. Em suma, ”business as usual“.

Há alternativa política

A oposição em Democracia é um valor mais alto. Luís Filipe Menezes fez um excelente discurso no encerramento do Congresso do PSD. Claro, frontal e com ideias alternativas. É verdade que são só palavras, mas merecem o benefício da dúvida e um posterior escrutínio público. A eleição de Governos que resultam da escolha do mal menor tem sido uma fatalidade, permitindo aos ”barões do bloco central de interesses“ continuar a reinar impunemente num país em que floresce o desemprego, a crise económica e social, o abuso do poder, a propaganda, a intimidação, o arbítrio e a corrupção. O discurso do novo líder do PSD, certamente vai gerar reacções acaloradas, umas de quem pensa diferentemente, outras dos ”supporters“ do costume, uns à esquerda, outros à direita e ainda outros instalados e camuflados na cobardia profissional e política. Isto sim, é a festa da Democracia. Sempre. Em Liberdade.

É uma pena

Não há directo. Pacheco Pereira, no Abrupto , continua em silêncio em relação ao Congresso do PSD.

Um dos derrotados do PSD

Guilherme Silva. Sai pela porta pequenina da liderança do Conselho de Jurisdição.

Para perceber o flagelo

No blog Norteamos

Sair de fininho

Manuela Ferreira Leite abandonou o cargo da presidência da mesa do Congresso do PSD. A militante, a comentadora política, a gestora do grupo Santander à semana e a Conselheira de Estado ao fim-de-semana acharam que tinha chegado o momento de sair, discretamente. O mito alimenta-se destes gestos, desde que ambíguos q.b. e com um timing certo. Tudo estudado ao pormenor, para mais tarde voltar.

Um tabu diferente

Para a escolha da nova liderança parlamentar. É um bom sinal de Pedro Santana Lopes. Aparentemente, decidiu gerir o silêncio inteligentemente.

sábado, outubro 13, 2007

Os ”supporters“ de todos os tempos

As teses justificativas sobre o grave incidente da visita policial às instalações de um sindicato, antes da deslocação de José Sócrates à Covilhã, continuam a dar à estampa. Invoca-se o formalismo da lei para esconder a indignidade política. Salazar também invocou a Lei para prender, torturar e reprimir os portugueses. E os ”supporters“ daquele tempo também deram à estampa justificações formais.

Sem ilusões

A cobertura da procissão do ”Adeus à Virgem“ foi assegurada, em directo, pela RTP, SIC e TVI. Os comentadores de cada um dos canais debitaram a mensagem do dogma. Continuo sem saber o que é o ”Jornalismo religioso“. Apenas sei que é o pior que se faz em Portugal.

A entrevista da semana

A ex-Provedora da Casa Pia voltou a marcar a agenda mediática, numa entrevista concedida ao Semanário Sol. As afirmações de Catalina Pestana são graves, contundentes e polémicas, pelo que merecem uma resposta da parte do poder político.

A aposta que corre

Quanto tempo vai demorar a rebentar a ”aliança“ entre Luís Filipe Menezes e Pedro Santana Lopes?

O ”novo“ PSD

É o tema da coluna de opinião de Vasco Pulido Valente. Como de costume lúcida, mas mais comedida e analítica do que é habitual.

Uma pedrada no (actual) charco

O Congresso do PSD começou bem. A fazer oposição aberta. O discurso de Luís Filipe Menezes foi uma lufada de ar fresco. O líder do PSD fez o balanço das mentiras e dos erros de José Sócrates, prometeu um Governo sombra e apresentou medidas sérias para reorganizar o partido.

sexta-feira, outubro 12, 2007

Vai mais uma inauguração?

A revisão em baixa do crescimento económico, inscrito no Orçamento para 2008, dá uma ideia das dificuldades da economia portuguesa e das consequências da crise internacional. Passar de 2,4 para 2,2 por cento será realista ou optimista?

Ainda há esperança

AL Gore, Prémio Nobel da Paz, em 2007, pode avançar na corrida eleitoral para a presidência norte-americana.

Warning!!!

No próximo Domingo, a RTP vai ”atacar“ Fátima e a nova Catedral.

IGAI arquiva caso da Covilhã

Clemente de Lima prestou um mau serviço ao arquivar a insuportável e injustificada (até hoje) visita de agentes da PSP ao Sindicato dos Professores do Centro um dia antes da deslocação de José Sócrates à Covilhã. Porventura, o presidente do IGAI estava à espera de encontrar um documento carimbado, quiçá, com uma seta a apontar para São Bento para abrir um inquérito?Justificações como ”apenas houve pesquisa de informação“ e ”a esquadra fica perto do sindicato” não são convincentes para os cidadãos. Carvalho da Silva já afirmou que não acredita na expontaneadade do zelo dos dois agentes da PSP, nem nas conclusões do processo de arquivamento. Trinta e três anos depois do 25 de Abril, ainda não existe a interiorização consensual do conceito de abuso de força policial.

Boa ideia

”Chegou a altura de estabelecer um novo pacto europeu: o pacto da convergência económica“.

Bloquista em esforço

Com ironia refinada no post Sempre em festa, cujo marcador é: ”Quando chegarmos ao milhão de desempregados avisem“.

Obra que faz pensar

Num momento em que o espírito de Fátima sofreu um grave revés, a nova catedral deveria fazer reflectir todos os crentes e não crentes. Pela arte e pelos cerca de 100 milhões de euros que foram precisos para erguer um monumento que está rodeado por um país que sofre de uma pobreza cruel.

quinta-feira, outubro 11, 2007

Entre parabéns em directo

O Orçamento para 2008 já fez disparar a máquina de propaganda governamental.

Surpresa ou confirmação?

A viagem de cavaco Silva aos Açores passou, aparentemente, ao lado dos vários problemas civis, sindicais e militares da Base das Lajes.

Um bem de luxo

Só os ricos têm direito à Justiça para os socialistas. Os poderosos podem processar e até litigar até ao fim. Para os probrezinhos. até já há vias alternativas, E se nã as aceitarem, mesmo que ganhem a causa têm de pagar as custas.

Menezes e Santana

O diálogo está aberto. Só falta Portas. O país não está em condições de assistir a mais divisões à direita.

quarta-feira, outubro 10, 2007

José Rodrigues dos Santos

O Jornalista da RTP teve razão quando bateu com a porta em 2004. Deu entrevistas e fez declarações, como lhe competia. Foi uma atitude que o distinguiu de outros elementos da sua direcção e da seguinte. Passados três anos, há mais e novos elementos? A confusão da liberdade de imprensa com a perpetuação de mordomias seria gravíssimo. E seria o pior serviço possível que se poderia prestar ao Jornalismo.

Teses

Sobre quem deu a ordem para agentes da PSP terem invadido o Sindicato de Professores da Região Centro, ainda nada de nada. Agora, parece que está a vingar a tese que tal deslocação foi para organizar a manifestação de protesto contra José Sócrates. Só faltava esta! E a seguir? Vão às redacções para organizar as edições? Se calhar, nalguns casos, não seria necessário...

Rivoli de Rio

É ilegal. E ponto final!

terça-feira, outubro 09, 2007

Mais sinais dos tempos

O Conselho de Administração da RTP, constituído por três empregados pagos principescamente pelos portugueses, suspendeu o Jornalista José Rodrigues dos Santos.

Terá aprendido a lição?

José Sócrates foi vaiado no seu regresso à escola da Covilhã.

Dia de luto

Nos Estados Unidos da América.

Há sorrisos e sorrisos

A visita de agentes da PSP à sede de o Sindicato de Professores da Região Centro já mereceu a abertura de um inquérito oficial para apurar quem deu tão bizarra ordem. Espera-se que a tal investigação não se arraste durante meses. Mais a mais, José Sócrates já deu o dito por não dito, fazendo considerações elogiosas em relação aos sindicatos e às manifestações de protesto. Mas também ficou o sorriso de plástico que acompanhou a (inesperada?) profissão de fé, que faria crer, porventura aos mais distraídos ou atentos, que há declarações que soam completamente a falso. Há erros e erros, alguns até podem servir de aviso.

Mais um para a foto oficial

O reino do ”supporter“ é assim. António Guterres veio a terreiro defender a próxima cimeira entre a União Europeia e África. Altos dignatários da treta com as mãos manchadas de sangue? Detalhes, pois claro.

segunda-feira, outubro 08, 2007

Direito à indignação

Apesar do aviso, que deixei anteriormente, há notícias que surpreendem. Não é falta de informação, muito pelo contrário, mas ninguém quer acreditar que se possa voltar a viver o pesadelo do Estado policial. A visita de agentes da Polícia de Segurança Pública à sede do Sindicato de Professores da Região Centro é um escândalo em Democracia. Aparentemente, os agentes da PSP pediram informações sobre eventuais protestos a realizar na visita do primeiro-ministro à Covilhã, terça-feira (9). É inadmissível! De quem foi a ordem para este diligência da PSP? Do seu director, Orlando Romano? De Rui Pereira, Ministro da Administração Interna? Ou será que esta espécie de Primeiro-Ministro teve o atrevimento político de desafiar a liberdade de manifestação de uma forma tão desabrida? E o que vão fazer os partidos da oposição parlamentar? Vão ficar calados perante uma afronta desta natureza? Seja como for, exige-se uma imediata explicação dos fundamentos que estiveram na origem desta insuportável tentativa de intimidação. Depois de toda a arrogância, será que vamos ter de passar a viver num regime liderado por um fascistazeco emergente?

Continua calado, mas...

É como se estivesse a falar pelos cotovelos. Os apoiantes de Luís Filipe Menezes (ou serão ”infiltrados“ de José Sócrates?) não conseguem parar de atacar todos os que fazem criticas à nova liderança. É um mau começo para quem ainda não começou a fazer oposição, conforme prometeu alto e bom som.

domingo, outubro 07, 2007

Evidências deste PS

Sócrates não aprendeu nada nos últimos dois anos de governação. A propaganda constante e indecorosa, agora com recurso à polícia para afastar os manifestantes que protestam, continua desenfreada. É a velha receita, como se recorda no Portugal dos Pequeninos .

Em forma

Marcelo Rebelo de Sousa, magistralmente apertado Maria Flor Pedroso, esteve ao mais alto nível, na RTP, a desconstruir Manuela Ferreira Leite. Com elegância e inteligência. A ”baronesa“ do PSD já prometeu responder no próximo Congresso. Será em português, tipo Gaia, ou em espanhol?

Tem graça

Com W.C. ou sem ele. Pato já temos. É a Pesca(velha).

A rábula dos perdedores

” O primeiro-ministro, José Sócrates, reagiu este domingo a uma concentração de sindicalistas em Montemor-o-Velho acusando o Partido Comunista de confundir o direito à manifestação com o insulto“.

SIC

” Eu tenho coluna vertebral ou não estaria na SIC. O dr. Balsemão tem toda a minha solidariedade. Se houvesse consequências, é porque a SIC vivia clima de censura e isso não é verdade.”
Rodrigo Guedes de Carvalho, no DN.

sábado, outubro 06, 2007

Os fervorosos

O discurso de Cavaco Silva entusiasmou. O apelo aos cidadãos para fazerem o que o Estado não conseguiu fazer na Educação, como em muitos outros sectores, está na moda. E não faltam os ”supporters“ do costume para aplaudir. Qualquer dia ainda vão defender eleições para mudar os cidadãos que falharam na missão de apoiar o Estado. De políticos e de políticas, não. Esses são fundamentais para manter o sistema e para alimentar as mordomias.

Pancadas na cabeç e baixas temperaturas?

O New York Times avança com a existência de um documento secreto que prova a aprovação do Departamento de Justiça. George W. Bush negou, mas, felizmente, a censura nem sempre vence.

Curiosidades judiciais

O Tribunal de Vila Franca de Xira esté para a 3ª Vara Criminal de Lisboa, entre outras, como a Justiça está para o estado da Democracia portuguêsa.

As corridas em Vila Real

Lembranças de outros tempos memoráveis.

sexta-feira, outubro 05, 2007

Discurso digno

António Costa, Presidente da Câmara de Lisboa, fez um discurso de verdade sobre as escolas de Lisboa. É o primeiro passo para resolver os problemas.

Só faltaram os F16

As comemorações do 5 de Outubro lá decorreram com os rituais bem ensaiados e as palavras de circunstância. Mais uma vez, o mais alto representante de um Estado que falhou na construção e na organização do sistema educativo pede mais e mais aos cidadãos. É um padrão de uma mensagem que começa a ser cada vez mais recorrente.

Até onde vai chegar a prepotência?

Os seguranças de José Sócrates identificaram um ambientalista que perturbou a cerimónia do anúncio da construção de dez novas barragens. O responsável por estragar a ”festa“, devidamente encenada como é hábito, foi identificado perlos seguranças de José Sócrates. Hoje, são os que criticam em voz alta. Amanhã quem será?

quinta-feira, outubro 04, 2007

Amor com amor se paga


Luís Filipe Menezes é um político grato. Depois de avançar com a proposta de reforço dos poderes presidenciais, só não sei se está a agradecer a sua eleição a Aníbal Cavaco Silva ou a Manuela Ferreira Leite. Talvez a ambos. O futuro dirá.

Oportunidade única

Para citar Vital Moreira num dos raros momentos em que não está a elogiar, defender, explicar, sustentar e justificar o Governo socialista.

O ”Judas“ de Marques Mendes

Num post oportuno do Corporações.

quarta-feira, outubro 03, 2007

Sinal importante

As críticas de Carlos César e a (nova) aliança com Alberto João Jardim (que José Sócrates continua a ter medo de enfrentar) revelam que existem descontentes nas fileiras do PS. E que já se começam a perfilar alternativas. Será acia, perdão, azia?

Arrogância em todo o esplendor

Num espaço de 24 horas, José Sócrates, Rui Pereira e Manuel Pinho viraram as costas aos jornalistas quando questionados sobre os casos Souto Moura, Portucale e REN. Apesar de serem casos graves, que exigem esclarecimentos urgentes, os governantes do PS já nem se dão ao trabalho de esclarecer a opinião pública. É mais um sinal do nervosismo que reina no Executivo.

Ainda em silêncio

Será que a batalha judicial liderada pela Junta de Freguesia de Monte Abraão contra a prepotência da REN não merece qualquer comentário de Fernando Seara, Presidente da Câmara de Sintra?

terça-feira, outubro 02, 2007

Acumulações

Luís Filipe Menezes vai manter a liderança do PSD ao mesmo tempo que continua à frente da Câmara de Gaia. É uma decisão que mais parece de um ”barão“ do PSD do que de um militante eleito pelas bases.

Sporting em alta, mas...

A vitória sobre o Dínamo de Kiev, que é uma sombra do que foi no passado, não engana os mais atentos. Paulo Bento tem muito que fazer neste Sporting. Que tal começar por meter na ordem João Moutinho, Miguel Veloso e Yanik?

Evolução previsível no caso MaCann

O afastamento de Gonçalo Amaral, responsável pela investigação do caso MaCann, prova três factos: Alberto Costa, ministro da Justiça, manda mesmo na PJ; Alípio Ribeiro, director da PJ, não faz a menor ideia do que é o espírito da instituição; a investigação sobre o desaparecimento de Madeleine MaCan é um assunto entre Estados.

Começou o choradinho

José Sócrates já começou a preparar o terreno para explicar o falhanço da política económica. Hoje, perante especialistas do sector, como quem não quer chamar a atenção para a coisa, lá foi dizendo que o barril de petróleo está a 80 dólares. E quando assumiu a liderança do Governo o barril custava 50 dólares.

REN sem emenda

José Penedos parece não querer cumprir uma decisão de um Tribunal Superior. As ameaças de cortes nos abstecimentos de energia são insuportáveis. E no caso de se verificarem, apenas resta a demissão do Presidente da REN. Sem mais! A saúde dos cidadãos é mais importante do que a arrogância de um socialista que lidera uma instituição pública com grandes obrigações. Isto para não falar como foi criada a REN.
A propósito e de acordo com o Relatório e Contas de 2006:

Remunerações anuais do Presidente :
PRESIDENTE
Venc.base 272 658
Plano comp. de reforma 45 443
Subs.alimentação 2 238
Desp.representação 8 529
Total geral = 328 868 (Euros)
Média mensal = 27 405 (Euros) - 5 495 contos

Remunerações anuais de cada um dos 4 Vogais (Vítor Baptista, Aníbal Santos, Henrique Gomes e Soares de Pinho):
Venc.base 172 205
Plano comp. de reforma 28 701
Subs.alimentação 2 238
Desp.representação 8 529
Total geral = 211 673 (Euros)
Média mensal = 17 639 (Euros) - 3 536 contos

Mais (água) do mesmo

As primeiras chuvadas resultam sempre em cheias e em prejuízos para os cidadãos. A falta de prevenção, de ordenamento e de limpeza dos escoamentos devem-se à incompetência dos Executivos municipais. E não há quem seja responsabilizado?

Desemprego aumenta

A taxa de desemprego harmonizada em Portugal aumentou para os 8,3 por cento em Agosto passado. Por este caminho, até o Rato Mickey seria capaz de ganhar as eleições em 2009.